27 de novembro de 2012

Crónica A Voz à Juventude (15) Reconverter as Convertidas-debate

"Correio do Minho" 27/11/2012


É hoje que a JovemCoop e a Braga+ realizam um debate público sobre o futuro a dar à Casa das Convertidas!

Pensar a cidade é missão de cada cidadão e, por isso, não nos devemos ausentar nem alhear das discussões que podem contribuir para uma salutar vida comunitária.

Fica o convite para participar, connosco, esta noite, às 21h (acolher os convidados - início do debate às 21h30) na Casa dos COIMBRAS, neste debate público que contará com as participações do ex- Governador Civil José Araújo, do Vereador do Urbanismo Hugo Pires, de Manuela Sá Fernandes, representante do Grupo Folclórico Dr. Gonçalo Sampaio e Carlos Aguiar Gomes, da Associação Famílias. Rui Ferreira, da Braga+ fará a contextualização histórica do edifício.

Não visamos, com este debate, impor a nossa proposta, mas sim recolher novos contributos para apresentar à entidade que detém a tutela do antigo recolhimento.

Mais informações em: http://www.facebook.com/events/168442213299017/



Trilhos Bragueses (2) - D. Diogo de Sousa

"Diário do Minho" 26/11/2012

O Jornal "Diário do Minho" continua a investir na divulgação do Património Bracarense, acção louvável para quem ama a cidade de Braga.

Este segundo "Trilhos Bragueses" apresenta um percurso pela vida e obra do arcebispo D. Diogo de Sousa, personagem de enorme relevância no desenvolvimento da cidade, a nível do urbanismo, arquitectura, da cultura, da arte, entre outros.

A "nova" Braga de D. Diogo de Sousa merece ser conhecida pelos bracarenses, pela forma de pensar a cidade, mas também pelas pessoas que nos visitam, por ser uma peça incontornável da história de Braga.

Porque há pouco tempo, a JovemCoop, guiada por Rui Ferreira (o autor dos Trilhos Bragueses) ficou a conhecer esta "nova" Braga, convidamos os nossos leitores a visualizar os sítios por onde passámos.







Feira do Livro 2012

"Diário do Minho" 27/11/2012

Depois de vários anos a definhar e a protelar o seu desaparecimento, a Feira do Livro volta, este mês de Dezembro, em formato renovado.

Desde logo numa data atactiva, pois o livro é sempre uma boa prenda natalícia; descola-se a Feira do Livro de Braga das gigantes feiras do Porto e Lisboa, que retiravam editoras e livreiros ao certame bracarense; Além do mais, este ano, a Feira do Livro assenta num Parque de Exposições de imagem renovada e com uma filosofia empreendedora.

Já que as anteriores edições perderam brilho, é de louvar esta atitude dinâmica de querer potenciar, novamente, a Feira do Livro de Braga. Que esta edição "zero" seja um sucesso, renovando a fé, aos bracarenses, que a cultura tem espaço e público em Braga.


O desrespeito pela Juventude

"Diário do Minho" 25/11/2012

No ano em que a Cidade de Braga acolhe a Capital Europeia da Juventude, e já que no passado fim de semana a nossa cidade acolheu o Encontro Nacional das Associações Juvenis, expressamos aqui a nossa indignação pela ausência do Sr. Presidente da República em qualquer acto oficial da BragaCEJ2012. Em quase um ano de actividades, nem uma única participação em qualquer evento?! E agora, aquando do ENAJ, "só" temos direito à assessora da Casa Civil?

O Senhor Presidente da República, que tanto se empenhou em chamar os jovens à vida activa e à participação política dá um exemplo de ausência e de não acreditar nas linhas fundamentais da participação jovem. Mesmo que achasse que a BragaCEJ2012 é preenchida por festas e concertos, seria sinal de desatenção, porque bastava participar, a um Sábado de manhã, num percurso interpretado pela História da Cidade de Braga, com a JovemCoop!

Claro sinal de falta de respeito ou de acreditar nas próprias palavras!


Facilidade em calar as Associações Juvenis

"Diário do Minho" 25/11/2012

É com extrema facilidade que se molda a opinião geral e se verte, em documentos, algo que pode perdurar para a posteridade de forma errónea.

O caso da "Declaração de Braga", documento emanado do último Encontro Nacional das Associações Juvenis mostra isso mesmo.

Não querendo generalizar, mas é de senso comum que a maior parte das autarquias não tem um plano de desenvolvimento direccionado aos jovens, onde se explane uma política de juventude, transversal e complementar a outras áreas de actuação.

É normal que se ergam vozes indignadas com situações de desprezo e/ou esquecimento.
Mas, como os documentos orientadores têm de ter melhor forma do que conteúdo, lá se redige o mesmo em função, não das necessidades, mas da aparência.

Não concordando com as críticas, as técnicas que se opuseram, ou eram solidárias com os restantes colegas ou mostravam que o seu modelo pode servir como linhas de orientação.

Agora, não mostrar as reais necessidades é não pensar no futuro! Será a este legado de censura a que a Capital Europeia da Juventude se quererá associar? Esperamos que não!


Fotos Y.Nature - Caminhada às Sete Fontes

Esta actividade contou com cerca de três dezenas de participantes

Foto de grupo na Mãe d'Água do Dr. Amorim

Na "Sala da Vida", onde nasce a água das Sete Fontes

No passado Sábado, dia 24, a JovemCoop promoveu, juntamente com a Braga2012: Capital Europeia da Juventude, uma última caminhada Y.Nature, rubrica que visa privilegiar os espaços naturais da nossa região.

Apesar do mau tempo, um destemido grupo de cerca de 30 pessoas reuniu-se na Arcada, seguiu o traçado da Via Nova(Geira) e foi conhecer a História e a área Monumental das Sete Fontes.

Foi uma excelente forma de encerrar as actividades para a BragaCEJ2012, enfatizando que neste local de vida, celebrámos a vida da nossa cooperante Flávia Silva, num ambiente familiar de festa.

Obrigado a todos os participantes!

 

 



21 de novembro de 2012

Caminhada Y.Nature - Sete Fontes

Esta é a última oportunidade para conhecer as Sete Fontes com
a JovemCoop no ano da BragaCEJ2012


Y.Nature – Caminhada até às Sete Fontes

A questão do abastecimento de água às cidades foi objeto de especial atenção ao longo dos séculos, embora com soluções diferenciadas em função dos meios técnicos e das possibilidades de cada época.

Em Braga, esta preocupação parece ter cabido, em larga medida, aos seus Arcebispos, que se interessaram pela questão da água desde, pelo menos, o século XVI.

Mas no Séc.XVIII, D. José de Bragança manda erigir o Complexo de Engenharia Hidráulica das Sete Fontes, equipamento que abasteceu com água a Cidade de Braga.

Nesta extraordinária obra, encontramos não apenas uma funcionalidade destinada a melhorar as condições de vida da cidade, mas também uma significativa obra hidráulica, e um testemunho de arquitetura barroca que importa preservar como um todo, sem esquecer que esta estrutura só faz sentido se conservar a sua funcionalidade primeira e fundamento da sua existência - a água que corre no seu interior. Nesta medida, o sistema conhecido por Sete Fontes é mais do que um bem patrimonial; ele é, igualmente, um bem ambiental.

Assim, convidamos os bracarenses a caminhar até às Sete Fontes, Monumento Nacional desde 2011 e visitar o seu interior.

Proposta de Atividade: Sábado, 24 de Novembro

Ponto de Encontro: 9h30 na Praça da República (Arcada)

Ter em atenção:

 - Inscrição prévia;

 - Levar chapéu;

 - Vestuário e calçado adequado;

 - Levar lanterna e máquina fotográfica;

 - Levar água;

Este é um projeto de educação ambiental, com o objetivo de desenvolver atividades educativas e de consciencialização na exploração da natureza.

Este projeto irá promover espaços naturais do concelho e permitirá ainda a divulgação e sensibilização das populações locais para a beleza e utilidade das mesmas.

Inscrições em: http://www.eventbrite.com/event/4873435577/es2/?rank=7#





Fotos Abraço Solidário pelas Vias Romanas

Actividade com fins solidários da JFS.Victor, com o apoio da JovemCoop,
para a Liga Port. Contra o Cancro
 
A actividade contou com cerca de 25 participantes
 
"Correio do Minho" 18/11/2012
"Diário do Minho" 18/11/2012

Desafiada pela Liga Portugusa Contra o Cancro, para realizar uma actividade para benefício da saúde, a Junta de Freguesia de S.Victor realizou, no domingo, dia 18, o "Abraço Solidário pelas Vias Romanas XVII e XVIII".

Esta actividade, com fins solidários, visava angariar alguns fundos que contribuíssem para a instituição da delegação de Braga da Liga Portuguesa Contra o Cancro.

A JovemCoop imediatamente se associou a esta fantástica actividade, estabelecendo o percurso e as contextualizações históricas sobre as duas Vias Romanas e a Vida e martírio de S.Victor.

Aos cerca de vinte e cinco participantes deixamos o nosso agradecimento por se terem associado a tão nobre iniciativa.







Fotos Trilho Medieval D. Diogo

A actividade visou dar destaque à vida e obra do arcebispo D. Diogo Sousa
 
A actividade contou com cerca de 90 pessoas
"Diário do Minho" 19/11/2012


No passado Sábado, dia 17, a JovemCoop e a BragaCEJ2012 convidaram os cidadãos e amigos a conhecer a vida e obra do Arcebispo D. Diogo de Sousa.

Este homem, um verdadeiro refundador da cidade, deixou a sua marca no urbanismo da cidade, abrindo praças e ruas, bem como foi um patrono da arte e do funcionalismo da cidade. A exemplo, o grupo de participantes, teve a oportunidade de visualizar a parte mais antiga do Hospital de Braga (antigo S.Marcos), Casa dos Coimbras, Rua de S.João, Sé Catedral, Fonte dos Granjinhos, Porta Nova, Fonte de Santiago (Cónega) e Igreja de S.Jerónimo de Real, onde está situado o antigo Cadeiral da Sé.

Nesta visita participarem cerca de 90 pessoas e o sentimento geral, no fim da actividade é que além de D. Diogo ter sido um verdadeiro pensador na construção da cidade, actualmente a nossa cidade não sabe preservar e valorizar o Património e a sua História.

 




Braga: A nova alameda a sul do Hospital

"Diário do Minho" 14/11/2012
 
Na semana passada, foi lançado a Câmara Municipal de Braga lançou o concurso para a construção de uma nova "alameda", a Sul do Hospital de Braga, que, de alguma forma, rectifique o mau posicionamento desta estrutura de saúde.

Como o Novo Hospital foi "encaixado" numa zona cimeira, sem preocupações prévias de acessibilidades, agora é necessário promover uma "regeneração" da via existente, pois esta é, meramente, um estreito caminho, cheio de buracos no pavimento, que se torna ainda mais exíguo com a passagem de dois carros em faixas opostas.

Uma vez mais, parece estranho o concurso público não mencionar certas condicionantes, como um estudo de impacto ambiental, pois, em boa verdade, toda aquela zona ficará transformada.
Importa lembrar que, se por um lado esta nova alameda está fora da zona especial de protecção das Sete Fontes, não é menos verdade que toda aquela zona está repleta de vestígios arqueológicos.

Aqui, inclui-se a zona de reserva arqueológica, designada como Caixas de Água, área que mereceu protecção por parte dos organismos estatais da arqueologia. Lembramos, ainda, que no próprio local onde surgiu o Hospital, apareceram vários vestígios romanos, onde sobressai um fantástico forno romano (que pensamos ter sido destruído sem qualquer vontade justificação patrimonial plausível).

Na zona dos terrenos da Universidade do Minho, onde hoje se situa a Escola de Direito, também surgiu uma extensa canalização romana, que foi intervencionada pela UAUM.

No mapa abaixo, posicionamos a verde a ZEP das Sete Fontes, a amarelo a Zona de Reserva Arqueológica de Caixas de Água, o círculo vermelho maior posiciona o Forno romano e os três círculos mais pequenos induzem à localização inferior da canalização romana.

Com tantas referências arqueológicas, ainda que legalmente possam não estar dentro de zonas de intervenção arqueológica obrigatória, questionamos se vamos assistir a uma nova intervenção do género dos Acessos ao Centro Escolar de Real, onde o limite legal e o bom senso estão separadas por doze metros.


Esquema do posicionamento das áreas de vestígios arqueológicos

20 de novembro de 2012

Entre Aspas - O Palácio do Raio

"Diário do Minho" 19/11/2012

A propósito das obras do programa "A Regenerar Braga" ( nomeadamente as que presidiram à requalificação do Largo Carlos Amarante, Rua de S.Lázaro e Rua do Raio) a ASPA, a partir do Entre Aspas desta semana, debruça-se sobre o desrespeito e incoerência da intervenção realizada defronte ao palácio do Raio e Igreja de Santa Cruz.

Sugerimos leitura do artigo e colocamos à disposição do leitor a caixa de comentários para tecer comentários ao texto ou à intervenção.


Agência Nacional da Juventude - avaliação, legados e novo director

"Diário do Minho" 18/11/2012

Parece incrível, mas foi preciso abrirmos as páginas do Diário do Minho para descobrir que a Agência Nacional da Juventude, sedeada em Braga, tem um novo director.

Sem qualquer satisfação a dar às associações, ou sem se fazer um balanço do mandato do Dr. Pompeu Martins à frente da gestão da ANJ, este sai (é afastado?) de forma nada anunciada e bastante cinzenta.

E quem fará o escrutínio da actuação deste antigo Director? Quem e de que forma se avaliará se fez, ou não, um bom trabalho? E qual o reflexo da sua passagem pela a ANJ junto das associações? Houve alguma melhoria ao nível dos programas de actividades e apoio aos financiamentos? E qual o seu legado para o futuro?

É por esta forma pouco transparente de se actuar que a área da Juventude é sempre tão esquecida e até pouco valorizada socialmente. O reflexo disso mesmo vê-se no pouco acompanhamento dado ao movimento associativo e à ausência de um forte reflexo da presença da ANJ em Braga.

E este novo director, o que o leva a ser escolhido para gerir a ANJ? Porque não houve uma clarificação deste processo junto das associações? Quanto muito, pelo menos uma sessão de apresentação pública do novo director e apresentação da sua visão estratégica para esta área.
Não pondo em causa as suas competências, que acreditamos ser as melhores, é de dificil entendimento o porquê de descobrir um novo director através das páginas do jornal.

Ao novo director, José Gonçalo Regalado, a quem esperamos poder apresentar-nos brevemente, desejamos sucesso neste novo cargo e um bom trabalho à frente da ANJ.


CMB2013 - retomar intenções esquecidas

"Diário do Minho" 20/11/2012

Seria expectável que o programa das opções do Município para 2013 fosse atractivo e pujante, transmitindo a ideia de que a CMB sabe o que quer para a cidade.

Contudo, após análise do documento, voltamos à velha questão de que se fala dos conceitos teóricos, mas não se explana a sua concretização.

É fácil, e até útil, alargar as explicações a algo tão lato como "promoção no empreendedorismo e combate ao desemprego jovem", ou " diversificação e da qualificação da oferta cultural e artística e estímulo da participação das pessoas...".

Relativamente ao património e à arqueologia, lá se desenterram antigas promessas em ano de eleições, deixadas cair no ano seguinte.
Para quem tem a memória curta, aqui ficam os relatos de 2010, com uma escassa diferença de meses.

"Diário do Minho" 19/04/2010

"Diário do Minho" 15/11/2010

"Diário do Minho" 22/11/2010

Se a Universidade do Minho, através da sua Unidade de Arqueologia, continuar a compactuar com discursos pouco sérios e com demasiada intenção, então voltaremos a ter mais quatro anos de estagnação, relativamente ao aproveitamento cultural das estruturas arqueológicas/patrimoniais.



Instituição do Conselho Municipal da Juventude

"Diário do Minho" 20/11/2012

Há poucos dias, escrevíamos neste espaço um post intitulado "A CEJ sem CMJ", aludindo à vontade da JSD em apresentar queixa ao Provedor da Justiça, pela não instituição do Conselho Municipal da Juventude.

Se, por um lado, é de lei a sua implementação, tal já deveria ter sido realizado, sobretudo porque este ano Braga é Capital Europeia da Juventude. Se se fala do envolvimento dos jovens, das associações e demais estruturas que lidam com juventude, nas políticas estruturantes para esta faixa etária, parece óbvio que o Município de Braga teria, necessariamente de dar o exemplo, sem ter de se sujeitar a um puxão de orelhas público.

Ainda assim, mais vale tarde que nunca e, como tal, agora muito há a fazer, para que este Conselho consultivo seja instalado e funcional (basicamente, que passe das vontades para ser concretizado e operacional).

Hoje, ainda que vejamos com alguma preocupação a inclusão das juventudes partidárias, não podemos deixar de assumir que maior preocupação é a não realização de qualquer iniciativa de criação, sobretudo neste ano em que a nossa cidade é Capital Europeia da Juventude.

Pede-se, portanto, maior atenção para este assunto e coerência nas actuações, dando dignidade ao trabalho promovido pelas associações e estruturas formais e informais que se debatem pela salutar participação dos jovens. Até porque investir nos jovens é garantir o futuro e esse deve ser coerente, responsável e transparente!



A moda dos incêndios e do fachadismo

"Diário do Mnho" 17/11/2012
 
 
"Correio do Minho" 16/11/2012

Dois edifícios importantes para a História da Cidade de Braga com funcionalidades e finalidades distintas. A uni-los, só mesmo a proximidade geográfica e os incêndios frequentes de que são vítimas.

Para a fábrica Confiança existe um processo de expropriação e uma intenção de recuperação.
Para a antiga Escola D. Luis de Sousa, edifício de interesse arquitectónico no sopé do Bom Jesus, nem vislumbre de recuperação.

Ambos sofrem das agruras do abandono e do desprezo pela maioria dos cidadãos.

Numa falta de estratégia de requalificação dos edifícios de interesse histórico, opta-se por deixar que deflagrem incêndios, culpabilizando ocupas nocturnos e toxicopedentes, para justificar o vandalismo e a perda de património.

É igualmente preocupante a visão dos responsáveis autárquicos, tal como anuncia o jornal Público,  com a postura do "deixa arder" afirmando que o interesse está na fachada, desvalorizando o conteúdo (faltam estudos e levantamentos para aferir se isto é mesmo assim).

Um bom estudo e uma estratégia séria para regenerar Braga poderia incluir a recuperação destes imóveis, sensibilizando, logo à partida, as comunidades envolventes, para serem os melhores cuidadores dos edifícios. Assobiar para o lado é algo que não combina com cidadania!^



Publicações de Braga em exposição

"Diário do Minho" 20/11/2012

A propósito da temática das publicações de Braga e sobre Braga, o blog Braga Maior abordou, recentemente este assunto, num post intitulado "O fim das editoras bracarenses".
O autor escreveu a sua opinião sobre um tema que lhe é caro e emitiu uma opinião de que Braga não publica tantos livros sobre si própria como seria desejável. Lembrou uma proposta da Coligação "Juntos Por Braga", em que esta se compromete a editar, no mínimo, um livro sobre Braga, por ano.

O autor das crónicas "Os dias da Semana" e director editorial da colecção Braga Milenar, Eduardo Madureira Lopes respondeu à opinião de Rui Ferreira e à proposta de Ricardo Rio de uma forma sentida, pela omissão das publicações da Fundação Bracara Augusta.

Curiosamente, a propósito do tema e relembrando livros, publicações e tipografias, foi inaugurada no espaço Arte a Cultura, uma mostra para homenagear artífices e tipografias de Braga. Esta mostra decorre no 3º piso do Centro Comercial GoldCenter e é constituída pelo espólio pessoal de Hermenegildo Campos, coleccionador privado há vários anos.

Valerá a pena passar por lá e conhecer obras, sobre  e de Braga, além do processo tipográfico.



17 de novembro de 2012

Caminhada: Abraço Solidário

Ponto de encontro às 10h no Largo da Senhora-a-Branca


É meritoso o trabalho desenvolvido pela Liga Portuguesa Contra o Cancro, por todas as acções de sensibilização que realiza em prol de terceiros.

Por isso, é uma honra para a JovemCoop poder associar-se a esta caminhada, convidando todos os amigos a fazer um pequeno percurso, pleno de simbolismo!

É amanhã, Domingo, dia 18, às 10h no Largo da Senhora-a-Branca!!! A caminhada realizar-se-á pelas vias romanas XVII e XVIII, contando a História do Mártir S.Victor!


13 de novembro de 2012

Trilhos Bragueses: 500 anos da Porta Nova

"Diário do Minho" 12/11/2012

O Jornal "Diário do Minho" continua a investir na divulgação do Património Bracarense, acção louvável para quem ama a cidade de Braga.

Após a iniciativa de reconhecido sucesso do Suplemento do Património, que já percorreram vários concelhos do Minho, sob o olhar atento de José Carlos Ferreira, agora surgem os "Trilhos Bragueses", da autoria de Rui Ferreira.

Esta nova rubrica fará parte quinzenalmente do Diário do Minho, alternando com o "Entre Aspas", outro espaço de divulgação e reflexão da ASPA.

Este primeiro "Trilhos Bragueses" debruça-se sobre o Arco da Porta Nova, a sua contextualização histórica, realçando os 500 anos da mais célebre porta da muralha medieval da cidade.

Faz sentido que, em ano da Capital Europeia da Juventude, se possam unir estas duas efemérides num momento evocativo que dista 5 séculos: a Porta Nova e a Dinâmica da Juventude.

Ao Diário do Minho e ao Rui Ferreira, os nossos parabéns por esta belíssima iniciativa.



Intercâmbios Culturais e a promoção de Braga



Artigo Inês Barbosa, Revista "IUVENTA", nº10,  Novembro 2012

A aposta da JovemCoop nos intercâmbios culturais, com associações congéneres estrangeiras, tem o benefício de promover o acesso a novas formas de expressão identitária, bem como possibilita a divulgação da cultura bracarense.

Após um período de actividade num intercâmbio na Eslovénia, a convite da BragaCEJ2012, a Inês Barbosa sedimentou os contactos com os parceiros desse país e doutros países e deu continuidade à parceria instituída, através da promoção da cultura e turismo da nossa região.

É uma forma de elevar o nome de Braga, de mostrar a nossa região e incentivar à participação dinãmica e contínua de actividades internacionais.

Obrigado Inês por este contributo e, naturalmente, o passo seguinte é convidar os amigos eslovenos, romenos e polacos a virem conhecer a nossa cidade.



Ideias: Necessidade de um Museu da Cidade de Braga

"Diário do Minho" 12/11/2012

Foi com enorme e boa surpresa que lemos, na edição de ontem do jornal Diário do Minho, a opinião do autor do artigo de opinião que disponibilizamos neste post.

Há muito que se tem defendido uma aproximação das pessoas (naturais, residentes ou turista em Braga) à história e ao património da cidade, a partir de um local que dignifique, valorize e exponencie o espólio de alguns milénios de História.

É, portanto, uma agradável surpresa perceber que há quem queira ver este projecto realizado e que entenda ser, de facto, uma mais valia para a população.

Um dos pressupostos da criação da associação Braga+ é, precisamente, a criação do Museu da Cidade de Braga, num contexto físico, onde se possa reunir elementos importantes e essenciais para quem quiser conhecer o percurso da nossa cidade, seja a nível histórico, artístico, etnográfico e popular.

A ideia avançada pelo autor, de se constituir um registo digital, não é de todo descabida, nem tão pouco incompatível com aquilo que se idealiza como Museu da Cidade, pode, inclusivé, formalizar uma "estádio" primeiro da conceptualização do Museu.

Mas há quem já tenha adiantado este trabalho e esteja a preservar a memória de Braga, num registo virtual...e aqui importa tributar um louvor ao Forum Bracarae por esse fantástico trabalho. (vide Museu da Memória de Braga - Portal Bracarae)

Por isso, vamos deitar mãos à obra e pôr este "Museu" a funcionar...!

N.B. - E um agradecimento sentido ao autor Victor Blanco Vasconcelos por nos incluir nas entidades que se têm empenhado em divulgar a nossa herança histórica. É para nós um orgulho poder estar ao serviço de Braga. Obrigado



Convertidas - Monumento de Interesse Público

"Correio do Minho" 08/11/2012

"Diário do Minho" 08/11/2012

Tal como publicado aqui, a Casa/Recolhimento das Convertidas foi classificada como Imóvel de Interesse Público, após vários anos a aguardar a conclusão do processo.

A classificação, por si, enceta um "selo de qualidade" provando que aquele local é digno de ser património integrante da história da cidade de Braga.

Por outro lado, sabemos que apesar do espírito da lei que comporta a classificação, a mesma é débil na urgência de restauro e reabilitação daquele edificado, que de dia para dia, continua a dar sinais de degradação.

No próximo dia 23 Novembro, a JovemCoop e a Braga+ irão promover um debate público sobre "Reconverter as Convertidas", a decorrer às 21h30 na Casa dos Coimbras.

A participação dos cidadãos é fulcral para a valorização deste imóvel e para dar um sinal de cidadania activa. Contamos contigo!



GeNeRation - Aquilo que já todos sabiam

"Diário do Minho" 08/11/2012

Aquilo que já todos sabíamos, mas que ainda ninguém tinha admitido...

O GeNeRation, o antigo edifício da GNR, que foi alvo de um projecto de reabilitação e que previa ser posto à fruição da população, sobretudo do público jovem, no ano em que Braga acolhe a Capital Europeia da Juventude, só abrirá as suas portas no ano 2013.

Poder-se-á argumentar vários atrasos nos procedimentos concursais e na libertação de verbas dos financiamentos, mas isto sugere que o município não estaria preparado para acolher a CEJ no corrente ano. Não houve aqui uma política concertada entre as necessidades de espaços físicos (GeNeRation, Pousada da Juventude, Centro Euro-Atlântico) e a sua preparação a um programa vasto de actividades.

Aquele que seria o edifício âncora da BragaCEJ e que prometia envolver os jovens, as associações e as empresas, já não cumprirá a função de ser um espaço agregador no ano da Capital. Poderá vir a ser um espaço multifuncional nos anos vindouros e poderá ser apresentado como um legado da CEJ (em escala, podemos comparar a Casa da Música do Porto que oficialmente só abriu portas à população após ter passado o rótulo do Porto Capital Europeia da Cultura), mas a matriz de servir como centro operacional e motor divulgativo da BragaCEJ perde-se na vontade.

Se estes espaços têm sido pensados atempadamente, a Pousada ou o Centro Euro-Atlântico poderiam ser instalados ali, não havendo duplicação de recursos ou multiplicação de gastos.

Poderia ter, obviamente, outro impacto se apresentações, actividades e outras dinâmicas ocorressem ali, no que deveria ser o cérebro e o coração da BragaCEJ, mas infelizmente não houve essa capacidade de concretizar. Mas não é  por aí que se medirá o sucesso da Capital...apenas desejamos que após passar o epíteto da Capital Europeia da Juventude, o espaço não seja entregue a uma elite cultural que se fecha sobre si mesma, obstaculizando o acesso a um espaço que deve servir Braga e os seus cidadãos (facilmente alertamos para que não se torne um novo Theatro Circo).


Fotos Y.Nature - Parque da Ponte

A actividade contou com cerca de 30 participantes
 
"Diário do Minho" 11/11/2012
 

Porque os espaços verdes são sinónimo de qualidade de vida de um cidadão e do desenvolvimento da urbe, a JovemCoop convidou os seus amigos a conhecer a zona dos Galos (uma aldeia dentro da cidade) e o Parque da Ponte, com toda a sua história e simbolismo.
 
Foi muito bom poder usufruir daquele espaço verde, sempre com as preciosas contextualizações do guia Rui Ferreira!
 
Os espaços verdes públicos são, cada vez mais defendidos por sustentarem e organizarem a malha urbana e proporcionarem um aumento da qualidade do ambiente urbano. São promotores de uma rede distribuidora de continuidade ecológica e cultural, essencial para a sustentabilidade ambiental de qualquer cidade.
 
Obrigado aos cerca de 30 participantes que não esmoreceram com a chuva e que fizeram questão de participar nesta caminhada!



7 de novembro de 2012

Trilhos Medievais - Descobrindo a nova Braga de D.Diogo de Sousa


Trilhos Medievais - Descobrindo a nova Braga do Arcebispo D.Diogo


O Centro da Cidade de Braga que hoje vislumbramos é, maioritariamente, produto da idealização e concretização de um homem...D. Diogo de Sousa, arcebispo de Braga, moldou a cidade de Braga à semelhança daqueles exemplos que tinha vislumbrado aquando das suas viagens.

Marcou profundamente a vivência da e na urbe, cujos traços ainda hoje caracterizam a nossa cidade.

Por isso, convidamos os nossos amigos e demais interessados em vir conhecer a vida, a obra e o legado deste homem, que hoje podemos afirmar como uma das personagens mais importantes e influentes da História da Cidade de Braga.


OBJECTIVOS:       

- Conhecer a importância do plano urbanístico implementado por D. Diogo de Sousa na cidade de Braga, entre 1505 e 1532, e porque é apelidado de refundador da cidade.

- Conhecer as principais obras legadas pelas iniciativas de D. Diogo de Sousa no contexto da cidade de Braga no primeiro quartel do século XVI.

- Compreender a sua personalidade a partir da obra legada e da sua acção no urbanismo da cidade de Braga.

- Identificar as principais obras civis e religiosas que se faziam em Braga na sua época.

 
Proposta de Percurso:

1.      Arcada

2.      Lateral do Hospital de S. Marcos

3.      Capela e Casa dos Coimbras

4.      Cabeceira da Sé

5.      Sé Primaz: Capela mor e Capela da Senhora da Piedade

6.      Fonte dos Granjinhos

7.      Arco da Porta Nova e Praça Velha

8.      Fonte de Santiago – Cónega

9.      Fonte do convento de S. Francisco

10.   Igreja de S. Jerónimo de Real e Capela de S. Frutuoso

11.   Capela da Ordem

Inscrições em: http://www.bragacej2012.com/events/details.php?id=196&type=1


Y.Nature - caminhada até ao Parque da Ponte

Caminhada para descobrir o Parque da Ponte


Os espaços verdes públicos são, cada vez mais defendidos por sustentarem e organizarem a malha urbana e proporcionarem um aumento da qualidade do ambiente urbano. São promotores de uma rede distribuidora de continuidade ecológica e cultural, essencial para a sustentabilidade ambiental de qualquer cidade.
 
Para essa sustentabilidade torna-se necessária a definição de corredores ecológicos (linhas de água, parques e jardins, manchas florestais, entre outros elementos) que se relacionam com o património construído e natural, integrado nessa mal urbana.
 
A vegetação arbórea pode ainda ser entendida como um mobiliário urbano, um equipamento essencial para o bom funcionamento dos espaços livres de edificação. Os espaços verdes urbanos são, ainda, uma possibilidade de contacto com a natureza e permitem um ambiente mais saudável, funcionando como “respiração” do tecido urbano.
 
A cidade de Braga conta com um conjunto de espaços ajardinados de elevada categoria, que muitas vezes passam despercebidos ao olhar do cidadão.
 
Queremos, com esta iniciativa, levar o participante a usufruir do Parque da Ponte e aproxima-lo de uma realidade construída em benefício da população.

Assim, convidamos os bracarenses a caminhar ao Parque da Ponte da cidade de Braga.

Ter em atenção:
Inscrição prévia; (se não conseguir efectuar inscrição, pode, de igual forma, participar, bastando aparecer no ponto de encontro, à hora marcada, mas responsabilizando-se pela ausência de seguro de participação);

- Levar chapéu;

- Vestuário e calçado adequado;

- Levar máquina fotográfica;

- Levar água

Este é um projeto de educação ambiental, com o objetivo de desenvolver atividades educativas e de consciencialização na exploração da natureza e espaços verdes.

Este projeto irá promover espaços naturais do concelho e permitirá ainda a divulgação e sensibilização das populações locais para a beleza e utilidade das mesmas.

Inscrições em: http://www.bragacej2012.com/events/details.php?id=206&type=1