31 de janeiro de 2012

Sete Fontes: A pressão dos cidadãos e o mea culpa tardio!

"Diário do Minho" 31/01/12

"Correio do Minho" 31/01/12

Assim que foi dado conhecimento oficial do período de discussão pública dos Termos de Referência para a elaboração do Plano de Pormenor das Sete Fontes, uma das primeiras medidas que os amigos deste monumento nacional fizeram questão de promover foi uma Reunião Pública para se perceber o que eram estes termos de referência e partilhar ideias e dar sugestões a incluir no Plano de Pormenor.

Referimos, de forma sucinta, que as propostas emanadas deste discussão tida no dia 04 de Novembro, na Junta de Freguesia de S. Victor foram, de forma geral, as seguintes:

  • Converter o Plano de Pormenor da CMB num Plano de Pormenor de Salvaguarda  (como exige a lei);
  • Promover estudos hidrogeológicos;
  • integrar, na equipa técnica, geólogos e arqueólogos;
  • Dar mais força e inflexibilidade à ZEP;
  • Não incluir novos traçados viários e rotundas que afectem as Sete Fontes,
  • outros tópicos (podem ser consultados aqui);
Pelo que se percebe das recomendações da DRCN à CMB, as sugestões que os cidadãos facultaram e partilharam foram acolhidas pelos órgãos do Estado, ou seja, os cidadãos é que estão a promover a salvaguarda do monumento nacional, tendo em conta que, pelos vistos, a DRCN iria deixar passar o Plano de Pormenor se não houvesse contestação.
    Nessa mesma reunião pública, a JovemCoop transmitiu 2 argumentos sérios:
    1. A participação de todos (e consequente vigilância e protecção) é imprescindível, tendo em conta que toda aquela área (monumental, verde, com água) apenas tem a lei cultural a protegê-la (de fora ficam leis relacionadas com a protecção da água ou da paisagem). Por si só, é uma lei ténue aplicada por organismos com fracos recursos humanos para proceder a fiscalizações;
    2. A elaboração de um simples Plano de Pormenor não era inocente, uma vez que está consagrada na lei. Foi uma estratégia para ganhar tempo e voltar a adiar execuções legais para o monumento e para a envolvente. Assim, continuamos a ter uma espécie de lei folgada, propensa a não sancionar quem claudicar. Foi uma estratégia para adiar os 300 dias de elaboração do Plano de Pormenor e as Sete Fontes ficam menos protegidas.
    Não é nada de novo que haja este volte-face.

    Naturalmente ficamos contentes por finalmente o instituto da tutela dar sinais de vida - ainda que para isso tenham sido os peticionários a ir ao encontro das instituições - e afirmar que a CMB vai fazer um Plano de Pormenor de Salvaguarda, mas é uma intenção que vem tarde, tendo em conta que já passaram quase três meses do término do periodo de discussão pública.

    Adiaram-se decisões, deita-se trabalho fora e volta-se ao início.

    Enquanto isso, as Sete Fontes sofrem abate de árvores, incêndios, derrocadas e ninguém com responsabilidade faz rigorosamente nada.


    30 de janeiro de 2012

    JovemCoop: Plano de Actividades 2012 em Reportagem Diário do Minho



    "Diário do Minho" 29/01/12

    O Plano de Actividades da JovemCoop mereceu atenção e destaque na edição de ontem do Jornal Diário do Minho.

    Ao longo de três páginas, a reportagem aborda o plano de actividades, as iniciativas que nos propomos realizar, dá destaque à nossa vertente patrimonial, passando pela aposta nas actividades internacionais, ambientais e desportivas.

    A reportagem dá, ainda, especial enfoque à participação da JovemCoop em assuntos de interesse da nossa cidade, temas que entendemos ser parte da nossa responsabilidade social de pensar a cidade.
    Iremos, ainda, promover um salutar convívio e partilha de ideias através de foruns de discussão e relembramos que os acampamentos são, para nós, de extrema importância porque nos permitem experiências que conduzam à coesão de grupo.

    Agradecemos ao jornal Diário do Minho e ao jornalista José Carlos Ferreira a oportunidade que nos concederam em apresentar publicamente, à cidade de Braga, as nossas actividades, intenções, preocupações e realizações.

    JovemCoop: Peregrinos com pedalada

    Peregrinos com Pedalada à saída da Sé Catedral de Braga

    Peregrinos com Pedalada à chegada à Catedral de Santiago de Compostela

    O Grupo de Bikers realizou, entre os dias 27 e 29 de Janeiro, mais uma edição de Peregrinos com Pedalada, actividade que visa atingir a Catedral de Santiago de Compostela, fazendo os vários caminhos conhecidos.

    Desta vez, a opção recaiu sobre o Caminho Português, por Ponte de Lima, num total de cerca de 170km, a partir de Braga.

    Os "peregrinos" sairam da Sé Catedral no dia 27, por volta das 07h35 e a primeira paragem para pernoita foi nas imediações de Valença.

    Os bikers alcançaram a Catedral de Santiago por volta das 15h do dia 29, concluindo com sucesso mais esta "peregrinação".

    CEJ - artigo de opinião

    "Diário do Minho" 28/01/12

    No passado Sábado, dia 28, foi publicado no Diário do Minho um artigo de opinião que transmite uma forte opinião da CEJ.

    A autora do artigo, de Braga, afirma haver falta de estartégia e de planemamento das actividades CEJ, pois de outra forma, os espaços públicos de Braga, nomeadamente os de produção cultural (por exemplo, o Palco da Avenida Central) deviam ter mais animação e actividades, tendo em conta que a nossa cidade já inaugurou a CEJ há, pelo menos, de 15 dias.

    Além disso, a  autora reflecte na janela de oportunidades que a CEJ é, até porque associações de outros concelhos vieram até Braga e aproveitaram o tempo de antena das estações de televisão para se promoverem - mas sem ligação directa à CEJ e à cidade!

    Acreditamos que este artigo deve fazer reflectir os dirigentes da CEJ para avaliar o modus operandi e apostar, cada vez mais, num dinamismo e energia que se requer desta Capital da Juventude.

    Entre Aspas - 35 anos ao serviço de Braga e do Minho

    "Diário do Minho" 30/01/12

    A ASPA, associação para a defesa, estudo e divulgação do património cultural e natural, é uma entidade de referência na cidade de Braga no que concerne à protecção do património arqueológico e arquitectónico da nossa região.

    Durante vários anos, a ASPA foi a associação que mais e melhor combateu as opções lesa património e que tentou sensibilizar os cidadãos para o potencial cultural e turístico que ora mais rápido, ora mais lento, estava a ser subtraído à nossa cidade.

    Muitos foram os académicos e cidadãos, com várias profissões e áreas distintas de saber que se juntaram a esta associação e lhe deram maior expressão.

    A partir do exemplo da ASPA, seguiram-se alguns exemplos, nomeadamente o Projecto Braga Tempo ou as mais recentes actuações da JovemCoop (recordamos que as duas associações só distam 2 anos de idade, pois a ASPA é de 1977 e a JovemCoop de 1979).

    Apesar da ASPA hoje viver mais das opiniões do Entre Aspas, certo é que o capital que deixa para o futuro é enorme, sobretudo no que toca à responsabilidade e participação em cidadania.

    Por isso, aqui deixamos publicamente os nossos sinceros parabéns à ASPA e aos seus dirigentes e associados pelos 35 anos de vida e pela prática de boas causas.

    Braga precisa destes exemplos. Um grande Bem Haja pelas suas convicções e determinações.

    Braga: Espaços tertúlia para conhecer as opções para a nossa cidade


    "Correio do Minho" 29/01/12


    "Diário do Minho" 29/01/12

    Na passada 6ª feira, dia 27, decorreu na sede da Rusga de S. Vicente, a 56ª sessão dos Serões do Burgo, iniciativa que, em jeito de tertúlia, visa discutir e partilhar temas, assumindo-se como uma espécie de forum de discussão.

    A sessão passada, subordinada ao tema Braga - do passado para o futuro, que projetos e políticas se exigem para a cidade?, muito se falou de património, de cultura, do centro histórico e da qualidade de vida.

    Foram chamados a discutir o assunto quatro intervenientes das forças políticas partidárias com assento na Assembléia Municipal (dado a existência de uma coligação de direita, o eleito do PSD também exerceu a responsabilidade de representar o CDS/PP e o PPM).

    Daquilo que tivemos oportunidade de ouvir e ler, realçamos as políticas patrimoniais, com as forças da oposição a afirmar um mau planeamento da cidade e com consequências directas para o património e o responsável municipal a subverter estas afirmações, dando a conhecer que há um equilibrio entre a preservação e o desenvolvimento (entenda-se construção) da cidade.

    Foi citado, pelas forças da oposição, os caso das Sete Fontes, mas o representante da autarquia nem pronunciou o nome do monumento nacional.

    Não deixa de ser curioso o Correio do Minho ter tido a preocupação de auscultar a opinião do arqueólogo Luis Fontes, da Unidade de Arqueologia da Universidade do Minho, que taxativamente passou um atestado de desconhecimento da História local aos representantes partidários.
    A ser verdade que os decisores políticos desconhecem a realidade local, os arqueólogos têm o dever ético ( e moral), tal como qualquer cidadão,  fazer valer opiniões que demonstrem os erros e apontem soluções. Se se remeterem ao silêncio, em nada contribuem para o avanço cultural e para o tal equilibrio preservação/desenvolvimento. Além do mais, a se rverdade que Braga é a cidade que mais património recupera, então faz falta que haja mais divulgação dessas acções, para que os cidadãos fiquem correctamente informados.

    Um outro tema abordado foi os das Piscinas Olímpicas, cuja obra está estagnada há imenso tempo. Quando o executivo municipal, por várias vezes e em diversas situações, afirma recorrer ao QREN como solução para viabilizar novos projectos (GeNeRation, Pousada da Juventude, Fábrica Confiança), então porque é que as Piscinas ficam de fora desta hipótese? Agora que já se investiu 8 milhões de euros de fundos públicos, porque é que se induz a possibilidade de entregar a obra a um investidor privado? Ainda que as prioridades mudem ao longos dos tempos, qual a razão que leva o executivo municipal a afastar as Piscinas como um investimento estratégico para a cidade? Como deixar um esqueleto de obra apodrecer ao lado de uma estrutura desportiva, que tem um processo de classificação a decorrer e que con tribuiu para o seu autor alcançar um prémio Pritzer?
    Parece haver falta de planeamento na nossa cidade e que as decisões e grande sopções são feitas aos soluções ou impetos pontuais.

    Dai que estas tertúlias são importantes para discutir a cidade e as opções a tomar, pois permitem a partilha de ideias e de opiniões. Haja mais espaços como este em Braga!

    Braga: Programa Semana Santa

    "Correio do Minho" 30/01/2012


    "Diário do Minho" 26/01/2012

    Foi apresentado o Programa de actividades que serão desenvolvidas durante a quadra quaresmal, na cidade de Braga.

    O vasto programa preenche o panorama cultural da nossa cidade, revestindo-se de concertos, exposições, procissões, entre outras actividades.

    Como não podia deixar de ser, destacamos a vontade da Diocese de Braga em participar na Capital Europeia da Juventude, reformulando uma das típicas actividades quaresmais e dando-lhe uma nova roupagem, à medida da CEJ. É interessante esta vontade da Igreja Católica em se adaptar e reformular actividades, dando maior relevo à participação dos jovens.

    Pela proximidade e amizade que nos une, destacamos, ainda, a exposição a decorrer entre 16 de Março e 9 de Abril, no Parque da Capela de Nossa Senhora de Guadalupe, da autoria do pintor Casanova. 

    A não perder!!!


    24 de janeiro de 2012

    Crónica A Voz à Juventude (6) Jovens Construtores da Cidade

    "Correio do Minho" 24/01/2012


    Jovens Construtores da Cidade…e do País
    É de comum senso que a região do Minho vive dias de entusiasmo com a inauguração das duas capitais europeias, sendo a cidade de Guimarães um polo de atracção e orgulho na vertente da cultura e a cidade de Braga um aglutinador das dinâmicas da Juventude.
    Imune a este estado efusivo parece estar o restante país, devido aos mais que anunciados tempos difíceis que Portugal vive, consequência de uma crise internacional, que se abateu sobre quase todas as grandes economias.
    Assumidamente, o nosso país não vive dias fáceis e, a um ritmo alucinante, anunciam-se cortes e restrições em nome de uma forte disciplina e poupança para o Estado Central. A consequência disto é assistirmos a estratégias de grandes grupos comerciais que deslocam serviços e/ou moradas fiscais para outros países menos austeros na carga fiscal. Contudo, aquilo que tem sido tema de conversas mais ou menos fervorosas por estes dias, são os exemplos que os nossos agentes políticos transparecem para a restante sociedade, dando a impressão que o povo pagará a crise à custa dos seus sacrifícios, isentando de obrigações quem tem a seu cargo a governação do País.
    Os episódios das trocas de viatura, em que o caso mais expressivo foi o da chegada do Ministro a Solidariedade Social de Vespa, aquando da tomada de posse, para de seguida solicitar uma cara viatura automóvel, ou o facto de uma deputada (certo que sem carro próprio e sem habilitação para conduzir) imputar à Assembleia da República a sua deslocação no âmbito de uma actividade não cabimentada nessa estrutura, ou as recentes declarações do Presidente da República que não sabe se as suas despesas conseguem ser suportadas pelas remunerações a que tem direito (muito superiores à de um cidadão comum, quer as despesas, quer as remunerações), levam-nos a pensar que os nossos actores políticos ou não são solidários connosco ou não têm consciência das várias constrições que pedem ao povo.
    Por isso, há que pensar no país, na cidade e nos agentes gestores da causa pública que queremos (e merecemos) a gerir os nossos destinos.
    Há uma rubrica no Programa da Capital Europeia da Juventude que muito me toca e na qual deposito grandes expectativas. “O projecto Youth City Makers pretende convocar os jovens para a vida política, incentivando o diálogo entre decisores políticos, organizações de juventude e jovens, fazendo uso da participação e da criatividade como ferramentas de análise das políticas públicas.” – in “Agenda Braga 2012,Capital Europeia da Juventude”.
    Creio que não poderia vir em melhor altura esta chamada de atenção, que pretende envolver os jovens nas decisões estratégicas na vivência de uma cidade. A construção de uma cidade e de um país faz-se pela maior proximidade dos cidadãos juntos dos governantes, construindo uma cidadania participada e partilhada. O termo “política” encontra a sua raíz na Polis da antiga Grécia, onde os cidadãos eram chamados a participar nos cargos de gestão e administração, de forma alternada, para ajudar a encontrar as melhores opções de desenvolvimento da sua localidade. Hoje confunde-se a política com os partidos políticos, os quais estamos habituados a eleger durante uma legislatura e a depositar a responsabilidade de gerir os nossos destinos. Mas não nos devemos distanciar, durante essa legislatura, das nossas responsabilidades. A cidade e o país constroem-se na base do diálogo entre os vários interlocutores, não podendo nós afastar-nos das nossas obrigações, nem deixando os agentes representativos de um poder partidário fazer o que lhes é mais conveniente.
    Por isso, em jeito de apelo, devemos estar atentos e participar nas acções do Youth City Makers, para podermos desenvolver e melhorar a nossa forma de participação e ajudar a prevenir que casos como os supracitados se repitam. Nesta lógica de construção democrática do país, todos temos de ser os operários, mas também os dirigentes dessa obra. Talvez assim, se restabeleça a confiança no País. E, por falar em Confiança, decorre até ao final do mês o Concurso de Ideias para a reabilitação desta antiga Fábrica. Participe!!!





    23 de janeiro de 2012

    JovemCoop: as nossas atividades CEJ

    "Diário do Minho" 19/01/2012

    As nossas atividades culturais, a realizar no ãmbito da Capital Europeia da Juventude mereceram a atenção do Diário do Minho, a quem agradecemos esta preciosa ajuda na divulgação.

    Na verdade, o nosso programa tende sobre várias atividades relacionadas com o conhecimento da nossa cidade, pelo que pretendemos ter todos os pormenores fechados com a maior brevidade,a tempo de podermos fazer uma boa execução.

    Como temos vindo a realçar, somos uma associação de jovens e para jovens, uns estudam e outros trabalham, logo, para desenvolver este programada de atividades, de forma voluntária, precisamos de tempo e condições para planear, organizar, desenvolver, divulgar e realizar.

    Por isso, não pretendemos causar constrangimentos, mas sim, queremos elevar a nossa participação a um patamar de responsabilidade nossa e de quem nos pretende ajudar.

    O nosso compromisso este ano é fazer mais, mas para isso, também queremo saber fazer melhor, pelo que é nosso intuito "exigir" dos nossos parceiros o mesmo que exigimos de nós próprios...empenho, energia e determinação.

    Assim, de certeza que será uma excelente Capital Europeia da Juventude.

    Rusga S.Vicente: Serões do Burgo




    Exmo(s) Senhor(es)
    Aceitem desde já as nossas melhores saudações rusgueiras.


    A Rusga de São Vicente de Braga - Grupo Etnográfico do Baixo Minho, tem a honra e prazer de convidar V(s)/Ex.cia(s) a participar na 56ª edição dos "Serões no Burgo/Tertúlias Rusgueiras", a ter lugar na sede social desta associação, sita na Av. Artur Soares (Palhotas), nº 73 em Braga, no dia 27 (sexta-feira) de janeiro de 2012, pelas 21:30h, que terá por convidados: o Vice-Presidente do Município de Braga, Vítor Sousa, o Vereador da coligação "Juntos por Braga", Ricardo Rio, o Deputado da CDU na Assembleia Municipal, Carlos Almeida e a Deputada do Bloco de Esquerda na Assembleia Municipal, Paula Nogueira, cujo tema será:

    "Braga - do passado para o futuro, que projetos e políticas se exigem para a cidade?"

    Saudações rusgueiras
    P'la Direção

    

    S.Vicente:Cumpriu-se a tradição

    "Correio do Minho" 23/01/2012

    "Diário do Minho" 23/01/2012


    Cumpriu-se a tradição no dia em que se lembra o martírio de S. Vicente.

    O adro da Igreja de S. Vicente encheu-se de gente que lá se deslocava para ir entregar uma vela ao Santo, confiando a proteção contra os males da varíola. Assim, muitos foram os pais que lá foram com os filhos pedir a benção de S. Vicente.

    No Sábado à noite fez-se arder a grande fogueira que lembra a forma como S. Vicente foi torturado pelos soldados romanos, com muita gente a assistir.

    No Domingo houve muita música, a cargo da banda filarmónica de Aboim da Nóbrega. E o tempo ajudou, pois nada melhor do que haver festa num fim de semana cheio de sol.


    Braga:Homenagem a António Chapeleiro

    "Correio do Minho" 18/01/2012

    O Sr. António Costa, cidadão de Braga, atingiu a bonita idade de 102 anos.

    O Sr. António, além de uma respeitosa idade, é, para nós, um referencial de um património desaparecido em Braga, pois o Sr. António foi funcionários nas fábricas de  chapeu existentes, em tempos, na freguesia de S. Victor.

    Por isso, foi com muita atenção que o ouvimos na IV edição de "O Nosso Património", quando realizamos uma tertúlia no Largo da Senhora-a-Branca.

    O Sr. António, entre nós conhecido por Sr. António Chapeleiro, cativou imenso os jovens participantes e falou-lhes de uma realidade inimaginável nos dias de hoje.

    Por isso, prestamos aqui a nossa singela homenagem a este amigo da cidade de Braga, deixando aqui votos de uma longa vida, com esta juvialidade que lhe é caraterística!

    Fundação Bracara Augusta: Os Jovens e a Internet

    "Correio do Minho" 22/01/2012

    No ano em que se discute, no âmbito do parlamento jovem, os jovens e as redes sociais, a Fundação Bracara Augusta, entidade gestora da Capital Europeia da Juventude, realizou uma conferência versando o papel da internet.

    A conferência visou destacar a relação dos jovens com esta forma de acesso à informação, a maneira como evolui a liberalização de acesso à net, entre outros aspetos.

    Estas conferências são uma excelente forma de partilha e de conhecimento sobre temas da atualidade, que nos ajudam a compreender as evoluções sociais.

    Braga: Um livro para o futuro

    "Correio do Minho" 21/01/2012

    Foi apresentado, no passado dia 20, um livro que pode ajudar autarcas e gestores da cidade a planear e a desenvolver as suas cidades de uma forma mais sustentada e equilibrada.

    O livro de José Mendes, Vice-reitor da Universidade do Minho, introduz e desenvolve várias questões relacionadas com a urbe, sobretudo a necessidade de abrandar a política do betão e promover a organização e competitividade entre as cidades, através de um modelo de cidades-incubadoras.

    Será, com certeza, um livro muito apreciado e lido pelos autarcas e futuros governantes, pois ajuda-los-á a refletir na forma de ver a cidade.

    Guimarães: Inauguração CEC 2012

    "Correio do Minho" 22/01/2012

    A apresentação da Capital Europeia da Cultura, no passado sábado, em Guimarães, foi algo inesquecivel.

    Bem pode a organização da CEC agradecer o bom tempo que teve e, claro, nota-se a forte campanha mediática que teve, fruto do renome instituicional e histórico desta iniciativa.
    A Cultura é mais forte que a Juventude...(em termos mediáticos para quem avalia os projetos externamente).

    Ainda assim, o espetáculo teve luz, cor, som, música, gente na rua e encantou toda a gente.
    Retemos, aqui, alguma considerações a ter em conta.

    Primeiro, o mediatismo da CEC é algo de extraordinário, a questão económica, que por muito que se avalie a cultura, nunca se chega a valores...em Guimarães, a capital da cultura vale aproximadamente 100 milhões de euros, o que é uma quantia exorbitante, tendo em conta que Guimarães nem é a única Capital da Cultura em 2012, pois neste mesmo ano decorre a Capital de Cultura simultaneamente em Maribor, na Eslovénia. Ainda assim, é admirável que se veja na CEC uma possibilidade de retorno económico que seja uma mais valia para a região.

    Depois, interessa refletir nas afirmações de que a cultura não é um bem menor, afirmações do nosso Primeiro Ministro. Se isto fosse completamente verdadeiro e transparente, então porque é que o setor da cultura deixou de ser Ministério e passou a ser secretaria de estado e porque é que a divisão e aplicação dos apoios são mal distribuídos, tendo em conta que cultura teatro é muito diferente de cultura cinema, de cultura arquitectura e cultura património construído, etc, etc.

    Não é por se estar diante de um evento de uma Capital Europeia que se tem de atirar areia para os olhos das pessoas.


    MDDS: oficinas sobre o mundo romano

    "Diário do Minho" 23/01/2012

    O Museu de Arqueologia D. Diogo de Sousa, em Braga, vai realizar, durante os três primeiros meses do ano, várias oficinas e workshops sobre a temática romana, versando, sobretudo, na componente do vestuário e aplicações associadas.

    Estas oficinas práticas irão ser realizadas, de forma a ajudar os interessados a preparar, de forma mais realista, a participação na Braga Romana.

    Será, de certeza, uma mais valia no conhecimento do mundo romano, sobretudo no que respeita a Bracara Augusta.

    BLCS: Apresentação de Portugal Ilustrado!

    "Diário do Minho" 23/01/2012

    Os postais têm vindo a deixar de ser procurados como veículo de transmissão de informações, mas têm sido utilizados como lembrança de um local ou como espólio de colecionador.

    Na verdade, os postais podem ser muito mais de um simples retângulo de papel...as imagens que compõe a frente do postal são fontes de informação, que são agora recolhidas e usadas na coleção que será lançada hoje na Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva.

    A não perder (e , obviamente, adquirir) os conjuntos que serão hoje apresentados.


    16 de janeiro de 2012

    BragaCEJ2012 - as expetativas no programa

    "Diário do Minho" 14/01/2012

    2012 será um ano marcante para Braga, tendo em conta que a realização da Capital Europeia da Juventude poderá ser um ano jovem, de grande formação, aprendizagem, mas também de diversão e socialização.

    O programa, já apresentado, reflete ações para vários gostos e sensibilidades, apoiando-se na iniciativa de associações e escolas.

    Vamos acompanhar de perto as ações a realizar e incentivar à participação dos nossos jovens nas várias atividades.

    "Diário do Minho" 14/01/2012

    Relativamente ao Programa Bracara From Augustus, a JovemCoop sente-se honrada por ter um papel preponderante nas ações a realizar, mas, de fato, parece incompreensível que numa cidade com tanto historial e tantos monumentos não haja mais associações e/ou movimentos a trabalhar esta temática.

    Não sabemos se outras associações ou entidades foram contatadas para ter participação na CEJ, mas, assumindo que a JovemCoop será a única a ter uma participação mais direta com a divulgação do nosso património (desde os trilhos interpretativos às intervenções arqueológicas, então, esta assunção faz-nos aumentar a responsabilidade de fazer um melhor trabalho!

    Tentaremos ser dignos de cumprir as tarefas que nos propusemos alcançar e ter sempre presente o objetivo de exponenciar a sensibilidade dos nossos jovens para com a nossa História e fazê-los gostar as nossas heranças culturais!

    Este é, de fato, o nosso compromisso...trabalhar ainda mais para os jovens, sobretudo sendo dos poucos a abordar a área da História!

    Contamos com a tua participação!!!


    BragaCEJ2012 - empreendedorismo


    "Diário do Minho" 12/01/2012

    Uma das mais importantes ações da BragaCEJ será a oportunidade dos jovens poderem criar e investir num negócio, podendo submetê-lo a um programa de apoio desenvolvido pela AAUM e CMB.

    É bastante positivo que em ano de crise se incentive o empreendedorismo e a capacidade de gerar negócio, estímulo esse que faz falta aos nossos jovens e ao nosso país.

    Assim que houver mais novidades sobre este programa, iremos dando conta disso mesmo aqui neste espaço!

    Braga - Entre ASPAS - Zona dos Galos

    "Diário do Minho" 16/01/2012

    O Entre Aspas desta semana é dedicado ao Programa Regenerar Braga, focando-se na área denominada Braga Sul:Zona dos Galos, zona que acompanha o Rio Este e cuja área terá, forçasamente de ter sido ocupada desde os primeiros tempos de ocupação humana.

    Vale a pena ler, refletindo no passado para projetar o futuro!

    BragaCEJ2012 - Inauguração





    "Correio do Minho" 15/01/2012



    "Diário do Minho" 15/01/2012

    Foi oficialmente inaugurada a Capital Europeia da Juventude, que decorre este ano em Braga.
    Ao longo de todo o dia de Sábado, foram vários os momentos artisticos e dinâmicos que preencheram e coloriram o centro da cidade de Braga. A participação de escolas e associações foi fundamental para ajudar a dinamizar este dia.

    Ao início da noite, o evento foi oficialmente inaugurado, com um espetáculo de música, luz e cor, com nomes sonantes, desde Drumatical Theatre passando pelo famoso DJ Frank Maurel.

    Foi um dia bonito, com muita gente na rua, apesar do frio e da chuva.
    Com tante energia e vontade, Braga será uma grande Capital Europeia da Juventude!


    BragaCEJ2012 - entrevistas ao vereador da Juventude



    "Correio do Minho" 13/01/2012


    "Diário do Minho" 14/01/2012

    Em tempo de alegria, devido à inauguração da Capital Europeia da Juventude 2012, vários órgãos de comunicação social deram destaque ao Sr. Vereador da Juventude para falar deste grande evento.
    São várias as ações e expetativas que se elevam com esta realização, por isso, acreditamos que interessa a todos os nossos seguidores, lerem, com atenção, estas entrevistas.

    Como não podia deixar de ser, destacamos a parte em que o Vereador Hugo Pires fala da capacidade construtiva para as Sete Fontes e de como as construções não secarão os lençóis de água e que estas poderão ir a um mínimo de 50 metros. Além do mais, fala de que as colinas a montante não serão ocupadas se não estiverem previstas e que os licenciamentos serão acompanhados por estudos hidro-geológicos - curiosamente, a Câmara de Braga nos Termos de Referência do Plano de Pormenor das Sete Fontes não previa na equipa técnica um profissional desta área, nem capacitava o documento destes estudos.

    Será que as sugestões apresentadas em período de discussão pública sortiram efeitos? Claro que o bom da participação ativa dos cidadãos é poder alertar e sensibilizar as autarquias para assuntos que lhes escapam.

    Nós continuaremos atentos no seguimento deste processo, tendo em conta que no ano em que Braga é Capital da Juventude e que a Juventude quer um Parque Verde na cidade, vamos pugnar por fazer isso acontecer!


    BragaCEJ2012 - Trabalho em rede

    "Correio do Minho" 16/01/2012

    Ao segundo dia de CEJ, realizou-se no MDDS um encontro entre associações e representantes de países detentores do titulo CEJ para iniciar uma parceria em rede, produzindo trabalho que fomente a cooperação internacional.
    Também aqui, a BragaCEJ poderá ter um papel determinante!!!

    BragaCEJ2012 - impulsionadora da economia

    "Correio do Minho" 13/01/2012


    "Correio do Minho" 13/01/2012

    Porque as expetativas em torno da realização da Capital Europeia da Juventude são muito grandes, interessa destacar as várias vertentes onde a CEJ irá mexer.

    A economia local é um dos pontos que espera ver refletido um maior incremento à boleia da CEJ!
    Em ano de forte contração, importa pois realçar o importante papel da CEJ na economia bracarense.


    11 de janeiro de 2012

    CEJ2012 - Inauguração já no próximo Sábado

    "Correio do Minho" 10/01/2012

    "Diário do Minho" 10/01/2012

    No próximo Sábado, dia 14, Braga vai ter animação e muito entretenimento, com a inauguração da Capital Europeia da Juventude.

    Segundo o programa, desde as 10h da manhã, até às 17h30, haverá um Soft Opening, que será constituído por momentos de animação da responsabilidade das associações e escolas de Braga.

    A partir das 18h, no Largo do Pópulo (à frente do edifício da CMB e AGERE) decorrerá a cerimónia inaugural, com nomes como os Drumatical Theatre e DJ Frank Maurel.

    Desejamos que seja uma abertura digna da celebração que visa comemorar e que seja o início de um grande ano para a juventude, proporcionando atividades empreendedoras e formativas.