25 de junho de 2013

JovemCoop e Braga+ presentes no "Comércio está no centro"

"Correio do Minho" 23/06/2013

A Rádio Antena-Minho e a Associação Comercial de Braga estão a desenvolver, durante as sextas-feiras do mês de Junho, a iniciativa "O Comércio está no Centro".

A programação inclui entrevistas, momentos musicais, divulga estabelecimentos comerciais e promove a cidade de Braga.

As Associações Braga+ e JovemCoop estiveram presentes na edição do dia 21/06, uma vez que ambos os dirigentes contribuiram para a elaboração do livro "Adoro Conhecer Braga - Percursos Turísticos e Culturais da capital do Minho".

Rui Ferreira foi convidado a falar sobre a história da cidade de Braga, enquanto que Ricardo Silva tentou demonstrar as curiosidades "fantásticas" da nossa cidade.

O lançamento da obra é no próximo dia 05 de Julho, às 18h30 na Livraria Centésima Página.

Trilhos Bragueses (17) Festas de S.João em Braga

"Diário do Minho" 24/06/2013

As Festas de São João transformam Braga numa aldeia minhota em ponto grande. Este momento do calendário é a imagem de marca da cidade líder da região mais festiva de Portugal.
 
Por isso mesmo, não admira a dimensão alcançada pela sua principal festa, que vai chegar a afirmar-se como a maior romaria de Portugal e um fenómeno turístico sem par, no derradeiro quartel do século XIX.
 
Todavia, a valia e o sucesso das festas bracarenses em honra de São João esconde uma ancestralidade fundamental, que serviu de modelo a grande parte dos restantes festejos regionais.
 
(...)
 
Os festejos bracarenses continuam a apresentar-se com uma originalidade identitária que os individualiza entre os demais festejos portugueses em honra de São João Batista. Por isso mesmo, a análise da história e desenvolvimento destas festas é um imperativo para iniciar um caminho de valorização desta essencial herança patrimonial, histórica e etnográfica da cidade de Braga. 

retirado daqui: http://bragamaior.blogspot.pt/2013/06/as-mais-importantes-sanjoaninas-de.html

O S. João é de Braga - a Etnografia

A primeira parte desta sessão mostrou os trajes no "Museu do Grupo"

A segunda parte desta iniciativa promoveu as danças em plena Av. Central
 
O S. João é a grande festa da cidade de Braga. Depois da primeira sessão ter servido para dar a conhecer a História da festa, no passado Sábado, dia 22/06, decorreu junto ao INATEL (avenida Central), uma actividade que visou conhecermos melhor a etnografia da zona de Braga, os trajes típicos e as danças que os nossos antepassados nos legaram.
 
A iniciativa foi guiada pelo Grupo Folclórico Gonçalo Sampaio, o mais antigo do género na cidade de Braga.
 
 

O S. João é de Braga - A História

"Diário do Minho" 20/06/2013
O S.João é de Braga - a História

As Festas de São João são um momento de particular ênfase no calendário anual de qualquer bracarense.
 
São ainda, pela sua história e tradição, uma altura em que bracarenses rurais e urbanos se unem em torno dos seus símbolos e identidade. Por isso mesmo, e dadas as ausentes oportunidades de aprofundamento destes temas, a Braga + e a JovemCoop promoveram duas iniciativas que visam um conhecimento maior das festas sanjoaninas.
 
Na passada quinta-feira, dia 20 de junho, decorreu uma sessão sobre a história destas festas, orientada por Rui Ferreira, que foi devidamente acompanhada por músicas populares sobre as Festas de S. João de Braga, pela Associação Cultural e Festiva "Os Sinos da Sé".
 
A iniciativa realizou-se na Videoteca Municipal da Rua do Raio, tendo, no final da sessão, havia espaço para cantar os parabéns ao Prof. Hermínio Da Costa Machado e ao Rui Ferreira, protagonistas desta sessão que cumpriam mais um ano de vida. Os nossos parabéns a estes dois bons amigos!
 


Percurso "Notáveis de Braga"

"Diário do Minho" 17/06/2013

Foto de grupo, com os elementos participantes.

No Sábado, dia 15/06, a JovemCoop e a Braga+ convidaram os seus amigos a conhecer personalidades da nossa terra que foram influentes na cidade ou fora dela.
 
A visita iniciou-se com o acolhimento aos participantes, seguindo-se uma volta pelo cemitério municipal, onde prestámos a nossa homenagem aos Ilustres Bracarenses, junto das suas sepulturas.
 
Após a visita ao cemitério, caminhámos pelas ruas da cidade, lembrando as personalidades presentes na toponímia das ruas ou perpetuados em forma de estátua/busto. Foi uma iniciativa muito interessante para um maior conhecimento sobre a história mais recente de Braga. Um destaque de excepção para a imagem de Francisco Sanches e Gabriel Pereira de Castro, que não pertencem à história contemporânea, mas que justificam estar neste percurso!



Debate "Salvando Bracara Augusta"

"Diário do Minho" 14/06/2013

O debate decorreu no Museu de Arqueologia D. Diogo de Sousa - Sala dos Miliários

Era um debate há muito esperado. Foi um dos debates mais dificeis de organizar, pois sentar à mesma mesa de diálogo vários intervenientes de um só projecto, mas com atribuições distintas, estabelecendo pontos de discussão, não é tarefa fácil.

Ali houve espaço para a fundamentação histórica do projecto de "Salvamento de Bracara Augusta", por parte do Dr. Henrique Barreto Nunes, que traçou a cronologia do aparecimento da ASPA.

Em seguida, a Dr.ª Manuela Martins abordou a questão do projecto, a sua aplicabilidade no terreno e os resultados conseguidos.

A Sr.ª Vereadora da Cultura, Dr.ª Ilda Carneiro, expôs o caso da recriação histórica "Braga Romana", como um caso de sucesso que fomenta a sensilização para o património, junto dos vários público que aderem à iniciativa.

A Dr.ª Isabel Silva, directora do Museu D. Diogo de Sousa, apelou à criação de sinergias que permitam dar continuidade ao projecto, reforçando os laços de cooperação, em prol do património de Braga.

Seguiram-se algumas intervenções da parte do público.


JovemCoop na Citânia Viva

"Diário do Minho" 16/06/2013
 

fotografias gentilmente cedidas por David Mendes

A Citânia Viva é uma iniciativa que visa recriar, no espaço da Citânia de Briteiros, o ambiente quotidiano da comunidade que habitou a Citânia nos finais do século I antes de Cristo, há pouco mais de 2000 anos. Os Brácaros, como são referidos nos poucos textos que nos descrevem a época, habitavam povoados defendidos por muralhas (conhecidos como castros ou citânias) e passavam então por uma alteração profunda dos seus hábitos culturais, e uma considerável tensão política, resultante da presença romana no Norte da Península, e das políticas do imperador Octávio Augusto no sentido de dominar, em definitivo, toda a Ibéria.


No passado dia 15/06, alguns elementos da JovemCoop estiveram na Citânia de Briteiros, a convite da Sociedade Martins Sarmento, para integrar as recriações históricas do evento Citânia Viva. A JovemCoop participou nesta iniciativa, compondo a comitiva romana que se deslocou à Citânia de Briteiros para contactar os povos quie ali habitavam. Agradecemos o convite do Arqueólogo Gonçalo Cruz, bem como as fotografias do Arqueólogo David Mendes!
 



Entre Aspas - O MN das Sete Fontes

"Diário do Minho" 17/06/2013

O último "Entre Aspas" publicado versou sobre as Sete Fontes. O texto visou fazer uma súmula histórica sobre o processo deste Monumento Nacional, bem como projectar ideias para o futuro, lembrando as palavras e promessas do Sr. Vereador Hugo Pires, aquando do debate organizado pela JovemCoop e Braga+.

Para ler e reflectir...

Castro de S. Lourenço em grande actividade

"Diário do Minho" 23/06/2013
"Diário do Minho" 25/06/2013

O Castro de S. Lourenço, situado na freguesia de Vila-Chã, em Esposende, é um dos mais belos castros de portugal, devido à sua localização em frente ao mar.

Do alto do monte com o mesmo nome, erguem-se os vestígios de um antigo povoado fortificado, da Idade do Ferro.

Este importante sítio arqueológico tem dado provas de grande dinâmica, inventivando a procura turística a este local, a partir da construção de um núcleo interpretativo, que recebe agora, em exposição temporária, uma Ara Votiva, encontrada em 1954 e depositada, a titulo definitivo no Museu Pio XII.

Também o Castro de S. Lourenço integra agora a Rede de Castros do Noroeste Peninsular, conferindo maior prestígio a este projecto e a este local, pois esta Rede de Castros privilegia a protecção e divulgação de vários sítios castrejos de importância histórica e científica.

Nos próximos dias 26, 27 e 28 de Julho, a JovemCoop estará presente no Castro de S.Lourenço a propósito da recriação histórica da Galaicofolia!

Braga tem Use-it

"Diário do Minho" 17/06/2013

A cidade de Braga conta, desde a passada quinta-feira, com uma versão do mapa turístico integrada na versão Use-It Europe. Vão ser cerca de 40 mil exemplares que vão ser disponibilizados gratuitamente em Portugal e em várias cidades europeias, potenciando assim o interesse de ilustres visitantes por esta augusta urbe.

Trata-se de um Mapa para Viajantes Curiosos e tem como objectivo fornecer informação que pensa para além do turismo dito mais convencional: vai de encontro às necessidades dos viajantes independentes que estão interessados em fazer uma visita genuína e informal, que querem descobrir ativamente a cidade real tal como ela é vivida pelos habitantes locais. Este mapa é, portanto, escrito por quem melhor conhece a cidade – os bracarenses –, tentando ser aquele amigo do amigo em casa de quem estamos a pernoitar e que ao pequeno almoço nos rabisca num guardanapo indicações acerca daquilo que não devemos mesmo perder, sem papas na língua e com honestidade, falando do que melhor e pior tem a cidade.

Disponível em inglês e em português no formato de um desdobrável impresso e online, o USE-IT contém, além de um mapa de orientação de Braga, referências a quase 100 locais de interesse – entre monumentos, restaurantes, lojas, bares, espaços culturais. A seleção é feita de uma forma totalmente independente e de acordo com critérios que fogem do turismo massificado.

Distribuído gratuitamente em Braga, pelos postos de turismo, hostels, universidade e outros locais de afluência, e também no Porto, Lisboa, Guimarães e várias outras cidades na Europa, o USE-IT Braga surge pela mão da Calote Esférica – a mesma equipa que produziu o USE-IT Porto e o USE-IT Guimarães –, e integra uma rede Europeia em plena expansão que conta já com mais de 20 cidades, como Bruxelas, Praga, Oslo ou Viena, representando uma marca de qualidade no que diz respeito ao turismo independente.

texto retirado daqui: http://bragamaior.blogspot.pt/2013/06/braga-ja-tem-um-use-it.html


Universidade de Coimbra é Património Mundial da Humanidade

"Diário do Minho" 23/06/2013

É uma enorme alegria para Portugal, em geral, e para Coimbra, em particular, que a Universidade mais antiga do nosso país seja Património Mundial da Humanidade.

Numa altura que tanto se pugna por alcançar esta marca, certificando a qualidade máxima do património de todo o mundo, em verdade, tem sido difícil encontrar espaço na lista indicativa, bem como no processo final.

Uma feliz desfecho que enaltece o património português!

19 de junho de 2013

O S. João é de Braga - 2 iniciativas

Uma forma diferente de celebrar o S. João

As Festas de São João são um momento de particular ênfase no calendário anual de qualquer bracarense. São ainda, pela sua história e tradição, uma altura em que bracarenses rurais e urbanos se unem em torno dos seus símbolos e identidade.

Por isso mesmo, e dadas as ausentes oportunidades de aprofundamento destes temas, a Braga + e a JovemCoop vão promover duas iniciativas que visam um conhecimento maior das festas sanjoaninas.
Esta quinta-feira, dia 20 de junho, a partir das 21h00 vai decorrer uma sessão sobre a história destas festas, que vai ser acompanhada devidamente por músicas populares sobre as Festas de S. João de Braga, pela Associação Cultural e Festiva "Os Sinos da Sé". A iniciativa realiza-se na videoteca municipal da rua do Raio.

No próximo sábado, pelas 15h00, junto ao INATEL (avenida Central), daremos início a uma actividade que visa conhecermos melhor a etnografia da zona de Braga, os trajes típicos e as danças que os nossos antepassados nos legaram. A iniciativa vai ser guiada pelo Grupo Folclórico Gonçalo Sampaio, o mais antigo do género na cidade de Braga.


A inscrição que segue abaixo é só referente ao evento de Sábado! 


12 de junho de 2013

Percurso - Notáveis de Braga

No próximo Sábado, dia 15, vamos dar a conhecer os "Notáveis de Braga"
 

Citânia Viva 2013

Cartaz Citânia Viva
 
A Citânia Viva é uma iniciativa que visa recriar, no espaço da Citânia de Briteiros, o ambiente quotidiano da comunidade que habitou a Citânia nos finais do século I antes de Cristo, há pouco mais de 2000 anos. Os Brácaros, como são referidos nos poucos textos que nos descrevem a época, habitavam povoados defendidos por muralhas (conhecidos como castros ou citânias) e passavam então por uma alteração profunda dos seus hábitos culturais, e uma considerável tensão política, resultante da presença romana no Norte da Península, e das políticas do imperador Octávio Augusto no sentido de dominar, em definitivo, toda a Ibéria.

Os visitantes são convidados a circular pela rua principal da acrópole da Citânia, onde várias famílias habitam, novamente, as antigas casas circulares e outros compartimentos, bem como os pátios onde decorria parte da vida familiar. Poderão assistir a uma reunião magna do conselho dos notáveis do povoado, espécie de senado, em que várias questões e problemas vão ser amplamente debatidos. Assistir à cerimónia de iniciação de novos guerreiros, aos treinos militares que visavam a permanente vigilância e defesa do povoado, ao ritual de encomendação de um habitante defunto... Poderão mesmo saborear alguns petiscos castrejos, especialmente preparados para a ocasião, tal como há 2000 anos, quando os problemas do dia-a-dia eram discutidos pelos Brácaros sentados em círculo, e apreciando uma lauta refeição, que fortalecia o corpo e a mente.

Os figurantes provêm maioritariamente da comunidade local, particularmente das freguesias que rodeiam a Citânia. Nuno Loureiro é o encenador da recriação histórica, que conta com a participação especial do grupo vocal Outra Voz, e da associação bracarense JovemCoop.

No dia 14 de Junho, pelas 21h30m, na Citânia de Briteiros, será representada a peça Pedra Formosa, escrita e encenada por Bruno Laborinho, e dramatizada pelo grupo de teatro A Citânia, Associação Juvenil.

No dia 15 de Junho, a partir das 11h, terá início a recriação histórica nas ruínas da Citânia, que se irá prolongar até às 18h.

No mesmo dia, pelas 19h, junto ao Museu da Cultura Castreja, em Briteiros, terá lugar o encerramento das IV Olimpíadas Castrejas, uma iniciativa desportiva e cultural, em que a comunidade dos dias de hoje, recorda e homenageia a comunidade castreja da Citânia.


11 de junho de 2013

Debate Salvando Bracara Augusta

O debate público decorrerá no Museu D. Diogo de Sousa

"Diário do Minho" 11/06/2013


"Correio do Minho" 23/03/2006

O processo de valorização do legado de Bracara Augusta vai dar o mote para o quinto debate público realizado pela associação Braga +. Esta iniciativa, realizada em conjunto com a JovemCoop Natureza/Cultura, vai decorrer no próximo dia 12 de Junho, a partir das 21h15, no auditório do Museu D. Diogo de Sousa.

Os intervenientes convidados para este debate são a investigadora e arqueóloga Manuela Martins, responsável máxima pela Unidade de Arqueologia da Universidade do Minho; a vereadora Ilda Carneiro, na qualidade de responsável pelo pelouro a cultura da Câmara Municipal de Braga e mentora da iniciativa Braga Romana; Henrique Barreto Nunes, membro da ASPA e protagonista da preservação do legado romano de Braga; e Isabel Silva, diretora do Museu Regional de Arqueologia D. Diogo de Sousa. O debate será moderado por Francisco de Sande Lemos.

À imagem do que aconteceu nos debates promovidos, a Braga + e a JovemCoop pretendem contribuir para a clarificação do processo de preservação e valorização, não apenas dos vestígios arqueólogicos e do trabalho exaustivo de catalogação e musealização, mas também da importância pedagógica deste legado e os projectos para o futuro.



Crónica A Voz à Juventude (21) Revisões

"Correio do Minho" 11/06/2013

Revisões
Caro leitor,
aproximamo-nos a largos passos das férias, altura do ano em que fazemos questão de ter tempo para descansar corpo e mente. A máxima romana já dizia “mens sana in corporesano”, aludindo à necessidade de termos sempre as ideias clarividentes, para que também o corpo dê a melhor resposta.

Ao longo deste ano, tivemos a oportunidade de abordar vários temas que marcaram a agenda da cidade de Braga. Fazendo, sumariante uma revisão pelas crónicas, lembramos a necessidade de afirmar a identidade de Braga, a partir de uma aposta concreta e fundamentada nos elementos que nos distinguem de outras cidade.

Aqui abordou-se o Programa “Regenerar Braga”, bem como a necessidade de se promover intervenções conservativas nos monumentos de Braga, potenciando, ainda, a sua divulgação como elemento de atração turística. O turismo e as apostas que merecem ser concretizadas foram uma constante neste espaço de partilha, pois entendemos que este setor, mais do que de mero entretenimento, é uma áreaeconómica, que não dá sinais de estagnação e que pode ser alavanca de desenvolvimento para Braga. Entendemos que as forças vivas da cidade podem dar o seu contributo para a promoção da marca Braga e dar a conhecer o que de melhor se faz por cá.

O aproveitamento das sinergias locais, em prol da cidade de Braga foram , também, focadas aquando do espetáculo “Vozes numa Linha de Tempo”, promovido pelo Grupo Coral de Guadalupe, em colaboração com aBragaCEJ2012, enfatizando que em Braga há meios, há recursos, há vontade, logo tem de haver um melhor aproveitamento daquilo que é aqui construído.

E porque falamos de parcerias, o início do ano 2013 iniciou-se com a firme convicção de associações que pugnam por um ideal comum, trabalhando em rede, alcançam resultados surpreendentes. A JovemCoop e a Braga+ firmaram um acordo de cooperação que visa a promoção de atividades ligadas à cidadania, à cultura e ao património.

Desde então, além de reforçarmos as nossas atividades, temos vindo a crescer em número de associados e de responsabilidade para com a nossa cidade. Prova disso mesmo é a forma como temos vindo a lançar a discussão sobre assuntos de extrema importância para a cidade de Braga. Em debates/tertúlias abordámos, juntamente com os oradores convidados, o processo da Casa das Convertidas, cujo desfecho está a ser, no mínimo, surpreendente. Falámos, ainda, da Fábrica Confiança, que deu origem a duas sessões de discussão, uma primeira centrada no processo do passado e a segunda vocacionada para falar do futuro.

Tivemos a feliz oportunidade de discutir as Sete Fontes, onde foram oralmente firmados compromissos para aquele local e para toda a cidade. Amanhã, dia 12, iremos reunir-nos, com especialistas, no Museu de Arqueologia D. Diogo de Sousa, para abordar um outro tema que entrou bem na agenda política da cidade.

O Salvamento de Bracara Augusta e do património de Braga será discutido às 21h30 no maior museu da cidade. Em suma, quando se trabalha em rede, abraçando a cooperação e ouvindo os agentes da cidade, o resultado pode ser animador.

Quando os nossos textos vinham publicados na edição do Correio do Minho, várias pessoas faziam-nos chegar o seu feedback, a sua avaliação, ora concordando e incentivando, ora discordando e mostrando-nos outros pontos de vista.

Pensamos que é assim que se faz cidade, com abertura, com vontade para discutir, com a necessidade de saber ouvir. Findo o período de textos de autor, interrompidos para férias, deixo aqui o meu muito obrigado ao leitor por ter acompanhado estas crónicas nos últimos meses.

Em nome de toda a JovemCoope em meu nome pessoal, um agradecimento ao Sr. Diretor do Correio do Minho e a toda a sua equipa pela abertura aos textos da cidade e à partilha das ideias com a sociedade. Foi um enorme prazer fazer parte desta equipa.

Boas férias e até breve!



Inauguração do Museu da Geira

"Público" 09/06/2013

O jornal "Público" deu destaque, na edição do passado Domingo, às Portas do Parque Nacional da Peneda Gerês, centrando-se nas portas do Mezio, Arcos de Valdevez.

Nesta passagem pelas montanhas geresianas houve tempo para conhecer o Museu da Geira, núcleo museológico de interpretação da Via romana que passa por Terras de Bouro.

No passado dia 01 de Junho, o Município de Terras de Bouro abriu, ao público, o Museu da Geira, estrutura museológica, situada na freguesia de Campo do Gerês, concelho de Terras de Bouro, totalmente dedicado à Via Nova (caminho romano conhecido como Geira ou Via XVIII), num investimento de 750 mil euros.

A Geira (Via Romana) terá sido inaugurada, provavelmente, no final do século I, por volta do ano 80, sob a égide dos imperadores Tito e Domiciano.

O espaço museológico é semienterrado e «inteiramente» dedicado à Geira, caminho romano que unia “Bracara Augusta”, Braga, a “Asturica Augusta”, Astorga, Espanha, e que mantém, em Terras de Bouro, um percurso «intacto» de 30 quilómetros (20 milhas romanas).

Inserido na área de influência do Parque Nacional da Peneda-Gerês, o museu, financiado a 75% por fundos comunitários a partir do Programa Interreg IIIA, divide-se em quatro salas com diferentes temas, um auditório e gabinetes para estudos arqueológicos.

A primeira sala é dedicada ao planeamento, ou seja, à análise topográfica da via romana da Geira. A segunda está subordinada ao tema da construção, onde os visitantes obtêm informações sobre a forma como os romanos edificaram as vias e as pontes e extraiam e talhavam as pedras. “Viajar na Geira” é o tema da terceira sala que dá a conhecer o espólio romano, bem como as estruturas de apoio e os veículos de transporte. Já a quarta sala dedica-se à paisagem e mostra a sua evolução desde a Idade do Ferro à época romana.

Através de uma tábua cronológica, o visitante pode ainda fazer uma viagem de 2.000 anos pela Geira romana, realçando esta via como eixo de desenvolvimento da nossa história, para lá da época romana.

O Museu da Geira, aberto todos os dias da semana, está preparado para receber pessoas com mobilidade reduzida, invisuais (com roteiros em braille) e pessoas com dificuldades auditivas (a partir de sistemas amplificadores).

Considerado como uma «alavanca turística» importante para Terras de Bouro, o museu tem roteiros em formato papel e áudio em francês, inglês, alemão, italiano, castelhano e galego.
Se ainda não conhece, sugerimos, desde já, uma primeira visita virtual na página do facebook, em :http://www.facebook.com/MuseuDaGeira

A JovemCoop esteve presente no dia da inauguração, lembrando, a partir do album de fotografias no facebook a nossa participação.




Trilhos Bragueses (16) Museu de Etnografia

"Diário do Minho" 10/06/2013
 
A edição desta semana dos Trilhos Bragueses relembra-nos o papel de Braga nas tradições etnográficas, estatuto perdido para Viana do Castelo.

Os primórdios do Museu da Etnografia estão bem patentes na história da nossa cidade, com um ensaio constituído no Largo do Paço.
Apesar do fôlego inicial e da vontade de expandir o museu, associando novas temáticas, o projecto acabou gorado.

Importa, pois, ler os Trilhos Bragueses e consciencializar os cidadãos para a importância deste tema!

Trilhos Bragueses (15) Aqui nasceu Portugal

"Diário do Minho" 27/05/2013

A questão que muitos questionam foi abordada por Rui Ferreira, na 15ª edição dos Trilhos Bragueses.

Lembrando o documento guardado no Arquivo Distrital de Braga, que firma o pacto entre D. Afonso Henriques e D. Paio Mendes, arcebispo de Braga, poder-se-á dizer que esta aliança reforça o projecto Portugal, que nasceria um pouco mais tarde.

Se se pode provar que em Guimarães se deu a Batalha de S. Mamede, que se evoca como o início da nacionalidade, poder-se-á afirmar, a partir deste compromisso, que havia a intenção de consolidar um projecto que nasceu em Braga, a partir destas duas personagens históricas.

Como não poderia deixar de ser, esta edição dos Trilhos Bragueses relembra, ainda, o triste episódio do Pio Latrocínio.

A não perder!

Pensar a cidade para todos os cidadãos

"Diário do Minho" 08/06/2013

Pensar a cidade é uma missão de todos os cidadãos, que devem ser auscultados pela entidade de gestão. Os contributos devem chegar aos executivos municipais, dando espaço de partilha e de maior conhecimento por quem anda no terreno e todos os dias se depara com as mais variadas situações.

A questão da mobilidade, para qualquer cidadão, foi alvo de discussão na 68ª edição dos Serões do Burgo, iniciativa da Rusga de S.Vicente - Grupo Etnográfico do Baixo Minho.

José Barros, cidadão tetraplégico e Baptista da Costa, especialista em mobilidade, apontaram as casos críticos de Braga, fruto de um processo de alheamento entre o Município e os cidadãos.

Ouvir os contributos dos cidadãos é, de facto, necessário e esta é a prova.

Um excelente contributo da Rusga de S.Vicente.

Uma homenagem merecida

"Diário do Minho" 09/06/2013

Nasceu a 8 de Janeiro de 1939 em Brunhais, Póvoa de Lanhoso e tem o Curso Geral dos liceus, terminado em 1957, no Liceu Sá de Miranda, em Braga.

Licenciou-se em Filologia Germânica na Faculdade de Letras de Lisboa, em 1964. Concluiu o Mestrado em Ciências da Educação, especialidade de Didáctica do Inglês, em 1981, na Universidade de Londres. Foi professora efectiva de Inglês na Escola Secundária Alberto Sampaio até 1979 e entre 1992 e 1996. Nesta instituição de ensino, foi também presidente do Conselho Directivo nos anos lectivos de 1974/75 e 1978/79.

Foi assistente requisitada para a Didáctica do Inglês, em 1982/83, no Instituto de Ciências da Educação da Universidade do Minho. Ainda no campo do ensino, foi presidente da Comissão Instaladora da Escola Superior de Educação de Viana do Castelo em 1985/86, supervisora para a profissionalização em serviço e para a Didáctica do Inglês no CEFOP, da Universidade do Minho, entre 1986 e 1992, e coordenadora do CAE - Centro da Área Educativa do Distrito de Braga em 1996/97. A nível político, foi deputada à Assembleia da República pelo Distrito de Braga entre 1982 e 1985, vereadora da Cultura na Câmara Municipal de Braga entre 1990 e 1996 e vice-governadora civil do Distrito de Braga entre 1997 e 1999.

Ocupa, desde 1999, o cargo de presidente do Conselho de Curadores da Fundação Bracara Augusta.
informação retirada daqui

A Fundação iniciou as suas actividades no ano 2000 com a realização das Comemorações do Bimilenário da Cidade de Braga. Ao longo do referido ano, a Fundação Bracara Augusta realizou uma série de actividades culturais e espectáculos com entrada livre, num programa enquadrado numa lógica organizativa em que se cruzaram perspectivas variadas. Exposições, concertos de música dos mais variados géneros, incluindo jazz, música tradicional portuguesa, música electrónica e arte multimédia e rock, espectáculos de bailado, ópera , publicações e conferências marcaram o quotidiano do ano 2000 na cidade de Braga. Uma escultura do artista Pedro Cabrita Reis foi erguida no casco histórico de Braga para assinalar a efeméride.

O passado romano de Braga foi também recordado e assinalado com a instalação na cidade de uma rede de Quiosques Multimédia. Este trabalho recria a Braga Romana mostrando a topografia da cidade, numa linguagem acessível ao grande público. A produção deste produto multimédia é da responsabilidade da Unidade de Arqueologia da Universidade do Minho, com a qual a Fundação celebrou um protocolo.

A realização de iniciativas culturais de forma integrada foi e continuará a ser uma aposta assumida pela FBA. Posteriormente, deu-se continuidade a alguns projectos que se têm mantido até á data, a saber:

O projecto editorial "Braga Cidade Bimilenar" iniciado em 2000 com as Comemorações do Bimilenário e que consiste na divulgação de um importante património cultural, através da recolha de textos e imagens sobre Braga.

A organização anual de um ciclo de conferências sobre temas actuais de interesse para a cidade e para os cidadãos, afim de estimular uma dinâmica de critica e debate de ideias.

informação retirada daqui

Pensamos que com este vasto curriculo e desenvolvimento das iniciativas ao serviço da Fundação Bracara Augusta, a dr.ª Maria do Céu Sousa Fernandes merecia mais do que uma homenagem da Escola Profissional de Braga. Porventura, o Município de Braga ainda estará a tempo de corrigir este lapso.

Com Confiança

"Correio do Minho" 08/06/2013

Quando se quer falar de questões sérias, há várias formas de o fazer, inclusivé omitir parte das narrações históricas. Podem-se encontrar mil argumentos, retira-los do contexto e fazer deles novas afirmações.
Há quem pense que isso é informação.
Sobre este assunto, convém lembrar o que foi debatido pela JovemCoop e pela Braga+:

http://jovemcoop.blogspot.pt/2013/01/uma-questao-de-confianca-o-primeiro.html

http://jovemcoop.blogspot.pt/2013/01/ainda-o-debate-sobre-fabrica-confianca.html

http://jovemcoop.blogspot.pt/2013/03/uma-questao-de-confianca-ii-o-que-foi.html

Escrito por jornalistas e firmado junto de auditórios repletos. Esta é a melhor argumentação para responder a quem quer desviar as atenções!


4 de junho de 2013

Caminhada Solidária Saúde e Coração - Um abraço ao Pirilampo Mágico

"Um Abraço ao Pirilampo Mágico"

"Diário do Minho" 27/05/2013

"Diário do Minho" 25/05/2013

No Dia 26 de Maio, a Junta de Freguesia de S. Victor organizou, conjuntamente com a ASPA, a JovemCoop e os Peticionários pela Defesa e Salvaguarda das Sete Fontes, uma caminhada até às Sete Fontes, privilegiando "A Saúde e o Coração".

Tradicionalmente realizada no Domingo da Braga Romana, esta caminhada conta com a colaboração de farmácias para realizar, previamente à caminhada, vários testes e rastreios.

Este ano, a caminhada constituiu-se solidária, dando um "Abraço ao Pirilampo Mágico", como forma de incentivar a venda de Pirilampos, cuja receita reverte, parcialmente, para a CerciBraga.

O Pirilampo Mágico, juntamente com quase uma dezena de pessoas, ficou a conhecer as Sete Fontes, numa iniciativa bastante saudável.

Esta iniciativa foi acompanhada pela Rádio Universitária do Minho, originando um formato diferente e inovador para o Programa Campus Verbal, da autoria do jornalista Alexandre Praça. O programa, muito interessante, faz uma verdadeira visita audio pelo roteiro seguido pelos caminhantes.
O nosso MUITO OBRIGADO por esta feliz vontade que permitiu fazer um fantástico programa na RUM.

Pode ouvir o programa, seguindo o link para o podcast.
http://podcast.rum.pt/uploads/Campus_Verbal/CAMPUS_VERBAL-CAMINHADA-7FONTES-2013-06-02.mp3


JovemCoop na Braga Romana

"Correio do Minho" 24/05/2013

"Diário do Minho" 25/05/2013

Foto de Grupo no dia do Cortejo

A JovemCoop participou na X edição da Braga Romana, evento que inspiração histórica que faz recuar a nossa cidade cerca de 2000 anos.

Ao longo de 5 dias, estivemos presentes na réplica da "Casa das Carvalheiras", uma ideia genialmente concebida pela "Bogalha".

Este ano, reinventámos a nossa participação no cortejo nocturno, recriando as vivências de uma Domus: convidámos os espectadores a conhecer o "Atrium", o "Tablinum", o "Peristylum", o "Cubiculum", o "Triclinum" e a "Culina".

Foi muita a diversão que se fez sentir no cortejo.
Um especial OBRIGADO a todos os amigos que aceitaram este desafio.


Casa das Convertidas - o projecto e outros considerandos

"Correio do Minho" 22/05/2013

"Diário do Minho" 23/05/2013

"Correio do Minho" 25/05/2013

Foi apresentado, em versão relâmpago, um projecto para o agora designado "Quarteirão das Convertidas".

O projecto versa sobre 10.000m2 de área e será, segundo o executivo municipal, um espaço multifuncional de equipamento de apoio à juventude".

A proposta apresentada inclui a edificação da Pousada da Juventude, um Centro Euro-Atlântico, que já está em funcionamento na Rua de Santo António da Praça, uma Loja Europa Jovem (a funcionar na mesma valência do Centro Euro-Atlântico), bem como terá espaços de restauração e um museu do património e identidade bracarense. A Capela das Convertidas será entregue à Diocese de Braga, por um período de 50 anos.

Posto isto, convém lembrar que a JovemCoop defende(u) a Pousada da Juventude na Casa das Convertidas, pois estamos convictos que a estrutura tem condições para receber esta valência. Não nos mostramos favoráveis à deslocação da pousada para terrenos adjacentes, precisamente porque acreditamos que a Casa das Convertidas já está dividida em celas, que permitam a formação da Pousada.

O que falta neste processo é mostrar um parecer técnico da CMB e da DRCN que afirme se a Casa das Convertidas tem ou não condições para albergar uma Pousada. Ainda não foi provado tecnicamente que o imóvel não tem capacidade para acolher a estrutura da Juventude, nem quantos quartos pode ter, se o parecer for favorável à instalação da Pousada neste edifício.
Está-se a projectar uma Pousada com 50 quartos e 160 camas, em terrenos adjacentes, quando a Casa das Convertidas poderá ter menos quartos e menos camas, mas ganhando um atractivo de ser uma Pousada num local histórico classificado.

Por isso, antes de se avançar com projectos megalómanos, convinha elaborar um estudo que dissipe as dúvidas se a Casa das Convertidas pode, ou não albergar uma Pousada.
Depois de termos pernoitado no Navio Gil Eannes e perceber a dinâmica daquela estrutura de pousada, estamos convictos de que as Convertidas podem ser uma excelente Pousada. Mas é a nossa opinião!!!

Pinturas Murais - um livro e novos roteiros

"Correio do Minho" 28/05/2013

Foi apresentado um livro, da autoria da Professora Paula Bessa, sobre "Pintura Mural na Rota do Românico".

Esta nova publicação, adaptada a partir da tese de doutoramento da autora, conduz o leitor/visitante a percorrer locais onde foram descobertas ou preservadas pinturas de interesse relevante.

Muitas destas pinturas estavam degradadas e/ou escondidas e foram sendo postas a descoberto, suscitando a curiosidade da comunidade local.
Um excelente ponto de partida para a sensibilização da comunidade, levando-os a proteger as heranças do passado.

Um excelente título que fica à disposição dos mais curiosos.