22 de maio de 2013

Caminhada Solidária - Dia 01 de Junho no Gerês

Dia 01 de Junho, vamos caminhar por uma causa solidária

A participação da JovemCoop ficou adiada devido a compromissos de última hora.



Caminhada" Sete Fontes- Um abraço ao Pirilampo

É já no Domingo, dia 26

Dia 26 de Maio de 2013 (Domingo), a partir das 09h00 – Partida às 10h30
Local: Junta de Freguesia de São Victor – Braga
CAMINHADA : “SETE FONTES… com Saúde e Coração”.
Antes da partida - Rastreio gratuito : Glicemia, Colesterol e Tensão Arterial das 9h00 às 10h30.
Trajecto até às SETE FONTES com o seguinte percurso : Largo da Senhora-a-Branca (marco Via XVII), Rua de São Victor, Rua São Domingos, Largo de Monte de Arcos, Areal,Rua Dr. Domingos Pereira com paragem na Capela de S. Victor-o-Mártir e entrada no Complexo Monumental das Sete Fontes pela Rua Nuno Morais, até à Bica das Sete Fontes, junto à Fonte do Dr. Amorim e descida pelo Bairro das Sete Fontes, Capela do Senhor dos Milagres (Via XVIII), Rua Rafael Bordalo Pinheiro, Largo de Monte D’Arcos, Rua S. Domingos, Rua S. Victor e final no Largo da Senhora-a-Branca, junto à réplica do “Marco Miliário da Via XVII”. Percurso fácil, com uma distância aproximada de seis quilómetros e a duração de cerca de duas horas. 

Colaboração : Farmácia Henriquina; Farmácia Silva; Prhofame e Cruz Vermelha Portuguesa.
Apoio: ASPA; GRUPO PETICIONÁRIOS; JOVEM COOP; QUERCUS e VELHA-A-BRANCA.
Organização : J.F. de São Victor – Braga


JovemCoop na Braga Romana2013

JovemCoop na Braga Romana
Este ano apresentamos o Deus Lares
Os nossos amigos que bem recebem quem nos visita
As nossas "patrícias"

A JovemCoop está presente na X Edição da Braga Romana, evento de recriação histórica que nos faz recuar 2000 anos na História da nossa cidade!

Este ano, a JovemCoop está inserida no espaço pedagógico, que recria a Domus das Carvalheiras. Este espaço situa-se na Praça Dr. José Ferreira Salgado, em frente ao café Lusitana!

Visitem-nos!

Fotos Caminhada...da Via XVII à Via XVIII

Actividade com a ESCA

Realizámos, no passado dia 18 de Maio, uma caminhada com a Escola Secundária Carlos Amarante, destacando as Vias Romanas que atravessam a freguesia de S. Victor.

Muitos foram os pontos de interesse ao longo do percurso.

17 de maio de 2013

Caminhada: da Via XVII à Via XVIII

Caminhada da ESCA com a colaboração JFS.Victor e JovemCoop


Dia 18 de Maio (Sábado) de 2013, a partir das 9h30
III Caminhada da ESCA…da via XVII à Via XVIII
Porque Maio é o mês do coração, é um tempo que convida à prática do exercício físico de que as caminhadas constituem um exemplo privilegiado, conforme lembra a Fundação Portuguesa de Cardiologia. Numa iniciativa aberta a toda a comunidade educativa da ESCA e da JovemCoop, vamos ligar, em caminhada, um itinerário que liga as Vias XVII e XVIII.
Considerado o mais importante itinerário romano do noroeste peninsular, a Via XVII ligava Bracara Augusta a Asturica Augusta (Astorga), por Aquae Flaviae (Chaves), num percurso de cerca de 364 Km que unia 18 cidades. Integra, por isso, com a referência GR117, um projeto intercomunitário de percursos pedestres designado “Vias Augustas”, que tem por objectivo a promoção do património natural e cultural dos municípios que atravessa, contribuindo para o incremento do desporto e turismo de Natureza e, por consequência, para o desenvolvimento das comunidades rurais. 
A Via Nova, também referida como Geira é a Via XVIII do Itinerário de Antonino, uma estrada romana que ligava duas importantes cidades do noroeste da península Ibérica: "Bracara Augusta", atual cidade de Braga, em Portugal e "Asturica Augusta", atual Astorga, em Espanha, num percurso de CCXV milhas (aproximadamente 318 quilómetros).
Trajecto com passagem pelas SETE FONTES com o seguinte percurso: Largo da Senhora-a-Branca (marco Via XVII), Rua de São Victor com visita à Igreja Paroquial, Rua D.Pedro V, Rua Nova de Santa Cruz (inicio), com visita à Igreja de S. Victor-o-Velho em direcção ao Areal pela Avenida Padre Júlio Fragata, com passagem pelos Oratórios da antiga Quinta do Xavier e desvio na Travessa que liga à Rua Pero Vaz de Caminha em direcção à Rua Dr. Domingos Pereira com paragem na Capela de S. Victor-o-Mártir e entrada no Complexo Monumental das Sete Fontes pela Rua Nuno Morais, até à Bica das Sete Fontes, junto à Fonte do Dr. Amorim. Descida pelo Bairro das Sete Fontes, Capela do Senhor dos Milagres (Via XVIII), Rua Rafael Bordalo Pinheiro, Largo de Monte D’Arcos, Rua S. Vicente com paragem na Igreja Paroquial, terminando o percurso junto da Arcada. Percurso fácil, com uma distância aproximada de sete quilómetros e a duração de cerca de duas horas e meia. 

Trilhos Bragueses (14) A Porta de S. João

"Diário do Minho" 13/05/2013
 
Os Trilhos Bragueses, da autoria de Rui Ferreira, centram-se, esta semana, na antiga Porta de S. João, limite da cidade medieval e na paróquia de S. João do Souto, uma das mais antigas da cidade.
 
(re) Construída por iniciativa de D. Diogo de Sousa, foi destruída em 1867.
 
De particular interesse é, também, a referência à origem da paróquia de S. João do Souto, por volta de 1150.
 
Para ler com atenção.
 

Pirilampo Mágico reverte para CERCIBraga

"Diário do Minho" 13/05/2013

Arrancou no dia 13 de Maio, com duração até dia 4 de Junho, a angariação de fundos em favor das CERCI e outras organizações congéneres, envolvendo cerca de 100 Organizações sem fins lucrativos e mobiliza milhares de pessoas entre familiares, técnicos e cidadãos anónimos.

A Campanha Pirilampo Mágico é uma campanha realizada anualmente, em parceria com a RDP – Antena 1 e toda a sua organização é promovida pela FENACERCI (Federação Nacional das CERCI’s), tendo como lema em 2013 – “Ilumina o teu Mundo!”.

O Pirilampo Mágico é hoje um dos maiores, senão o maior símbolo de solidariedade social em Portugal. A causa social a que está associado – o apoio a pessoas com deficiência intelectual e/ou multideficiência -; o trabalho desenvolvido pelas CERCI`s a nível nacional; a familiaridade e laços afetivos estabelecidos com os cidadãos portugueses á mais de duas décadas, conferem a este ícone um estatuto de grande credibilidade e impacto mediático que muito tem contribuído, por via da angariação de fundos, para o sucesso das intervenções que vêm sendo desenvolvidas junto deste tipo de população.

Pela primeira vez, esta campanha terá como um dos beneficiários a CERCI Braga, que desde a sua constituição tem promovido todos os esforços para diagnosticar e criar estruturas de apoio, tendo como objetivo prioritário a criação de um centro de atividades ocupacionais e lar residencial por forma a garantir um conjunto de resposta que permita um acompanhamento contínuo e permanente a pessoas com deficiência intelectual e ou multideficiência e suas famílias.

Mais uma vez, e no paradigma atual, com falta de estruturas, programas e apoios institucionais, a CERCI Braga recorre à comunidade, tendo desde já a colaboração de perto de uma centena de instituições, entre escolas primárias, EB 2/3, Secundárias e Profissionais, Associações de estudantes e académicas, Juntas de Freguesia aderentes, estações de correios da Rua do Raio e St.ª Tecla, empresas e espaços comerciais, onde o Pirilampo Mágico está já à venda, cumprindo igualmente o objetivo de sensibilização para a causa.

Este é uma campanha de elevada importância para a CERCI Braga que necessita avançar no curto prazo com obras de adaptação no Centro de Recursos Psicossociais para Pessoas com Deficiência Intelectual e Multideficiência, localiza-se Rua Damião de Góis, 227 CV, procurando integrar mais pessoas com deficiência intelectual e/ou multideficiência.

in CERCIBraga

Azul turquesa é a cor do Pirilampo Mágico de 2013
O Pirilampo custa 2€ e o Pin 1€.

Braga cada vez mais Ciclável: O Mapa

"Diário do Minho" 15/05/2013

Numa iniciativa conjunta do Projeto Bracarae com o blog Braga Ciclável, acaba de ser lançado o Mapa Braga Ciclável. Trata-se de um mapa interativo que tem como objetivo principal fornecer uma visão global da cidade e um conjunto de informações úteis para os ciclistas e os responsáveis pelo planeamento urbano.

Através do Mapa Braga Ciclável os ciclistas poderão descobrir a localização das ciclovias e dos estacionamentos para bicicletas que estão atualmente disponíveis na cidade, bem como encontrar lojas, oficinas e serviços de aluguer de bicicletas. Quem visita a cidade de Braga pode ativar também opções como "Monumentos" ou "Alojamento", para facilmente descobrir onde se situam esses pontos de interesse turístico.

Quanto aos responsáveis pelo planeamento urbano, passam agora a ter acesso a informações valiosas para uma melhor compreensão do atual uso da bicicleta como meio de transporte na cidade de Braga: locais onde é necessário instalar estacionamentos para bicicletas, localização e qualidade dos estacionamentos já existentes e percursos que são frequentemente utilizados pelos atuais ciclistas.

Com este mapa, a equipa responsável pretende contribuir para um avanço real na promoção da mobilidade sustentável em Braga.

E todos podem participar neste novo projeto. Se já utiliza a bicicleta como meio de transporte na cidade de Braga e deseja contribuir, saiba que poderá partilhar os seus percursos habituais. A melhor forma consiste em desenhar o seu percurso no Google Maps e enviar para portal@bracarae.com. Se não sabe como o fazer, pode simplesmente enviar um email descrevendo a rota utilizada, quais as ruas por onde segue, os cruzamentos onde vira, ou os atalhos que costuma utilizar.

in Blog Braga Ciclável

Percurso do Romano: As fotos das nossas descobertas

Cartaz Actividade
Foto de Grupo
 
 
Dando sequência aos percursos históricos sobre a cidade de Braga, dedicámos a actividade de Maio ao conhecimento dos vestígios romanos na cidade, preparando, assim, o evento de recriação histórica "Braga Romana".
 
Cerca de seis dezenas de participantes ficaram a conhecer os locais, as ruas, os monumentos, os rituais e outras curiosidades da antiga cidade de Bracara Augusta, dando destaque à Casa das Carvalheiras, à Cloaca da BLCS e ao Peristilo do Museu Pio XII.
 
Obrigado a todos os nossos amigos que participarem nesta actividade e que ficaram a conhecer um pouco melhor as feições de Bracara Augusta!
 
Esta actividade é uma parceria da JovemCoop com a Braga+ com a colaboração da Fundação Bracara Augusta.

 
 


 

14 de maio de 2013

Crónica A Voz à Juventude (20) - Expropriações

"Correio do Minho" 14/05/2013




Expropriações

O executivo da Câmara Municipal de Braga votou, no passado dia 9, a expropriação urgente dos terrenos contíguos à Casa das Convertidas, para construir ali a nova Pousada da Juventude. Lembrámos que a primeira solução camarária para a Pousada era o Convento de S. Francisco (Real), chegando a CMB a elaborar o projeto de arquitetura e a realizar trabalhos arqueológicos (que custaram dinheiro aos cofres municipais) e submetendo uma candidatura ao QREN.
Em novembro de 2012, a JovemCoop e a Braga+ realizam um debate público sobre a Casa das Convertidas e, das várias opções lançadas no debate, a da Pousada da Juventude ganhou algum espaço privilegiado após o Sr. Vereador dar a indicação de que, se o Ministério da Administração Interna tivesse abertura para ceder o edifício, a CMB poderia localizar ali esse equipamento. Se, por um lado, esta atitude de auscultar a cidade foi louvável (como tem sido apanágio do Vereador Hugo Pires), por outro, lembrámos que esta ideia arrancou com dois anos de atraso e já com gastos efetuados em S. Francisco.
Sobre a Pousada e a sua localização, ninguém ouviu o Sr. Presidente da CMB falar até ao início de 2013, onde admitia que a Pousada viesse para a Casa das Convertidas e fizesse parte de um Plano de Reabilitação de Centro Histórico, recuperando as Convertidas e os imóveis contíguos. Da ideia à expropriação com caráter de urgência dos terrenos vizinhos passaram 3 meses e, nesse tempo, ninguém avançou com uma proposta de ideias, um desenho da Pousada ou dos equipamentos anexos, nem ninguém se lembrou se avaliar os terrenos. Em suma, o Presidente quer expropriar os terrenos, mas não sabe nem para quê, nem por quanto! Mas afinal, que ato de gestão é este? Além disso, veio-se a descobrir que os terrenos eram propriedade de um familiar do Sr. Presidente e que sobre os terrenos caíram já hipotecas avolumadas.
Um jornal de Braga referia que a CMB pretendia “adquirir por expropriação três artigos, cujo valor não é ainda conhecido, embora se trate do espaço com o maior valor por metro na cidade.
As obras no Monte Picoto avançaram, alicerçadas em expropriações urgentes, devido ao facto de justificar a execução da obra aos fundos comunitários; As expropriações nas franjas das Sete Fontes foram de caráter urgente para se construir a estrada do Hospital, permitindo acesso àquela unidade de saúde. Quando a cidade sugeriu que se expropriassem os terrenos do coração verde das Sete Fontes, para evitar que houvesse atos continuados de destruição do meio ambiente e do património, a resposta da CMB foi que não faria isso porque os terrenos eram muito caros – mas agora vai expropriar espaços com o maior valor por metro na cidade. As expropriações dos terrenos contíguos à Casa das Convertidas não assentam em qualquer explicação lógica, porque não há projeto, não há concursos, não há financiamento aprovado, não há nada a não ser um negócio nubloso.
Por muito que o Sr. Presidente da CMB alegue a transparência do processo, esquece-se de justificar a coerência e os gastos despropositados, sobretudo no ano em que o mesmo Sr. Presidente começou por enviar a mensagem de ano novo aos bracarenses dizendo:
Todos sabemos quão difícil está a ser o quotidiano de muitos dos nossos concidadãos, mormente daqueles economicamente menos favorecidos. Todos conhecemos o flagelo do desemprego que afeta grande número das famílias portuguesas e as suas consequências sociais. Todos damos conta de que a esperança em dias melhores morre a cada dia no coração de muitos de nós.". Por isso mesmo, solicito ao Sr. Presidente que, em vez de gastar dinheiro na expropriação dos terrenos vizinhos da Casa das Convertidas, aplique esse dinheiro em iniciativas e projetos de empreendedorismo e de ajuda à criação de emprego. Estou certo que os bracarenses agradecerão essa feliz ideia.
Crónica disponível em http://www.correiodominho.pt/cronicas.php?id=5125





13 de maio de 2013

CIDADANIA: comunicado a respeito das expropriações dos imóveis contíguos às Convertidas


Na sequência da decisão da Câmara Municipal de Braga de partir para uma expropriação de carácter “urgente” dos prédios contíguos ao recolhimento das Convertidas, tendo como justificação uma ideia assumida num debate público promovido pela JovemCoop e Braga + no passado dia 27 de novembro de 2012, cabe-nos fazer alguns esclarecimentos públicos a respeito da matéria acima exposta.

1. As duas associações demarcam-se totalmente da decisão votada no passado dia 9 de maio de 2013, em sede de reunião de executivo, e esclarecem que não foram contactadas a respeito desta expropriação “urgente”, ou de um futuro projecto que estivesse a ser planeado para uma futura Pousada da Juventude;

2. Efectivamente confirmamos que a ideia de tornar o antigo recolhimento das Convertidas na futura Pousada da Juventude de Braga foi comentada no debate público promovido por ambas as associações, e recordamos que o mesmo debate contou também com um compromisso tácito de entendimento entre o executivo municipal, representado pelo vereador Hugo Pires, e a oposição camarária, representada pelo vereador Ricardo Rio, não constando que tal diálogo tivesse sucedido;

3. Continuaremos a pugnar para que a sociedade civil bracarense exija dos responsáveis locais e nacionais a devida atenção para com um monumento da valia do antigo recolhimento de Santa Maria Madalena das Convertidas, exemplar barroco que está na posse legítima do Estado e se encontra em elevado e preocupante estado de degradação;

4. Porque o nosso interesse é a recuperação e valorização deste monumento e não os imóveis que lhe são contíguos, não entendemos a expropriação de carácter urgente, numa altura em que não se conhece um projecto para o local, não há financiamento garantido em sede do QREN, e nem sequer foi oficialmente cedido o edifício das Convertidas à autarquia. Acreditamos que as verbas alocadas para a expropriação seriam mais do que suficientes para recuperar as Convertidas, independentemente da ocupação que venha a deter;

5. Porque entendemos preocupante o facto, denunciado pela imprensa e por alguns agentes políticos, de existirem eventuais ligações familiares entre os agentes municipais e os detentores do direito de propriedade dos imóveis, entendemos que este negócio não deve ser validado sem antes ser devidamente esclarecido em sede judicial;

6. Até lá, as duas associações refutam qualquer envolvimento nesta decisão e repudiam, de forma veemente, a forma como a partir de ideias lançadas por cidadãos se invertem prioridades. A nossa prioridade é claramente e só o recolhimento das Convertidas!

A Coordenação da JovemCoop
A Direcção da Braga +
"Diário do Minho" 14/05/2013



8 de maio de 2013

Insólitos Sete Fontes: A misteriosa piscina de terra




Fotos captadas em 07/05/2013

Esta semana estamos a mostrar imagens de "coisas" insólitas nos monumentos bracarenses.

Ontem, em visita às Sete Fontes, deparámo-nos com um "paredão" de terra que configura um "tanque" ou uma piscina (pelo menos não deverá ter custado 8 milhões!!!).

Curioso é perceber que para repor a fachada da Minna dos Orfãos que derrocou em 2010, foi preciso esperar meses para...não proceder ao restauro, mas para preencher o buraco com terra; Agora, sem se perceber muito bem porquê e para quê, no mesmo local surge uma espécie de represa!
Definitivamente as entidades oficiais que tutelam o Complexo das Sete Fontes (DGPC; CMB, AGERE) tem muitas dificuldades em comunicar os seus procedimentos, na arrogância de quem nem quer prestar informações a quem por lá passa!

Algum dos nossos leitores nos sabe informar a que se deve isto e quem foi o autor desta "construção" em pleno coração verde do Monumento Nacional da Sete Fontes?

6 de maio de 2013

Geira ou Via Nova é Monumento Nacional

"Diário da República" - 06/05/2013

Milha XXXI - um dos locais mais conhecidos da Geira Romana

É uma notícia ESPECTACULAR!!!

Dez anos após da homologação de Monumento Nacional, foi ratificado hoje, em Diário da República, a classificação final, com o grau máximo das classificações.

A Geira, ou Via Nova, está finalmente classificada em toda a extensão do Concelho de Terras de Bouro, ao longo de 30 km, correspondendo às XX Milhas romanas naquele território.

--
A GEIRA

A Geira é o nome popular da VIA NOVA, também conhecida por Via XVIII do Itinerário de Antonino, um caminho romano que ligava duas importantes cidades do Noroeste da Peninsula Ibérica: Bracara Augusta, actual cidade de Braga, em Portugal e a cidade de Asturica Augusta, hoje Astorga, em Espanha. Esta Via romana ligava estas duas importantes cidades num trajecto de CCXV milhas, aproximadamente 318 km. A Geira, ou VIA NOVA foi inaugurada, provavelmente, no final do século I d.C., por volta do ano 80, sob a égide de Tito e Domiciano. 

Acredita-se que a construção da VIA NOVA veio reforçar a rede viária romana, conferiu maior mobilidade aos exércitos, permitiu um reordenamento do território e possibilitou uma maior actividade mineira e transição destes bens (sobretudo a circulação do ouro das Minas de Las Medulas, conjunto classificado como Património Mundial da Humanidade). 

A VIA NOVA conhece um traçado em diagonal que liga o triângulo político-administrativo e viário estabelecido por Augusto, com vértices nas três cidades: Bracara Augusta, Lucus Augusti e Asturica Augusta. 

A Geira saía de Bracara Augusta, passando actualmente pela zona do Areal,seguindo por Adaúfe, entrava no Concelho de Amares com a travessia do Rio Cávado em Barca de Âncede, e seguia pelas localidade de Caires e Paredes Secas e ao chegar ao Lugar de Santa Cruz, entrava então no Concelho de Terras de Bouro. Neste Concelho, a Geira está muito bem conservada ao nivel do seu traçado e dos seus vestígios arqueológicos. Em Terras de Bouro a Geira percorre as freguesias de Souto, Balança, Chorense, Vilar, Chamoim, Covide, Campo do Gerês e chega, por fim, à Portela do Homem, seguindo depois em território espanhol. 

Em Terras de Bouro, os vestígios arqueológicos são impressionantes: Existem mais de 150 miliários, que assinalavam as milhas na Via e davam a conhecer, ao viajante, a distância até à cidade mais próxima. Além dos miliários, em Terras de Bouro é possivel vislumbrar vestígios das Pontes Romanas (sobre o Ribeiro da Maceira, Ribeira do Forno, Ribeiro de Monção e a Ponte de S. Miguel, sobre o Rio Homem), calçadas com marcas de rodados, pedreiras de onde foram extraídos miliários e blocos de pedra para construir as pontes. Começam, também, a ser descobertos vestígios arqueológicos de pequenos povoados indígenas ou de apoio à construção da Via, que atestam a importância desta Via. 

O nome original da VIA NOVA (que pode ser lido em vários miliários que conservam esta inscrição) advém de já haver uma outra via que seguia também de Bracara Augusta para Asturica Augusta. Contudo o seu traçado era bastante diferente, seguindo por Aquae Flaviae (Chaves). Esta Via, com mais milhas do que a Geira, foi catalogada como Via XVII no Itinerário de Antonino. 


Desrespeitar um Monumento (2) Bom Jesus



Fotos captadas em 28/04/2013

Parece incrível, mas aconteceu.

Estas fotos foram captadas no passado dia 28/04, num Domingo de sol. 

Os visitantes, os caminheiros, os peregrinos e um qualquer comum cidadão passeavam pelos escadórios quando foram surpreendidos por uma habilidosa manobra em duas rodas.


Escada acima, escada abaixo, num cross desprotegido, sem capacete e sem zelar pela segurança dos transeuntes...e sobretudo porque ali, num Monumento de Interesse Público desde 1970, não é o local para praticar aquele desporto motorizado.

E o que fazer nesta situação???




Desrespeitar um Monumento (1) Sete Fontes



fotos Junta de Freguesia de S.Victor
 
No dia 30 de Abril, a Junta de Freguesia de S. Victor foi alertada para uma situação insólita.
Um indivíduo, que diz ser proprietário de um terreno localizado na área da Zona Especial de Protecção das Sete Fontes, vedou, com terras e paralelepípedos, que o acesso à Bica pública de água, quer o acesso ao Bairro da Alegria, nas traseiras do Novo Hospital de Braga.
 
A operação implicou a remoção de terras, danificando uma conduta de água pública da AGERE, sendo, naturalmente, uma acção não autorizada pelas entidades competentes.


Entre Aspas - Casa das Convertidas

"Diário do Minho" 06/05/2013

A Casa das Convertidas voltou à ordem do dia, sobretudo após a sua ratificação como Imóvel de Interesse Público e num período de transferência de competências, em que o edifício passa da gestão do Governo Civil para o Ministério da Administração Interna.

Após o debate promovido pela Braga+ e pela JovemCoop, em Novembro do ano passado, e tal como foi avançado AQUI (o Plano Alargado para a Casa das Convertidas), convém perceber o que é que está em causa neste processo...é a reabilitação e salvaguarda da Casa das Convertidas ou a oportunidade de negócio, numa fase de branda especulação imobiliária, nos terrenos anexos?

O Entre Aspas desta semana aborda, e bem este tema, dando a entender que, tal como no processo da Fábrica Confiança, nóa JovemCoop gostaría de ver ali instalada a Pousada, mas não a qualquer custo.

Braga Romana - CMB promove caminhada pela VIA XVII

"Diário do Minho" 06/05/2013
 
Via XVII no percurso de Este S.Mamede
 
Em plena Braga Romana, a Câmara Municipal de Braga promoverá uma caminhada pela Via XVII, uma das principais "Portas de Entrada" de Bracara Augusta.
 
Esta iniciativa, cujo ponto de encontro será na Praça Conde de Agrolongo, terá como ponto de partida o Castelo da Póvoa de Lanhoso, possibilitando aos participantes caminharem em direcção a Bracara Augusta.
 
A caminhada, além de percorrer sítios onde ainda são visíveis os sinais da construção romana, tem objectivos solidários, pedindo aos participantes, como inscrição, que levem um bem alimentar não perecível, contribuindo, assim, para o Banco Solidário de Braga.
 
Uma excelente iniciativa, que alia o  exercício físico e o património às causas solidárias.




Braga e a mobilidade em duas rodas

"Correio do Minho" 06/05/2013

Braga Trendy Cycle 27/04/2013

O Movimento de Cidadãos pela Mobilidade Sustentável na Cidade de Braga tem desenvolvido iniciativas muito interessantes, que provam que, em Braga, há pessoas com vontade e energia não só para encabeçar novas ideias, bem como para aderir às mesmas.

O Braga Trendy Cycle foi uma excelente forma de usar a bicicleta não como meio para a prática de desporto, mas sim como meio de transporte do quotidiano. Foi bonito ver tantas pessoas vestidas de forma casual ou mais profissional a dar ao pedal.

Nesta iniciativa percebe-se que há gente com vontade (e necessidade) de ter na bicicleta um meio de transporte que promove a mobilidade, que é saudável para o utilizador e para a cidade.

O Movimento de Cidadãos pela Mobilidade Sustentável na Cidade de Braga acaba de lançar o repto aos candidatos à CMB que pensem e incluam medidas para implementar e incrementar o uso da bicicleta na cidade de Braga, criando condições para a fruição deste veículo.

É necessário criar zonas de aparcamento autorizado e apropriado, bem como definir zonas próprias para a circulação deste meio (vias cicláveis) e que proporcionem segurança ao utilizador e aos restantes transeuntes.

Louvamos os autores desta proposta, bem como destas iniciativas "cheias de pedalada".

Dia Internacional dos Museus no Museu D. Diogo de Sousa

"Diário do Minho" 06/05/2013

Em 2013, por decisão do ICOM, o tema que irá nortear as comemorações do Dia Internacional dos Museus é Museus (Memória + Criatividade) = Mudança Social.

O Dia Internacional dos Museus e a Noite dos Museus coincidem este ano no dia 18 de Maio. Será oportunidade para que os espaços museológicos e patrimoniais, através de centenas de actividades e iniciativas muito diversas, se afirmem como espaços de memória e celebrem a criatividade e a inovação em estreito convívio com os seus públicos.

O Museu de Arqueologia D. Diogo de Sousa apresenta um programa muito interessante para celebrar o Dia e a Noite, com actividades pedagógicas, exposições, oficinas, venda de artesanato e projecção de filme.

A não perder, dia 18 de Maio.

2 de maio de 2013

Percurso Romano - Descobrir Bracara Augusta

Percurso Preparatório à Braga Romana


Assembleia Municipal: Das recomendações às acções

 

Por muito que nós gostássemos que o título da notícia, divulgada na RUM, fosse verdadeiro, infelizmente, o que foi aprovado na Assembleia Municipal foi, meramente, uma recomendação dos eleitos da CDU à Câmara Municipal de Braga para que assumisse a classificação deste Salão.

Aquilo que pretendemos afirmar é que, lamentavelmente, as propostas de recomendação feitas em sede da AM são "sugestões", sem carácter obrigatório ou vinculativo.

Por isso, torna-se importante passar das recomendações às acções e pressionar positivamente a CMB para que torne esta classificação uma realidade, dando voz e expressão a um conjunto de preocupações partilhadas por imensos cidadãos.

Precisamente há um ano, na Assembleia Municipal, de 20 de Abril, a AM recusava a recomendação da classificação do Salão Egípcio, sugerindo ainda, à CMB, que encontrasse nova localização para a Barbearia Matos (tal como pode ser lido AQUI). Passado um ano, a única boa notícia é a nova postura da AM que, desta vez, aceitou a recomendação de sugerir a classificação do Salão, porque quanto à barbearia Matos, nada de novo.

Vamos aguardar que a AM queira, de facto, tornar isto uma realidade, não se alheando de acompanhar esta recomendação.

Sete Fontes - Mais uma proposta, lamentavelmente, chumbada

"Diário do Minho" 02/05/2013

Os eleitos na Assembleia Municipal pela CDU apresentaram uma recomendação para que a CMB pudesse promover obras de minimização, que impedissem o avanço da deterioração do Complexo.

Sem surpresas, e num sinal claro que os eleitos do Partido Socialista não têm a mesma boa vontade do Sr. Vereador, Arq.to Hugo Pires, a proposta foi chumbada sob o argumento de que corre o Plano de Pormenor (?) e a CMB tem assegurado a preservação do espaço.

O que o líder da bancada do Partido Socialista provavelmente não percebeu é que o que ele referiu não impede a realização de obras de minimização no edificado, além de que é diferente falar do "espaço" de forma generalizada e falar sobre o edificado das Sete Fontes, de forma localizada e particular.

Assumindo que os funcionários da AGERE têm desobrtuído e limpo as canalizações, bem como a área de um corredor/canal de cerca de três dezenas de metros, importa acrescentar que as padieiras continuam a fracturar e os rebocos a cair. As portas são constantemente vandalizadas e, agora, até os muros têm vindo a ser destruídos. Impõem-se obras de preservação do edificado, independentemente das obras que vierem a acontecer no "espaço", até porque, no debate decorrido no dia 18, ficou por responder se o PP contemplava obras de restauro. Sem resposta, há que continuar a perguntar e questionar, tal como fez, e bem, a CDU.

CMJ: Finalmente o regulamento

"Diário do Minho" 02/05/2013
 
Foi aprovado, na última Assembleia Municipal, o regulamento do Conselho Municipal da Juventude, órgão consultivo que auxiliará a CMB a desenvolver políticas para a Juventude.

Este orgão, que há muito se reclama investimento para funcionar, conhece agora novas regras, aprovadas pelos partidos com assento na Assembleia Municipal, exceptuando o BE e a CDU.

Vemos com regozijo esta aprovação, lamentando, contudo, que o regulamento nunca tenha sido dado a conhecer às associações de Braga, para que pudessem opinar sobre os artigos a inscrever no regulamento. Não sabemos se o regulamento está adaptado à maior e melhor participação das associações, ou se, de algum modo, pode condicionar a actuação das mesmas.

Veremos o que o futuro dirá.

Pousada da Juventude: A diferença entre construir e gerir

"Diário do Minho" 01/05/2013

O novo Secretário de Estado do Desporto e Juventude, Emídio Guerreiro, afirmou no passado dia 30/04, à margem do Dia do Associativismo Jovem, que a nova Pousada da Juventude "vai ter que esperar mais algum tempo".

Escusando-se a alongar em afirmações sobre este processo, o Secretário de estado deu a entender que a Nova Pousada da Juventude está em stanby devido à reestruturação da tutela, agora que a MoviJovem (cooperativa que geria as pousadas de juventude) se encontra em liquidação.

Ora, a construção da Pousada foi uma vontade assumida pela Câmara Municipal de Braga, no âmbito da Braga2012:Capital Europeia da Juventude. Foi submetida uma candidatura ao QREN para este fim, que esta sim, está em standby, logo não depende da vontade da tutela.

O que o Sr. Secretário de Estado poderia querer dizer é que a gestão da Pousada da Juventude pode ficar em standby se a CMB decidir contratualizar com esta Secretaria de Estado a sua gestão, algo que aí sim, compreendemos.

Mas se a CMB optar por um outro modelo de gestão, de iniciativa privada, público-privada ou de outro género, então não terá que depender da tutela.
Poderá não ser uma Pousada da Juventude inscrita na Rede de Pousadas da Juventude, mas não deixa de ser u m organismo para albergar jovens.

Se a CMB entender (e bem, da nossa óptica) concentrar uma Nova Pousada da Juventude, no centro da Cidade de Braga, após entendimentos com o Ministério da Administração Interna, então não teremos que esperar pela reestruturação dos serviços, como advogou o Sr. Secretário de Estado.
Ficaremos somente dependentes da capacidade de execução da CMB.

E se esse novo equipamento auxiliar o processo de conservação e restauro da Casa das Convertidas, então será bem-vindo.

GNRation ON: Um equipamento cultural para Braga

"Diário do Minho" 02/05/2013
 

Foi imaugurado ontem, dia 01 de Maio, o novo espaço multifuncional, com várias valências culturais, reaproveitando a estrutura do antigo quartel da Guarda Nacional Republicana.

Perpetuando a memória austera da disciplina da GNR, mas inovando no conceito, o espaço foi baptizado de GNRation e abriu portas para servir os bracarenses.

O edifício foi desenhado para assentar em três eixos fundamentais: a animação cultural (pátios e black box), sobretudo com um forte investimento na área musical; o Laboratório Digital e o espaço de empreendedorismo (co-work e lojas comerciais).
Aliado a estes 3 eixos, surgem, ainda, a Casa do Conselho Municipal da Juventude entre outras áreas que podem ser utilizadas para múltiplos fins.

O Vereador da CMB, Arq.to Hugo Pires "esclarece para que servirá afinal este projeto que esteve envolvido em polémica nos últimos meses. 

“Afinal o que é o GNRation? Perguntam-me se é um novo espaço cultural ou um lugar de acolhimento de associações juvenis, perguntam-me se é uma incubadora de empresas ou um espaço comercial e inovador, se é uma área de co-working ou um centro de formação e qualificação, se é uma sala de concertos ou uma residência para artistas em criação, se é um laboratório digital ou uma galeria de arte, se é um sítio para investigar ou para o lazer e entretenimento. O GNRation é tudo isto e muito mais. O GNRation é a resposta aos problemas e desafios do século XXI”.
 
A partir de hoje, o espaço é da cidade, como revela Hugo Pires. “A partir de hoje o GNRation deixa de ser da câmara municipal e passa a ser de todos os bracarenses e de todos os que querem fazer de Braga a sua cidade para trabalhar, estudar e visitar. Passa a ser dos jovens de todas as idades, origens sociais e habilitações académicas. O GNRation é o novo lugar de encontro de Braga consigo própria e com o mundo. O lugar onde os criadores encontrarão outros criadores e os seus públicos, onde as ideias encontrarão novas ideias, onde a inovação se transformará em negócios, onde se colaborará, exprimentará, arriscará e onde se vai falhar, com certeza, e acertar também”. "

retirado da RUM