31 de dezembro de 2010

Feliz 2011 com muitas actividades



.

Terminamos 2010 com avisos...e sem a classificação!

retirado do "Diário do Minho" de 31/12/2010

A Assembleia de Freguesia de S. Victor concordou solicitar ao Ministério da Cultura que publique, em Diário da República a classificação como Monumento Nacional as Sete Fontes.

A JovemCoop alerta, ainda, para o perigo que as duas Minas das Verdosas correm de ser destruídas, devido às obras dos acessos ao Novo Hospital de Braga.

Terminamos 2010 com um aviso, e esperamos que 2011 comece com a classificação, já que hoje, último dia do ano 2010, isso não aconteceu!

27 de dezembro de 2010

Património de Braga...desaparecido!!!



fotos de: José Carlos Ferreira

Numa das nossas pesquisas cibernáuticas, tivemos a felicidade de passar pelo Blog "Afinal os Glutões Existem", da autoria de José Carlos Ferreira.

Um dos post lá publicados refere-se ao património de Braga que já desapareceu há muito tempo, mas que ficou perpetuado em imagens no Salão Nobre da Câmara Municipal de Braga.

Ora, para quem conhece a cidade de Braga de hoje, poderia pensar que afinal Braga não mudou assim tanto com o passar dos tempos. Parece política ancestral dos políticos de Braga que para fazer história é preciso destruir Património.

Poder-se-ia inserir estas imagens no desenvolvimento natural de uma cidade e justificar, assim, o seu progresso. Mas afinal o que substituiu estas edificações? Afinal, porque não se preservou esta memória?
Havia ameaça de ruína e, por isso, teve de se destruir tudo?

A resposta parecer tardar e não colher grande justificação. Parece, sim, que ser político em Braga é sinónimo de deitar abaixo o que é velho e construir algo novo, descaracterizando o perfil histórico da cidade.

Senão, vejamos as Casas de Emigrantes, que com um estilo arquitectónico único têm desaparecido rapidamente. Lembremos os atentados constantes, o apetite imobiliário e a força da cidadania na zona das Sete Fontes, S. Victor, Braga. Revisitemos as fachadas adulteradas do Centro Histórico da Cidade de Braga, o Atheneu Comercial que foi destruído e o Salão Egípcio que está em ruinas e dado ao esquecimento. Notemos o património arqueológico descoberto que fica (novamente) enterrado.

Grande parte das opções políticas de Braga não parece colher simpatia pela preservação da memória histórica. Uma boa parte da população comenta uma série de atentados ao património, mas acanha-se de divulgar e protestar essas opções. Esperamos que esta mentalidade que dá sinais de mudar, cresça em consciência e ajude a preservar a nossa cidade. Turisticamente fica mais enriquecida e gerará mais receitas, pois está provado que o património é um dos maiores aliciantes nas escolhas dos turistas que visitam a nossa cidade.

Obrigado amigo José Carlos Ferreira por trazeres até nós estas fotografias, que privilegiam a nossa memória e que são um sinal do que podemos fazer para que não haja mais monumentos ou sítios de interesse a desenhar, futuramente, noutros salões da nossa cidade.

Uma variante barata, uma dor de cabeça cara!

retirado do "Diário do Minho" de 25/12/2010

Ficamos a saber pelos jornais que a Variante mais cara da Europa afinal...ainda podia ser mais cara. O custo previsto desta estrada estava avaliada nos 11 milhões de euros, mas conseguiu-se reduzir o investimento para menos 3 milhões.

Numa cidade em que falta o planeamento urbano, certo é que a construção desta variante, que teimosamente irá ali ser construída para justificar um erro de localização do Novo Hospital de Braga, irá dar imensas dores de cabeça aos automobilistas e cidadãos de Braga.
Senão, vejam só a notícia seguinte e retirem as vossas próprias conclusões.
retirado do "Diário do Minho" de 23/12/2010

Vai haver divulgação...já há sitio, falta saber o que vai ser divulgado!

retirado do "Diário do Minho" de 24/12/2010

A propósito da Capital Europeia da Juventude (CEJ), a realizar em Braga no ano 2012, foi publicamente admitido pelo Sr. Presidente do Município que a Câmara Municipal de Braga iria proceder à aquisição do quiosque situado no Largo Barão de S. Martinho (em frente ao caféd A Brasileira), como forma de garantir um posto informativo da CEJ.

Claro que isto merece duas breves reflexões da nossa parte:
1 - é bom saber que vai haver um sítio (pelo menos este será exíguo) para divulgar a CEJ. Falta, naturalmente, saber o que vai divulgar, tendo em conta que a um ano do início da realização deste evento, desconhece-se a programação do mesmo. E claro, se não conhecemos a programação, é porque o canal de comunicação da CMB com as associações não tem sido utilizado (pelo menos com a nossa).

2 - Ainda assim, devemos dar os parabéns à CMB por adquiri este quiosque, porque faz parte do mobiliário urbano da cidade de Braga, que infelizmente se encontra a desaparecer a olhos vistos.
Grande parte dos quiosque do centro da cidade de Braga ou desapareceram ou foram substituidos por estruturas bem mais modernas, que em nada beneficiam o aspecto urbano antigo da nossa cidade. É mais um património que desaparece. Saber que a CMB vai fazer um esforço para manter este quiosque (esperamos que na sua traça original) é sinal de atenção 8ou então é meramente uma coincidência).

Ainda assim, é garantido que este equipamento urbano vai continuar no seu local a servir a população, ainda que com uma finalidade diferente.
.
foto de: santiul

.

O resultado da nossa contribuição...

retirado do "Correio do Minho" de 26/12/2010

Grande parte dos nossos cooperantes pertence ao Grupo Coral de Guadalupe, entidade que, com uma enorme solidariedade, se encarregou de reunir várias garrafas de azeite (ver post sobre a Missão Põe Azeite  AQUI e AQUI), para compor os cabazes de Natal que a Junta de Freguesia de S.Victor distribuiu pelo Natal.

Não deixa de merecer esta nota, saber que em tempos de crise, a generosidade da população é grande e que aumentou em 150% as contribuições para a recolha de alimentos naquela freguesia.

Saber que a Junta de Freguesia de S. Victor está atenta à sua população e que consegue dinamizar vários agentes para auxiliar quem mais precisa, também é uma garantia de serviço público.
A todos quanto contribuiram, aqui fica o nosso muito obrigado!

.

O património de Braga preservado

retirado do "Diário do Minho" de 23/12/2010

Uma boa notícia para o património de Braga, que vê terminado o restauro do Pavilhão de jardim do Museu dos Biscaínhos.
Este edifício de arquitectura singular e representado no mapa de 1755 onde figuram as fachadas das casas das ruas de braga fica agora à disposição dos visitantes deste Museu.
Inserido num dos jardins mais bonitos e históricos de Braga, merecerá, com certeza, uma visita.

.

22 de dezembro de 2010

BOAS FESTAS da JovemCoop aos nossos amigos!


Dedicamos esta imagem e os votos de um Feliz Natal a todos os nossos membros, amigos e demais cooperantes!

Grupo Coral de Guadalupe deseja BOAS FESTAS


Este é o postal de Natal dedicado a todos os amigos do Grupo Coral de Guadalupe!

Um Santo e Feliz Natal para todos!



Salvem as Sete Fontes - Pedido Urgente (para publicação em DR)



Caro(a) Amigo(a)



Copie o texto em itálico e  envie-o por e-mail à senhora Ministra da Cultura gmc@mc.gov.pt de modo a pressionar o Governo a publicar em Diário da República até 31 de Dezembro a salvaguarda do Complexo das Sete Fontes, conforme recomendação da Assembleia da República. Envie-o também aos seus amigos e recomende-lhes que façam o mesmo.
Obrigado!

Exmª Senhora Ministra da Cultura,

"As cidadãs e cidadãos que subscreveram a petição Pela Salvaguarda das Sete Fontes, discutida em Plenário da Assembleia da República Portuguesa em 06 de Outubro último, rogam a Vossa Exª que dê cumprimento urgente às recomendações aprovadas por unanimidade na sequência do debate parlamentar.

Como é de seu conhecimento as recomendações da AR, entre outros aspectos, instam no sentido de que a classificação do conjunto das Sete Fontes, já homologado como Monumento Nacional, seja publicada em Diário da República, bem como a respectiva ZEP, com máxima urgência (até 31 de Dezembro).

As Sete Fontes constituem um monumento único no género e contexto, sendo por outro lado um recurso ambiental, paisagístico e de lazer essencial ao desenvolvimento sustentado de Braga.

Só a convergência de esforços entre cidadãos e os órgãos de soberania, incluindo o Governo, pode assegurar o futuro de Portugal.

Assim e sublinhando que o parecer da AR foi unânime, pedimos-lhe encarecidamente que dê a máxima prioridade à fase final do processo de classificação do conjunto das Sete Fontes, cumprindo o dever de V. Exª como governante, pois tanto nós como a Assembleia da República e a DRCN já trabalhámos nesse sentido. A batalha pela conservação das Sete Fontes irá continuar, mas para que saia vitorioso o Património Nacional, é essencial a colaboração activa e em tempo útil da Senhora Ministra da Cultura.

Cordialmente,

Missão Põe Azeite - os nossos agradecimentos


No final de Novembro lançamos a campanha "Missão Põe Azeite" que visava angariar, no mínimo, 150 garrafas de azeite para colocar nos cabazes de Natal que iriam ser distribuídos pelas famílias carenciadas de S. Victor.

Mesmo em ano de crise e de forte contenção, a população mostrou que não existe "crise de valores" e com o contributo de todos foi possivel alcançar a marca das 262 garrafas.
Permitiu, ainda, ajudar outras instituições que careciam do mesmo problema a compor os seus cabazes.
Por esta enorme acção de boa vontade...

OS NOSSOS SINCEROS AGRADECIMENTOS E UM FORTE MUITO OBRIGADO!!!

Grupo Coral de Guadalupe na melhor actuação de 2010

foto de Carla Martins

O Grupo Coral de Guadalupe desejou, nos dias 18 e 19 de Dezembro, um Feliz Natal a todos os clientes do BragaParque.
Inserido nos concertos de Natal do BragaParque, também o Grupo Coral de Guadalupe teve a oportunidade de cantar as mais belas canções de natal, num repertório repleto de ritmo, sons e animação.

O Grupo Coral de Guadalupe cantou:

- Vem Pai Natal Amigo;
- Burrinho do Presépio;
- É Natal...há uma estrela a brilhar;
- Hoje ao Acordar...;
- O Pai Natal veio à Cidade;
- White Christmas versão Braga Parque;
- Vai Nevar...;
- Holy Night;
- Jingle Bell rocks;
- Rocking around the Christmas tree;
- Up on the Housetop;
- Have yourself a Merry Little Christmas;
- Rudolph, the red nosed reindeer;
- Walking in a Winter wonderland;

O Grupo Coral de Guadalupe gostaria de deixar expresso publicamente o convite para fazer parte da animação de Natal do BragaParque e agradecer, o excelente trabalho da equipa da Ases na Manga.
E deixar uma palavra de forte agradecimento e reconhecimento a todas as pessoas que fizeram questão de parar para ouvir as músicas de Natal do Grupo Coral de Guadalupe.

Ideias com Jota 21/12/2010


Tema abordado:

  • Wikileaks e a segurança das informações dos Estados;
Convidado especial:
  • José Palmeira, Director do Curso de Relações Internacionais da Universidade do Minho
A não perder, às 3as feiras, das 19h15 às 20h



.

Missão Solidária...S. Victor como um exemplo

retirado do "Correio do Minho" de 19/12/2010

retirado do "Correio do Minho" de 20/12/2010

A solidariedade é algo que devia estar presente na nossa vida durantes todo o ano. Contudo, é certo que na época natalícia ganha mais expressão e desenvolvem-se uma série de acções que permitam ajudar quem mais precisa.

A Junta de Freguesia de S. Victor é um exemplo no que concerne à ajuda ao próximo e a quem precisa. Mas também a Paróquia de S. Victor é um excelente exemplo do que as pessoas podem, de forma original, fazer para ajudar a atingir certos objectivos.

A recuperação do telhado do Centro Paroquial foi o mote para pessoas e instituições darem as mãos e alcançar o objectivo de superar o desabamento daquela estrutura. Com o apoio da Junta de S. Victor, a Paróquia de S. Victor, o Pingo Doce do Braga Parque e os jovens da pastoral de S.Victor venderam sandes de porco e distribuiram aletria pelas pessoas que acorreram à superfície comercial.

Aos poucos e poucos vão angariando o montante para recuperar o telhado do Centro Paroquial, tudo feito de uma forma pouco onerosa para quem quer ajudar. A julgar pelos relatos do jornal, estas jornadas solidárias são realizadas de sorriso nos lábios e de uma forma divertida.

S. Victor segue na linha da frente da solidariedade e no crescimento de um sentimento mobilizador dos recursos humanos.

.

Iniciativas turisticas que marcam Braga

retirado do "Correio do Minho" de 20/12/2010


À parte da mensagem catequética e da história religiosa que o Presépio Vivo de Priscos transmite, dedicamos este post à iniciativa turística que marca, definitivamente, Priscos na história do nosso Concelho.
Já defendemos em ocasiões anteriores que Braga poderia viver, em grande parte, do seu espólio arqueológico, caso este estivesse devidamente preparado para a fruição turística. Tivemos, ainda, oportunidade de defender que Braga deveria apostar, com grande força, em eventos que marquem o panoramana cultural do concelho e convidem gente a visitar Braga. Por isso, defendemos uma maior aposta na Braga Romana ou numa Rampa da Falperra.

Mas o Presépio Vivo de Priscos parece ser, agora, o melhor candidato a agente mobilizador desta procura turística. E o titulo do jornal Correio do Minho é feliz ao transmitir, precisamente, que esta realização pode ser uma das soluções para enfrentar um cenário económico adverso.

É sabido que a indústria do turismo é uma das que não sofreu grandes quedas e que a mensagem de "vá para fora cá dentro" também tem grande expressão quando há um atractivo forte para visitar as localidades.
Isto, naturalmente, incentiva a economia local e mobiliza várias pessoas.

Ora isto é uma visão acertada do aproveitamento dos recursos locais e que pode minimizar os efeitos das crise.

Por esta visão inovadora no nosso concelho, deixamos aqui expresso as nossas maiores felicitações a este projecto.

.

Uma vez mais a E.P. vem a reboque!


retirado do "Diário do Minho" de 09/11/2010


Num passado recente, o Diário do Minho divulgou a notícia de que a Direcção Regional de Cultura Norte teria travado uma acção para defender a Ponte de Prado.

Agora, após uma tentativa de desqualificação do património, vem as Estradas de Portugal, iniciar uma acção de recuperação, que, claro, se espera que cumpra a legislação de protecção do património.

retirado do "Correio do Minho" de 22/12/2010

Infelizmente já vimos um "filme" muito parecido com este, ainda no decorrer deste ano, na zona do Novo Hospital de Braga/Sete Fontes. Talvez a E.P. devesse andar mais atenta.

.

Curso sobre a História da Póvoa de Lanhoso

retirado do "Correio do Minho" de 20/12/2010

Temos defendido que o conhecimento da nossa história ajuda a promover a cultura e a memória colectiva de um povo. Acreditamos que conhecer e ter orgulho na história de uma localidade ajuda ao enraizamento local e pode ajudar a promover a fixação da população nas localidades.

Em Braga, uma iniciativa do género foi promovida por uma Cooperativa Cultural, e teve muito sucesso. Mas a Câmara de Braga nem colaborou na divulgação do Curso da História da Cidade de Braga.
Agora, a Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso(CMPL) mostra a importância de uma iniciativa desta indole e promove ela mesmo a sua realização.
Porque é uma acção importante e meritória, cabe aqui dar os parabéns à CMPL e ajudar, claro, na divulgação do breve curso da história local.

.

Núcleo de Arqueologia em Castelo de Neiva

retirado do "Correio do Minho" de 20/12/2010

Tendo em conta que é mais um contributo museológico para o conhecimento da nossa história, seguramente a JovemCoop irá visitar esta estrtutura em breve.

.

Ideias com Jota 14/12/2010


Tema abordado: 
  • Proposta dos novos financiamentos para as instituitções de ensino particular e cooperativo 

Convidado especial:
  • José Ferreira, Presidente do Externato Infante D. Henrique

A não perder, às 3as feiras, das 19h15 às 20h


10 de dezembro de 2010

Votem no Inquérito do Diário do Minho sobre as Sete Fontes


O Diário do Minho pergunta aos seus leitores:

"O complexo das Sete Fontes está a ser bem defendido?"

Passem pela página on-line do Diário do Minho e expressem a vossa ideia. Assim, poderemos ter uma ideia do que os Bracarenses pensam.

Contudo, subsiste aqui uma dúvida que a pergunta deveria esclarecer - o Complexo das Sete Fontes está a ser bem defendido pela Câmara de Braga ou pelos Peticionários?

Em nossa opinião, está mal defendido pela CMB e está a ser bem defendido pelos Peticionários e amigos das Sete Fontes!

Habemus Parque entre 18 ha a 20 ha, mas...será verde?


retirado do "Diário do Minho" de 10/12/2010


retirado do "Correio do Minho" de 10/12/2010


 As notícias que estão em destaque nos principais órgãos de comunicação escrita de Braga dão conta que as Sete Fontes, além da classificação de Monumento Nacional, vão ser, também, um Parque de, pelo menos, 18 ha. Este número pode ainda aumentar, caso as negociações entre a CMB e a Administração do Novo Hospital de Braga cheguem a acordo para a cedência de, pelo menos, mais 2 ha.

Convém lembrar que em 1995, a ASPA solicitou a classificação deste monumento, que, à data, estava situado no meio de campos.

Em 2001, a CMB, ao rever o Plano Director Municipal, tornou toda aquele local ruralizado em área de alta densidade de construção. Uma das Mães de Água foi destruída e deu lugar a um prédio.

No ano 2003, após visita ao Complexo das Sete Fontes, o Secretário de Estado da Cultura de então solicitou a agilização do processo de classificação e acabou por se conseguir a Homologação como Monumento Nacional.

Assim que se confirmou a localização do Novo Hospital na zona das Sete Fontes, ocorreram várias acções de lesa património, onde se destruíram muros - sobretudo na Mina dos Órfãos, fracturaram-se padieiras, cortaram-se árvores de grande porte, fizeram valas e buracos que destruíram registos arqueológicos e fechou-se toda uma mina - a Mina do Dr. Amorim - que devido à construção do Novo Hospital estava em risco de abater.

Sempre defendemos as Sete Fontes como local que pode relançar os modelos de urbanismo e planeamento da cidade de Braga. E sempre que afirmamos isto, colocavam-nos a hipótese de haver um "Corredor Verde", ladeado por construções e mais edificações.

Hoje, esta notícia merece destaque, não tanto pelas palavras do Presidente da Câmara Municipal de Braga, mas sim pela força da população. A população mobilizou-se, deu sinais à CMB e deu ideias. Felizmente a CMB ouviu as ideias e pegou neste belíssimo local e vai transforma-lo num Parque...esperemos que seja um PARQUE VERDE e que estas palavras não sejam subterfúgios nem mentiras para acalmar a população e deitar-lhe areia para os olhos.

Desde já, se realmente lá for criado um Parque Verde transmitimos aqui os nossos parabéns à CMB por ouvir a população e FELICITAMOS os peticionários pela força com que lideraram este processo.

Rota das Catedrais

retirado do "Diário do Minho" de 10/12/2010

Um projecto que nasce das sinergias da Igreja Católica, detentora de um espólio arquitectónico soberbo e do Estado Português através do Ministério da Cultura.

Estas entidades cooperam para a fruição das catedrais e criar formas de preservar este património. Com estes bons exemplos, o nosso património ficará visitável e poderá continuar a testemunhar a nossa história.

.

Ideias com Jota 07/12/2010



Tema abordado: Antecipar para 16 anos a idade para votar em eleições.

.
A não perder, às 3as feiras, das 19h15 às 20h



 
.

7 de dezembro de 2010

Missão Põe Azeite - recolha para cabazes de Natal!


"Põe azeite Senhor e faz que brilhe...!"

À semelhança do ano passado, o Grupo Coral de Guadalupe chama todos os seus amigos para ajudarem a concretizar com sucesso a Missão "Põe Azeite 2010".

O objectivo é a recolha do maior número possível de garrafas de azeite de forma a que se possam compor os cabazes de Natal da freguesia de S. Victor com este bem tão precioso! A recolha iniciou-se no Domingo passado na Capela de N. Sra. de Guadalupe e vai prolongar-se até ao Domingo dia 18/12.

Se não conseguirem entregar a vossa doação na Capela, nós vamos ao vosso encontro: é só enviarem mail ou ligarem: 965598591. Peço-vos também, para espalharem pelos vossos contactos esta mensagem.

Ajudem-nos a pôr o azeite na ceia de Natal dos que mais precisam da nossa ajuda...!

Desde já o nosso agradecimento a todos os que se associarem a esta iniciativa!

Pelo Grupo Coral de Guadalupe,
Flávia Silva
______________________________
GRUPO CORAL GUADALUPE
Animação da Eucaristia Dominical das 11h30
Capela de Guadalupe - Braga
Contacto: 965 598 591

Sobre a Discussão Pública das Sete Fontes

Discussão Pública "E depois da Petição"


retirado do "Diário do Minho" de 05/12/2010

retirado do "Diário do Minho" de 04/12/2010

Aqui ficam alguns registos sobre a visão dos peticionários e sobre a discussão pública a propósito do futuro das Sete Fontes.

Foi uma sessão produtiva, achando nós que, apesar do debate de ideias, os partidos com representação na Assembleia Municipal perderam uma boa oportunidade para concretizar/partilhar a sua ideia para aquele complexo monumental. Claro que faltou, ainda, a representação da CMB para nos ajudar a perceber, afinal, o que planeia para aquele sítio, mas iremos aguardar pelo tão desejado Plano de Pormenor.


 

Dia de S.Geraldo - Padroeiro da cidade de Braga



No passado dia 05 de Dezembro celebrou-se o Dia de S. Geraldo, Padroeiro da Cidade de Braga.
Pela sua importância para a nossa cidade, recordamos aqui o seu milagre e o porquê de se preencher a Capela na Sé de Braga com frutos.

«Encontrava-se São Geraldo muito doente, às portas da morte, em Bornes, na terra fria, nos princípios de Dezembro, cercado o tugúrio onde se refugiara com os seus familiares, fugindo à neve que abundantemente por aquelas terras caía. Nos ardores de febre que o consumia, pede a um dos seus familiares que lhe traga algumas peças de fruta, para aplacar a sede e dar um pouco de alento ao seu debilitado corpo.

Responde-lhe o seu fâmulo que naquele lugar e com aquele tempo invernoso as árvores estavam despidas de folhagens e frutos. Poder-se-ia talvez encontrar, ainda espalhadas pelo chão, algumas castanhas e nada mais. A esta observação responde São Geraldo: "vai e procura!". Então, por uma frincha da porta por onde entrava o regelante frio, o servo viu que as árvores, lá fora, ao redor do terreiro, estavam floridas e recheadas de belos frutos».



Entre Aspas - 06/12/2010

retirado do "Diário do Minho" de 06/12/2010
carregue na imagem para ampliar

Afinal, as árvores fazem parte do património de uma cidade/localidade, e, como tal, também mercem ser protegidas e salvaguardadas.

Ideia: uma Agência mais activa

retirado do "Diário do Minho" de 05/12/2010

O director da Agência Nacional do Programa Juventude em Acção veio a público admitir um corte nos orçamentos para as práticas juvenis, no âmbito das acções relacionadas com o programa que tutela.
Admitindo, porém, que os corte far-se-ão maioritariamente a nivel da prática interna, o "não devem" abre uma porta a que as associações ou grupos informais de jovens vejam as suas actividades condicionadas.

Além do mais, estando a Agência Nacional sedeada em Braga, seria desejável que a promoção da sua área de actuação fosse mais elevada. Na verdade, parece-nos que a comunicação entre a ANPJA já conheceu melhores dias com as associações. Isto pode ser aferido pela não tão elevada execução de projectos como seria desejável.

Mas importa realçar os programas de incentivo à prática política, pois também esta teve lugar nas palavras do director.
No nosso entendimento, a participação activa na sociedade é uma construção para as políticas da cidade ou do meio onde se insere. Contudo, interessa perceber porque é que os jovens se alheiam das responsabilidades políticas.

Supomos, em primeiro lugar, que isto acontece pela fraca opinião generalizada que os jovens têm do conceito de fazer política, muitas vezes associada aos ideais submissos partidários. Além do mais, na óptica da juventude, os partidos políticos grassam interesses particulares e, muitas vezes, associados à corrupção física e, sobretudo moral. Aliás, no nosso entendimento, um cargo destes ser ocupado por alguém que ostenta um cartão de militância num partido é, por si só, eticamente reprovável, se for o único critério para a sua escolha.

Além do mais, o desinteresse dos jovens nas questões políticas dá-se por não haver das autarquias, maioritariamente, elos de comunicação que, de facto, promovam a auscultação de ideias. E poucas pessoas gostam de falar sozinhas. Daí, mais do que incentivar os jovens a participar, é necessário formar e sensibilziar os órgãos autárquicos a saber acolher ideias vindas da população jovem.

Nós temos já, alguma experiência do querer contribuir e de ninguém nos querer ouvir. Felizmente, há autarquias locais que nos dão alento e nos ajudam a crescer. Por isso, obrigado Junta de Freguesia de S.Victor.

Associações Académicas partidas pelos Partidos...

retirado do blog "Farricoco"

Os órgãos de comunicação social veicularam, recentemente, um original debate entre os candidatos à presidência da Associação Académica da Universidade do Minho.

Não pretendemos "meter a foice em seara alheia", mas a julgar pelos acontecimentos que levaram à interrupção do debate, parece-nos importante registar que os movimentos associativos devem ser puros na sua intenção e livre de pressão, para ajudar à construção do ser e da sociedade.
Um debate que termina em sessão de confronto físico, em nada dignifica o movimento associativo, nem tão pouco ajuda os estudantes a resolver as suas reivindicações e problemas.

E associar um partido político e uma estratégia partidária a este confronto, ainda é menos académico, mostrando que, afinal, os partidos têm claro interesses em "controlar" as associações académicas, toldando e modelando os princípios da prática estudantil.

Aos cooperantes que frequentam a Universidade do Minho recomendamos que se afastem destas práticas e que ajam sempre de livre arbítrio, sem seguir conselhos negativos de gente que não tem coragem de assumir ideias e ideais!

A video vigilância de Braga...sensibilizar para a segurança rodoviária

retirado do Blog "Farricoco"

Desde sempre, a denominada "curva do Feira Nova" representou o pior que se tem feito a nivel de construção rodoviária em Braga. Após inúmeros acidentes e alertas dados às entidades responsáveis, esta curva permaneceu inalterada e sempre pronta para continuar a causar mais acidentes (muitos deles também provocados pela incúria dos automobilistas).

No âmbito da construção dos acessos ao Novo Hospital de Braga, esta curva, finalmente será rectificada, até porque tem mesmo de ser adaptada às circunstâncias para permitir ligação ao Novo Hospital.
Mas não deixa de ser curiosa a notícia que revela que esta curva está, desde há algum tempo a esta parte, sobre a (video)vigilância de um morador daquela zona.

Os videos realizados, sobretudo em dias de mau tempo, dão direito a um acidente e, revela o autor dos videos, que até alguns dos próprios acidentados já lhe pediram as gravações para fazer prova no seguro.
Não deixa de ser curioso como nesta circunstância ninguém advoga o direito à privacidade (nem tão pouco imaginamos se o poderiam fazer), mas como sempre que se puxou o trunfo da video-vigilância no centro histórico, apareceu alguém a declarar o direito à privacidade, é estranho que ninguém se queixe desta situação, havendo mesmo a necessidade de requisitar as gravações ao autor.

Será que neste caso específico as pessoas não se queixam porque até gostam de ver videos com os acidentes dos outros, ou haverá um legítimo interesse em promover um campanha de segurança civil e rodoviária?

Mais do que vibrar com acidentes dos outros, seria importante que estes videos fossem tomados como acções pedagógicas e de sensibilziação para moderar o comportamento dos automobilistas na nossa cidade.

3 de dezembro de 2010

Braga Continua a ignorar a História

retirado do "Diário do Minho" de 27/11/2010

A cidade de Braga tem mais de dois mil anos de história, que a tornam a mais antiga urbe portuguesa e a que mais património construído e arqueológico dispõe para se afirmar nos roteiros culturais a nível europeu.


Apesar de tudo isto, o passado, quando não devidamente valorizado e enquadrado, é sempre um empecilho para as mentes iluminadas do progresso, pelo que no caso de Braga a ordem foi rasgar e construir à vontade, nuns casos destruindo as ruínas romanas que continuavam a marcar o seu território, noutros de melhor sorte conservando-o muito bem guardado no subsolo.


A ditadura do betão tem mandado na cidade desde os anos 60 até aos nossos dias, proporcionando habitação para todos a custos relativamente baixos no contexto nacional, cumprindo assim um direito consagrado na Constituição da República. Um direito tão diligentemente cumprido que hoje há quem estime que a cidade dispõe de dez mil fogos vazios.


Esgotado o filão da habitação - na generalidade de qualidade duvidosa - a indústria bracarense da construção, que dá cartas a nível nacional, rapidamente se voltou Braga continua a ignorar a história... para os parques empresariais e para os empreendimentos comerciais com forte potencial de crescimento.


O património bimilenar, esse continuou esquecido e ao sabor de intervenções pontuais, que mais não são do que "flores" para inglês cheirar, porque aquilo que ele deveria ver continua eternamente adiado, enterrado ou abandonado.


É por isso que, já em pleno século XXI, não se entende que o município continue a não agarrar a sério o passado romano de Braga, como um importante eixo de desenvolvimento cultural e de afirmação da cidade, e fique por representações folclóricas de gladiadores e odaliscas.


O investimento no património continua, assim, completamente dependente do Estado central, ou seja eternamente adiado, frustrando as expectativas de todos aqueles que amam a história da sua cidade e que defendem um desenvolvimento diferente e mais urbano para Braga.


É neste quadro que devem ser lidos com atenção os alertas que acabam de ser lançados pelo arqueólogo da Unidade de Arqueologia da Universidade do Minho Luís Fontes (DM, 22/11/2010).

Não se pode deixar de lamentar que passados quase dois anos do anunciado apoio ao Parque Cultural e Arqueológico de Braga, a autarquia continue a ignorar um projecto, que poderia valorizar a cidade a nível internacional.

Pressão...e mais pressão!

retirado do "Correio do Minho" de 28/11/2010

retirado do "Diário do Minho" de 28/11/2010

No âmbito de uma visita ao Complexo das Sete Fontes por elementos da Assembléia Municipal, o vereador do urbanismo, Arq.to Hugo Pires mostrou e explicou aos visitantes o que será o futuro Parque Verde das Sete Fontes.

Garantiu, ainda, que a CMB não tem dinheiro para expropriar terrenos (cujos preços subiram em flecha assim que ficou definida a construção do novo hospital) e afirmou que a preocupação das pessoas é a água e não a protecção do edificado, porque isto mostra que a CMB tem defendido e preservado aquele monumento.

Isto é tão errado, que convém dizer aos nossos leitores que ao longo dos tempos foram desenhados vários projectos que aniquilariam o Complexo das Sete Fontes. Além disso, estabeleceu-se um Plano Director Municipal que arrasaria as Sete Fontes em detrimento da construção de préidos.

HOJE sobre pressão da população, e após várias diligências tomadas pela Junta de Freguesia de S. Victor, JovemCoop, ASPA, a CMB cedeu às preocupações, não desincentivando à construção, mas fazendo um malabarismo em que deixaria construir de uma forma mais ordenada (que é aquilo que Braga já necessitava há muitos anos).

Mas as Sete Fontes ainda não estão protegidas e precisam da nossa precaução e atenção, para que esta CMB actue em conformidade pelas vontades dos seus cidadãos.

.

Monografia da Freguesia de Nogueiró

retirado do "Correio do Minho" de 03/12/2010

retirado do "Diário do Minho" de 03/12/2010

Braga fica a ganhar com mais este contributo para o conhecimento da história da nossa cidade. A Freguesia de Nogueiró aposta na identidade história e cultural e apresentará amanhã, dia 04 de Dezembro a monografia da história da freguesia. Seguramente, um bom presente para o sapatinho neste Natal!

.

Parque Arqueológico de Braga...o ponto de vista do BE

retirado do "Diário do Minho" de 29/11/2010

Os deputados municipais do Bloco de Esquerda (BE) lamentam que as Opções de Plano e Orçamento da Câmara de Braga tenham ignorado a criação do Parque Arqueológico de Braga/Parque Cultural Europeu (PAB/PCE). Numa declaração proferida na última Assembleia Municipal, o BE fala da quebra de uma das principais promessas eleitorais de Mesquita Machado.

A declaração foi proferida por Henrique Barreto Nunes, que começou por lembrar que na Assembleia Municipal de 30 de Abril, o BE congratulou-se com notícias vindas a público dando conta de que a autarquia iria dar início ao processo, esboçado em 2008, da criação do PAB/PCE, fazendo incidir a sua intervenção na preservação dos núcleos arqueológicos das Carvalheiras e do teatro romano.

Apesar da satisfação, o Bloco diz ter deixado patente o seu cepticismo relativamente à efectiva concretização daquelas intervenções, atendendo ao conhecimento que têm sobre o modo como a Câmara de Braga tem conduzido a sua política em relação ao património arqueológico e histórico do concelho, em particular no que concerne a Bracara Augusta, onde normalmente só actua quando a tal é obrigada.

Assim, ao analisar as Opções do Plano para 2011 as suspeitas tiveram imediata confirmação, reforçadas pelas declarações de um dos responsáveis da Unidade de Arqueologia da Universidade do Minho (UAUM) ao “Diário do Minho” de 22-11-2010.

«O executivo camarário de Braga, alegadamente devido à crise financeira, decidiu não avançar com o Projecto do Parque Arqueológico de Braga/Parque Cultural Europeu, uma das principais promessas eleitorais de Mesquita Machado. Nem sequer, que saibamos, apresentando uma candidatura ao QREN para o que já existiam condições objectivas», critica.

O BE recorda que o projecto do PAB não é apenas um projecto da UAUM.

«Deverá ser um objectivo da cidade no âmbito da preservação, estudo, valorização e divulgação do seu património arqueológico e histórico, visando ainda aumentar o grau de competitividade cultural e turística da urbe. Pelo seu cancelamento quem perde é Braga».

Segundo o BE, em vez de investir na Cultura, Mesquita Machado gastou milhões de euros «em obras inúteis das quais a mais recente é o prolongamento do túnel da Avenida da Liberdade, certamente para beneficiar o espaço comercial ali em construção».

Dar um futuro ao nosso passado Barreto Nunes conclui que o executivo camarário maioritário nunca esteve seriamente interessado em valorizar as ruínas de Bracara Augusta.

«O pouco que a Câmara fez foi sob pressão da ASPA, da Universidade do Minho ou de movimentos de cidadãos, como se viu no recente caso das Sete Fontes», exemplificou.

O Bloco entende que a criação do PAB/PCE deve ser de novo um desígnio dos bracarenses empenhados em reforçar a sua identidade.

Pois os valores culturais que encerrará constituirão, conforme os autores do projecto, também uma importante «alavanca de desenvolvimento» e um poderoso «alicerce da cidadania» e um inestimável «suporte de auto-estima, essencial para, no presente, dar um futuro ao nosso passado».
.

Um exemplo nacional de como o Património é atraente

retirado do "Diário do Minho" de 02/12/2010

Um exemplo nacional de como o Património é atraente, o Paço dos Duques, ícone da história e património da Cidade de Guimarães, aumentou o número de visitantes.

Num ano em que tanto se fala de crise, a cultura patrimonial e o turismo continuam a ser dos sectores mais esquecidos, ainda que sejam dos mais rentáveis.

Que esta notícia seja inspiradora para os agentes culturais de Braga, para que os nossos museus e sítios monumentais também continuem a ser divulgados e mostrados a todos os interessados!

.