2 de dezembro de 2016

Missões "Põe Azeite" e "Sobre a Manjedoura"

Como já vem sendo habitual, o Grupo Coral de Guadalupe, realiza este a oitava edição da missão "Põe Azeite". Esta missão tem como objetivo angariar as garrafas de azeite que irão compor os cabazes de natal entregues pela Comissão Social de S. Victor. Pode deixar a sua garrafa na Capela da Nossa Senhora de Guadalupe, aos domingos, a partir das 11h.





Na missão "Sobre a Manjedoura", que vai na sua quarta edição, o Grupo Coral de Guadalupe pede que todos contribuam com artigos de bebé e higiene. Poderão também levar outros bens que julguem fazer sentido oferecer neste Natal. O local de entrega é também a Capela da Nossa Senhora de Guadalupe, aos domingos, a partir das 11h.



Qualquer que seja a missão, o mais importante é que COLABORE!!! Nesta época de solidariedade, não deixe de se associar a uma causa, e de contribuir para que todos tenham um Natal recheado de alegria.

15 de novembro de 2016

Crónica "Estará Braga em risco?"


Estará Braga risco?

Desde o passado sábado, dia 12, a cidade de Braga está em Risco. Um risco que irá preencher as linhas da cidade até dia 20 de Novembro e que faz de Braga uma cidade culturalmente mais rica.

Falamos do primeiro encontro de ilustradores da cidade de Braga, que coloca Braga no risco de inúmeros ilustradores de renome internacional. Braga em Risco conta com inúmeras atividades das mais diversas áreas artísticas, sendo a principal a ilustração. Com uma exposição central na Casa dos Crivos, intitulada de “Braga 22x22”, nesta exposição podemos perceber como é que outros veem a nossa cidade, desde ver Braga por um canudo, até à chuva que tanto nos caracteriza, cada ilustrador mostra-nos como vê Braga, e permite-nos, através do seu desenho, que vejamos também nós a cidade de várias perspectivas. Partindo desta exposição central, todos são convidados a conhecer as restantes cinco exposições espalhadas por alguns recantos da nossa cidade, como o Museu da Imagem, a antiga Sapataria Arcádia, ou o Posto de Turismo.
Damos particular destaque à exposição presente na Torre de Menagem, com o tema “Rostos da Minha Terra”, uma exposição onde os desenhos são dedicados às personagens mais importantes da história da cidade, tal como André Soares, Dom Diogo de Sousa, Carlos Amarante, Francisco Sanches, entre muitos outros. Para nós, esta exposição é uma excelente forma de dar a conhecer aqueles que tanto fizeram pela nossa cidade, aqueles que desenharam alguns dos nossos principais monumentos ou verdadeiramente prezaram pela conservação do património da cidade. O Braga em Risco é um evento que une a cidade ao património de uma forma única, e que deve realmente ser valorizada.
Um outro momento de grande união da cidade com o seu património foi a segunda Gala Coral – Vozes, uma gala organizada pela Câmara Municipal de Braga e pelo Coro Académico da Universidade do Minho, que levou seis coros amadores ao grandioso palco do Theatro Circo. Na nossa opinião, mais do que uma gala, este espectáculo é uma bonita forma de dignificar todos os coros, que de forma graciosa enriquecem a nossa cidade de vozes e cultura musical, destacando, ainda, o mais precioso dos instrumentos, que é a voz.

Deste modo, podemo-nos aventurar dizer que novembro está a ser um mês pleno de atividades, em que mais uma vez Braga dá provas de ser uma cidade viva, que nunca esquece a sua história. Assim esperamos que Braga saia do Risco, e ouse tornar realidade o tão ansiado pulmão que a cidade merece. O Parque Verde das Sete Fontes, que teima em não sair do papel é uma lacuna que Braga precisa preencher, e que vem sendo eternamente adiada. Será o Parque Verde das Sete Fontes um projeto realmente em Risco?


Queremos acreditar que ainda muito será feito por Braga, e que a união perfeita entre a natureza e o património, sairá por fim do papel, para que, quem sabe, já numa segunda edição do Braga em Risco, Braga seja desenhada com mais tons de verde, e não nos tons cinzentos que outrora pintaram a cidade.

25 de outubro de 2016

Braga Assombrada 2016



Na noite de 29 de outubro, às 22h00, a JovemCoop e a Braga Mais vão desvendar segredos sombrios na cidade de Braga. Venha descobrir o que escondem as profundezas da Braga Assombrada!
Em breve teremos mais novidades!

18 de outubro de 2016

Crónica: "Outubro, um mês de uma só cor!"

Se pensarmos no mês de outubro e lhe tentarmos atribuir uma cor, a tendência será escolhermos um tom quente típico de outono, entre um amarelo ou um vermelho, cores típicas das folhas caídas no chão. Contudo, a cor de Outubro não será, ou pelo menos não deveria ser, nenhuma dessas. A cor de outubro, caro leitor, é o ROSA!
Outubro é o mês Internacional da Prevenção Contra o Cancro da Mama, um mês em que as ações de sensibilização são reforçadas para alertar para uma doença que cada vez mais se impõe na sociedade. Todavia, este ano o mês de outubro, em Braga, tem um rosa muito mais forte do que em anos anteriores, tem um rosa de um só tom, pois todas as entidades, associações e movimentos da nossa cidade resolveram unir as suas forças e todos juntos celebrarem este mês. No Outubro Rosa colaboram a Delegação de Braga da Liga Portuguesa Contra o Cancro – Unidade de Psico-Oncologia, o Rosa Vida, a Amados, o Vencer e Viver, o Hospital de Braga, a ACES e a Câmara Municipal de Braga.
Neste mês, devido à união de todas estas entidades, é fácil cruzarmo-nos com o laço cor de rosa, pois são muitas as iniciativas que preenchem o calendário. O pontapé de saída foi dado no Fórum Rosa, uma iniciativa que contou com diversos oradores que partilharam as suas visões sobre a doença, que para uns é o seu trabalho e para outros foi uma dificuldade ultrapassada. Seguiu-se a Mancha Rosa, uma iniciativa no centro da cidade que tinha como objetivo alertar as pessoas para a existência desta doença, que decorreu no último sábado Dia Mundial da Saúde da Mama.
Mas são ainda muitas as iniciativas que estão reservadas para a última metade do mês. A próxima será dia 21, pelas 21h30, no Parque de Exposições um Concerto Rosa, cuja receita reverte a favor das associações envolvidas. Neste Concerto participarão: Pedro Macedo, Ent’Artes e os The Classic, os bilhetes de ingresso estão disponíveis para venda, com o custo de 7,50€. No próximo sábado, no Mosteiro de Tibães, será o Desfile Rosa, da estilista Bracarense Elsa Barreto, onde algumas das modelos serão testemunhos vivos da doença. As atividades terminam no domingo, dia 23, com a PinkRun, uma caminhada pelo centro da cidade que pretende não só alertar para a prevenção da doença, mas também angariar fundos que irão apoiar doentes com cancro de mama. Os kits para esta marcha terão o custo de 5€ e são constituídos por uma t-shirt, um boné, uma peça de fruta e uma garrafa de água. A partir de hoje até ao dia 21, os bilhetes, para ambas as iniciativas, poderão ser adquiridos no Minho Center.
Atividades não faltam neste Outubro Rosa, atravessando as mais diversas áreas de interesse, portanto ninguém deve ficar indiferente a uma causa que cada vez mais é de todos. De louvar são também as sinergias criadas entre todas as entidades, movimentos e associações, que a título voluntário todos os dias se disponibilizam para dar apoio aos doentes e seus familiares, neste momento mais delicado.
É certo que todos os meses são meses do cancro da mama, mas neste em especial, vamos juntar-nos à causa Rosa e ajudar. A JovemCoop, veste a camisola Rosa e coopera com esta causa.


27 de setembro de 2016

Celebrar o Dia Mundial do Turismo




Hoje comemoramos o Dia Mundial do Turismo de uma forma muito singular, que não nos poderia deixar mais orgulhosos. 
Fomos desafiados pela Profitecla a abrir as portas das Sete Fontes, para que os seus alunos pudessem assim vir conhecer um dos Monumentos Nacionais de que mais ouviram falar na cidade. Foi com imenso gosto que acolhemos mais um grupo, neste que para nós é um dos locais mais especiais. Sendo o Complexo Eco-Monumental das Sete Fontes, um lugar onde a natureza se cruza com o património de um modo único, foi este o lugar escolhido para a JovemCoop criar sinergias com a Profitecla . 
Com as Sete Fontes e a Junta de Freguesia de S. Victor a apadrinhar esta união,estamos certos de que este protocolo de colaboração dará muitos e bons frutos no futuro. Juntos continuaremos a pensar no parque verde das Sete Fontes, mais do que um parque que Braga merece, é um pulmão que a cidade necessita.


20 de setembro de 2016

Crónica: "Braga, uma cidade melhor?"


Braga, uma cidade melhor?

Desde o passado dia oito de setembro, a cidade de Braga deu mais um passo na construção de um futuro melhor. Nesse dia foi criado o Conselho Estratégico para a Regeneração Patrimonial e Urbana de Braga (CERPUB).
O CERPUB é constituído por diversas valências do universo municipal, cinco personalidades de referência nacional na área da regeneração urbana e também por duas associações locais que prezam pela defesa do património, sendo estas a JovemCoop e a ASPA. Muitos nos honra o convite para pertencer a um conselho que tem todas as ferramentas para fazer de Braga uma cidade melhor, uma cidade que preserva, cuida e, acima de tudo, que respeita.
Durante a primeira reunião do CERPUB, todos os elementos disseram, na sua perspectiva, o que deve ser resolvido na cidade. Desde iluminação, passando pela economia local, nunca esquecendo o património e a mobilidade, muitos foram os aspectos abordados nesta reunião. Com tantas áreas distintas de intervenção, e percebendo realmente que muito há para fazer, depressa se concluiu que é necessária a criação de objectivos e o estabelecimento de prioridades. É indispensável haver um consenso e perceber o que urge fazer pela nossa cidade, uma cidade que é de todos e para todos.
Mas seremos realmente uma cidade para todos? Durante estes dias está a decorrer a Semana Europeia da Mobilidade, onde a JovemCoop foi convidada a participar e desafiada a reflectir sobre a mobilidade reduzida. De imediato aceitamos o desafio e realizámos um pedipaper que, ao mesmo tempo que dava a conhecer um pouco mais da história da nossa cidade, trataria questões relacionadas com a falta de mobilidade. Depressa percebemos que existem inúmeros locais, com interesse histórico, que não estão realmente preparados para receber todas as pessoas. Falamos até de locais que ao lado de escadas têm uma rampa de acesso, uma rampa que, para quem utiliza uma cadeira de rodas e preza pela sua independência não garante o acesso ao edifício. O que acontece é que a rampa ajuda realmente, mas apenas se tiver alguém que se disponibilize a empurrar, caso contrário dificilmente conseguirá subir e descer será, também, um desafio. No entanto, ter a rampa é realmente um bom começo, pois existem locais classificados como Imóvel de Interesse Público que não possuem rampas de acesso. Falamos, por exemplo, do Parque de Guadalupe, um miradouro bastante restrito na cidade. Basta ir apenas uma pessoa com um carrinho de bebé que já não tem possibilidade de entrar no parque, pois logo se depara com um acesso reduzido a escadas sem qualquer outra alternativa. Somos então uma cidade realmente de todos?
É certo que estão a ser feitas melhorias e que Braga está realmente a trabalhar para ser uma cidade acessível a todos, prova disso é o projeto “Eu já passo aqui” lançado durante a Semana Europeia da Mobilidade, mas é importante sermos realmente uma cidade inclusiva, que garante o acesso a todos os seus espaços.
Deste modo, reconhecendo o enorme trabalho que tem pela frente o CERPUB, com questões relacionadas com as mais diversas áreas, desejamos que este não seja mais um conselho do município, mas que seja realmente um conselho que funcione, que mostre resultados. Muito se pode fazer por Braga, e desde que haja vontade, tudo se vai conseguindo aos poucos. Por esse motivo deixamos grandes expectativas no que ao CERPUB diz respeito. Vamos lá fazer de Braga uma cidade melhor.

18 de setembro de 2016

Pedipaper 2016 | Semana Europeia da Mobilidade - Resultados

Ontem a JovemCoop, juntamente com a Câmara Municipal de Braga, realizou um pedipaper pelo centro histórico de Braga. Esta atividade tinha como objetivo não só dar a conhecer um pouco da história da nossa cidade, mas também sensibilizar todos os participantes para questões ligadas à mobilidade reduzida. Será que somos realmente uma cidade acessível a todos?
Teremos realmente bons acessos?

Fazemos um agradecimento especial à Junta de Freguesia de S. Victor que se prontificou a ceder-nos todo o material ortopédico utilizado na atividade.

Deixamos agora as classificações da atividade:



Primeiro Lugar "Os Sousas"




Segundo Lugar "As Mães"



Terceiro Lugar "As Maiores"

Quarto Lugar "Octávios"
Quinto Lugar "Stars"
Sexto Lugar "W.P.T."
Sétimo Lugar "Tourita"

Um agradecimento especial a todos os participantes que numa tarde de sol, onde as atividades abundavam em toda a cidade, aceitaram o desafio de conhecer melhor Braga. 



14 de setembro de 2016

Pedipaper 2016 | Semana Europeia da Mobilidade


É já no próximo sábado 17 de Setembro, que a JovemCoop, com o apoio da Câmara Municipal de Braga, irá realizar um Pedipaper pelo centro histórico da cidade de Braga.

Esta atividade está inserida no âmbito da Semana Europeia da Mobilidade, e para isso preparamos algumas surpresas para quem vai participar.

O início será na Praça do Município, às 15.00h.

 As inscrições devem ser feitas para: info@jovemcoop.com [nome completo e B.I]


PARTICIPA!!!

16 de agosto de 2016

37 anos a Cooperar


37... já lá vão 37 anos desde que a JovemCoop nasceu para mudar a vida de centenas de jovens. ora vejamos...
Em 37 anos vários jovens levaram o nome da JovemCoop mais longe com os inúmeros intercâmbios por nós realizados.
Em 37 anos vários Jovens de outras nacionalidades vieram conhecer Braga e quem os recebeu foi a JovemCoop.
Em 37 anos ensinamos os jovens a gostar da sua própria cidade, e percebemos que mais do que conhecer o mundo lá fora importava conhecer a nossa casa, a nossa identidade, a nossa cidade.
Em 37 levamos muitos jovens a acampar pela primeira vez, connosco aprenderam a montar uma tenda, a cozinhar, a lavar a loiça, a conviver no meio da natureza.
Em 37 anos ensinamos os adultos a serem mais tolerantes e a aprenderem a colaborar com os jovens que não dizem coisas assim tão disparatadas.
Em 37 anos percebemos que realmente o futuro está nas mãos dos mais novos, e que essa era realmente a geração com que precisavamos de trabalhar. Percebemos que não se vive só de passado, nem só de futuro, mas que ambos têm de andar interligados para que tudo faça sentido.
Em 37 anos apostamos em juntar o património, a cultura, o desporto e a natureza. Com atividades para todas as idades e para todos os gostos, apostamos num trabalho de educação não formal continuo.
Em 37 anos, conseguimos mudar o rumo da cidade de Braga. Salvaguardamos as Sete Fontes, abraçamos o Parque de Guadalupe, lutamos pelas Convertidas, mas acima de tudo em 37 anos contribuímos para uma cidadania mais viva em Braga.

No fundo foram 37 anos de muito trabalho por parte de todos os que um dia passaram pela JovemCoop e resolveram dedicar-lhe um pouco do seu tempo. Foram 37 de Cidadania Ativa, em prol de jovens mais conscientes e de uma cidade melhor.

Foram 37 anos vitoriosos mas que não podem ficar por aqui. Hoje comemoramos o nosso 37º aniversário, mas comemoramos também os muitos que virão e que nos fazer sermos cada vez mais e melhores.

"As coisas só têm sentido, se dermos sentido às Coisas", e quem passa pela JovemCoop percebe que há um sentido que fica para a vida, uma consciência critica, competências exploradas e muitas vezes adquiridas, que nunca esqueceremos de onde vêm.

Parabéns a todos nós, que um dia aceitamos o desafio de pertencermos à JovemCoop!!

Parabéns minha querida JovemCoop, e que contes muito mais do que os próximos 37!!

22 de julho de 2016

O Nosso Património - dia 15


Olá a todos,
Hoje, começamos por ir à Casa das Convertidas. No átrio explicaram-nos para que é que servia esta casa. Este sítio tinha sido construído por iniciativa do Arcebispo de Braga, D. Rodrigo Moura Teles, para acolher "mulheres pecadoras convertidas a Deus". Neste momento encontra-se abandonado e em degradação. 
Depois, fomos à Igreja de Montariol que pertence ao Seminário de Montariol em Braga. Por ter sido construída sobre o Monte Calvelo, tornou-se um dos miradouros da cidade. Ela foi comprada pelos jesuítas para aí construírem a sua Casa de Formação. 
De seguida, fizemos um almoço partilhado onde cada um levava a sua especialidade. Algum tempo mais tarde fizemos um passeio pela mata até a um miradouro e tiramos uma foto de grupo.
Depois, preparamos as nossas coisas e fomos embora.

Este, foi um dia da atividade "O nosso património".


Ricardo


Olá!
Hoje,dia 22 de Julho de 2016,"o nosso património" ,realizou uma visita ao antigo recolhimento de Santa Maria Madalena e São Gonçalo das Convertidas e um almoço partilhado,na parte de tarde, em Montariol.
O Recolhimento das Convertidas foi mandado construir por D. Rodrigo de Moura Telles, no século XVIII,arcebispo de Braga. 
Neste momento o Recolhimento das Convertidas é aberto ao público apenas três dias do ano.
O Recolhimento servia para acolher as mulheres que queriam converter-se a Deus,uma vez que  estavam arrependidas dos erros cometidos.
Nós visitamos a capela ,o átrio e vimos também a "Roda". 
De seguida,reunimos na junta de freguesia,e dirigimo-nos para Montariol.
Visto que ainda era cedo para almoçar fomos visitar a Igreja de Montariol.
A Igreja de Montariol possui um estilo arquitectónico denominado de "neoclássico", lá podemos ver um órgão de tubos e um Jesus Cristo com uma altura de 5 metros. Ela está situada no Monte Calvelo.
A Igreja foi comprada por jesuítas no início de 1562, passando, depois para a ordem dos franciscanos até 1911, de seguida para o estado e por último para a ordem dos franciscanos.
Depois fomos almoçar, onde partilhamos as nossas especialidades.
Ao fim de almoçarmos, fomos ate ao cruzeiro, onde tiramos uma foto de grupo.
De seguida voltamos para a junta.
Para mim foi um dia excelente,porque podemos conviver e descontrair um pouco com os nossos colegas/amigos.
Luís Barbosa

21 de julho de 2016

O Nosso Património - dia 14




Olá a todos,

Hoje, na junta de freguesia, a Gui esteve a falar-nos do que íamos fazer . Explicou que a Jovemcoop está envolvida no Projeto Rios, em projeto original de Espanha e que Braga adoptou. O Projeto Rios consiste em adotar um troço de um rio, neste caso do Rio Este, e monitoriza-lo , isto é, fazer algumas ações de limpeza, verificar o estado da água, e acima de tudo sensibilizar as pessoas para a proteção do ambiente.
De seguida fomos para a rodovia preencher fichas sobre uma parte do rio este, que vai desde o centro de nano tecnologia até o fim do complexo desportivo da rodovia .
Nas fichas falava sobre animais e plantas que existem junto ao rio. Depois fomos fazer descobertas dentro do rio como por exemplo medir a temperatura da água ,ver a que velocidade corre e tentar identificar algumas espécies que por lá habitam. 
Quando terminámos , voltamos todos para a junta e fomos embora .

Raquel 




20 de julho de 2016

O Nosso Património - dia 13





Boa Tarde,


Hoje no Nosso Património fomos até à Capela de S. Victor o Velho. A capela do século XIX está localizada no lugar onde S. Victor foi degolado. A história do Santo Mártir remonta aos tempos romanos durante as comemorações à deusa Ceres. Ao passarem onde estava S. Victor, perguntaram-lhe se queria juntar-se a eles. Ao negar, professou a sua fé a Deus e, furiosos, levaram-no a um juiz. Quando ele negou novamente, foi sentenciado a tortura. Depois de negar uma terceira vez, os populares protestaram e pediram a morte. Então, S. Victor foi degolado numa ponte no rio Este, na zona onde chamamos a zona das Goladas.
Depois de nos contarem esta lenda, vimos a capela por dentro e, de seguida, preenchemos as fichas móveis e de sitio. No final, voltamos à junta para terminar o dia. 
Eu gostei muito deste dia porque fomos conhecer uma capela  que provavelmente nunca iria ter conhecido e saber o sitio onde foi martirizado o santo que dá nome à freguesia.

André Lucena


Bom dia, 

começamos este dia na junta de freguesia onde realizamos uma dinâmica de grupo.  
De seguida dirigimo-nos para a capela de S. Victor o Velho que se localiza na zona das Goladas, o nome desta área da freguesia vem da história de S.Victor um santo martirizado que teria sido degolado numa ponte que estaria nesta zona. A história do santo foi explicada pelo monitor Eduardo, que de seguida nos mostrou o interior da capela.
Após preencher-mos as fichas património móvel e imóvel dirigimo-nos de volta a junta onde fizemos outra dinâmica.

Duarte Oliveira

Hoje, juntamos ao nosso habitual diário o quarto episódio da websérie sobre S. Victor. Uma excelente alternativa para quem quiser saber mais um pouco sobre a nossa freguesia e que se encontra à distância de um click. 


19 de julho de 2016

O Nosso Património - dia 12

Olá jovens cooperantes,

Hoje visitamos a Fonte do Ídolo e lá explicaram-nos as suas origens e respetiva história. No início disseram-nos que a Fonte do Ídolo é datada do século I d.C., ou seja, início do período romano. A Fonte do Ídolo foi mandada construir por Celicus Fronto. Era um “santuário” de adoração aos Ídolos (deuses) dos bracaros. São eles: Nabia Fortuna e Tongoe Nabiagoi (que significa: junto à fonte eu juro, eu prometo). A fonte considera-se num razoável estado de conservação.
Visitamos também as Termas Públicas do Alto da Cividade, onde assistimos a um vídeo sobre a estrutura, as suas alterações ao longo dos tempos e também o circuito de banhos em cada uma das fases (1ª, 2ª, 3ª e 4ª). Depois saímos para ver as ruínas das termas e do teatro. No final voltámos para a junta de freguesia.
E assim acabou mais um dia.


Guilherme e Tiago



18 de julho de 2016

O Nosso Património - dia 11



Olá!

Hoje, dia 18 de julho, como habitual, encontramo-nos na junta pelas 9:30h, para mais um dia no “Nosso Património”.
Inicialmente foi realizada a chamada, pelo monitor Filipe, e foi-nos dito quais os locais que iriamos visitar nesse dia.
Saímos da junta por volta das 10h, e dirigimo-nos para antiga fábrica “Saboaria e Perfumaria Confiança”. O monitor Antunes fez uma pequena apresentação sobre a fábrica, nomeadamente, quem a construiu, em que ano se realizou a sua abertura e o seu fecho, etc.
De seguida, cada grupo de participantes, preencheu uma ficha de sítio da fábrica, visto que esta é bastante antiga e se encontra quase destruída.
Quando todos finalizamos as fichas, seguimos para a Casa das Goladas, onde o monitor Filipe apresentou a mesma dizendo onde ficava, de onde vem o seu nome, quem é o proprietário e falou de várias características, que infelizmente não conseguimos ver, pois o estado de conservação da mesma é mau, impossibilitando-nos de entrar.
Os grupos voltaram-se a reunir e preencheram mais uma ficha de sítio desta habitação. Voltamos para a junta e aí foi proposto aos grupos que escrevessem um texto sobre um ou os dois sítios que tínhamos visitado com o objetivo de conseguirmos voltar a dar “uso” aos mesmos. Assim concluímos mais um dia do “Nosso Património”.

Carla e Catarina

15 de julho de 2016

O Nosso Património - dia 10

A Maria e a Mariana foram as participantes encarregues de fazer o texto do dia de hoje, aqui ficam os seus testemunhos.

----------------------------------------------------------------------------------------------------------
Maria

Olá,
Hoje dia 15/07/2016 o "Nosso Património" foi visitar as Sete Fontes, um monumento que está avaliado como património nacional desde maio de 2003.

A construção das Sete Fontes deu-se quando o Arcebispo de Braga, D. José de Bragança, perguntou à Câmara sobre o funcionamento da água em Braga. E então em 1744 foram construídas as duas primeiras "mães d'água" sendo a última construída em 1752. 

Em 2014 foram feitas obras de restauro, deixando-as muito mais bonitas. 

A construção das "mães d'água" trouxe muitos benefícios para a população.

Ainda hoje há casas onde a água das 7 Fontes chega.

Eu gosto muito de visitar as Sete Fontes porque além de ser ao ar livre podemos entrar dentro das minas e ver as "nascentes". Por isso aproveitem todos para visitar as Sete Fontes com os vosso amigos ou com a vossa família.

E assim acabou mais um dia com uma excelente companhia.

Até amanhã.
----------------------------------------------------------------------------------------------------------
Mariana

Olá!
Hoje, dia 15 de Julho, como habitual, reunimo-nos na junta por volta das 9.30h, para mais um dia no “Nosso Património”.

Após um breve diálogo e a chamada, feita pela monitora Margarida, iniciámos a nossa caminhada com destino às Sete Fontes. 

Durante a caminhada fizemos uma pequena paragem na capela de S. Vitor-o-Mártir, da qual apenas resta a fachada. A monitora Margarida fez uma apresentação da mesma e alertou-nos para a importância da preservação do nosso património, uma vez que esta capela está praticamente toda destruída o que nos impede de a visitarmos.

Quando chegamos às Sete Fontes fomos recebidos pelo Sr. Joaquim, que nos fez uma breve introdução sobre a construção das mesmas pelo Arcebispo D. José de Bragança e nos apresentou, em primeiro lugar, as mães d’água gémeas, sendo que este nome se deve ao facto de ambas terem sido construídas no mesmo ano, em 1744.

Na primeira mãe d’água entramos em grupos pequenos, uma vez que o seu espaço também é reduzido, para ver o seu interior. Para entrar na segunda mãe d’água fomos divididos em dois grupos e enquanto um grupo seguia o Sr. Joaquim pelo túnel da direita, o outro seguia o monitor Francisco pelo túnel da esquerda. No final do túnel da direita observamos uma pequena cascata que se encontrava a 4 metros de altura, no final do túnel da esquerda foi feita uma pequena explicação sobre a função do respiradouro pelo monitor Francisco.