29 de setembro de 2011

Sete Fontes: Edital para Discussão do Plano de Pormenor

"Correio do Minho" 24/09/2011

Como é sabido, a CMB aprovou os termos de referência para a execução do Plano de Pormenor das Sete Fontes. O edital publicado no Correio do Minho dá conhecimento disso mesmo, tornando PÙBLICO um PERÍODO DE 30 DIAS PARA A PARTICIPAÇÃO PÚBLICA ( a partir da publicação em Diário da República), PODENDO QUALQUER PESSOA PEDIR INFORMAÇÕES OU ACRESCENTAR SUGESTÕES E FORMULAR OPINIÕES.


SE GOSTA DAS SETE FONTES, NÃO DEIXE DE PARTICIPAR. DÊ O SEU CONTRIBUTO...todos juntos podemos fazer força para termos um Parque Verde nas Sete Fontes, livre de construções e com os cursos de água e os monumentos devidamente salvaguardados.


Sete Fontes - Sete Mágoas???

"Diário do Minho" 28/09/2011

Um texto de Dinis Salgado, que vale a pena ler, pois ajuda-nos a reflectir na questão das Sete Fontes!

Manuscritos do Mar Morto

"Diário do Minho" 27/09/2011

Depois de vários séculos escondidos e de muitos anos fechados a sete chaves, os famosos Manuscritos do Mar Morto vão ser digitalizados e trabalhados pela Google.
Será importante este contributo das novas tecnologias, pois permitirá perpetuar a informação destes documentos e manuseá-los, em busca de informações ali contidas.

Haverá "verdades" escondidas???

26 de setembro de 2011

Feira das Freguesias: JovemCoop sempre presente






Na Feira das Freguesias, que decorreu entre o dia 22 e 25 de Setembro, houve espaço para divulgar Braga2012:Capital Europeia da Juventude.

Dentro deste stand, havia espaço para as associações colocarem as suas informações e divulgarem as suas actividades.

Nós aproveitamos mais esta oportunidade para publicitar as actividades JovemCoop, nas áreas da Juventude, Desporto, Natureza, Ambiente, Cultura e Património.
Obrigado a todos aqueles que nos visitaram.

Sete Fontes - as nossas dúvidas no Diário do Minho


"Diário do Minho" 24/09/2011

Assim que soubemos que o Sr. Presidente da CMB havia afirmado que havia um pedido de trabalhos arqueológicos para as Sete Fontes, tratamos de confirmar (ou desmentir) essa informação.

Rapidamente acedemos à informação que não havia, por parte das entidades da tutela, conhecimento de qualquer pedido de trabalhos arqueológicos (como expusemos AQUI).

O Diário do Minho deu eco dessas informações e ajudou-nos a clarificar, junto do público bracarense, esta falsa informação.

Sete Fontes - Informações e reflexões

"Diário do Minho" 23/09/2011


Mediante a notícia veiculada no Diário do Minho de 23/09, onde o Sr. Presidente da CMB afirma que o proprietário tem uma autorização do IGESPAR para proceder a uma escavação arqueológica, fica aqui, para conhecimento dos nossos leitores, uma informação importante.


O Arqueólogo e Peticionário pela Salvaguarda das Sete Fontes Francisco Sande Lemos informou-nos que entrou em contacto com responsáveis da DRCN e com o responsável da Divisão de Arqueologia Preventiva do IGESPAR e que estes responsáveis declaram desconhecer qualquer pedido de autorização para trabalhos arqueológicos na zona das Sete Fontes. Tentou ainda contactar a  extensão territorial de Vila do Conde, onde o pedido de escavações poderá estar, mas não foi possivel chegar à fala com os técnicos.
De qualquer modo o pedido teria forçosamente de passar pela DRCNorte pois trata-se de uma zona classificada.
Admite-se, porém, que os proprietários tenham solicitado tal autorização e que o processo esteja algures no IGESPAR. Mas falta saber em que parte...

Posto isto, três questões:

1 - se o proprietário tem a autorização, porque não a apresentou quando a PSP foi duas vezes notificar e parar os trabalhos?

2 - se a autorização parte do IGESPAR, porque é que o técnico da DRCN ( que obrigatoriamente tem de dar parecer sobre intervenções em monumentos e zonas classificadas) não foi auscultado?

3 - O pedido pode ter sido submetido, mas se a DRCN e a DAP Igespar não têm conhecimento, é porque, no mínimo, ainda não foi deferido. Isto é, o pedido pode ter sido formulado e enviado para os serviços da tutela, mas não quer dizer que a autorização já tenha sido deferida, logo ainda não é autorização

Sete Fontes: Do Plano de Pormenor

"Diário de Notícias" de 24/09/2011 - retirado daqui

"Diário do Minho" de 22/09/2011

"Correio do Minho" de 23/09/2011

"Diário do Minho" de 23/09/2011

Pedimos aos nossos leitores que dispendam de algum tempo a ler os vários recortes de jornais, pois perceberão as limitações deste suposto Plano de Pormenor.

Em primeiro lugar, a salvaguarda deste monumento necessitava que este Plano de Pormenor já estivesse em vigor...e não daqui a 300 dias;

A equipa técnica carece de especialistas noutras áreas, como por exemplo Arqueólogos e Geólogos;

As Sete Fontes deviam ser assumidas como a "âncora" do Plano de Pormenor e não um dos condicionantes (trabalhar de dentro para fora, do coração verde para as periferias da área envolvente);

Quanto ao embargo que a CMB diz ter tido dúvidas, bastava consultar a portaria 576/2011 para ver a afectação da envovlente paisagística;

E a Junta de Freguesia de S. Victor ou outras entidades ou cidadãos não podiam embargar o abate, mas sim, só poderia mover um "acção popular", passada pelo Tribunal;

Assim vai o conhecimento das nossas leis e a vontade de preservar as Sete Fontes.

Sete Fontes: Do Abate de Árvores





"Correio do Minho" 22/09/2011

"Diário do Minho" 22/09/2011

"Jornal de Notícias" 23/09/2011 - retirado daqui

Muito se tem falado, ultimamente, sobre as Sete Fontes. Para quem não estava atento, eis o que se passou.

No dia 07 de Setembro, fomos alertados para um bruto e indiscriminado abate de árvores na Zona Especial de Protecção das Sete Fontes. Conseguiu-se parar o abate, com recurso às forças policiais e entendimento com a CMB.

Infelizmente, a CMB não embargou oficialmente o abate de árvores em zona protegida e, no dia 20/09, o proprietário deu instruções à empresa madeireira para continuar a deitar as árvores abaixo.

Estes ataques brutais ao coberto arbóreo não cumpria a premissa da Portaria 576/2011 que institui a ZEP e diz que: "visa garantir a protecção do Monumento Nacional designado "Sistema de Abastecimento de Águas à Cidade de Braga no Séc. XVIII (Sete Fontes de S. Victor)" e do espaço envovlente, com destaque para a protecção do vale em que se localiza o sistema e as suas colinas com relação paisagística directa."

Como podem ver pelas fotos iniciais, as nossas preocupações têm sentido e, se em boa hora não se tem conseguido embargar aquela nefasta acção, a esta hora, as Sete Fontes já não tinham aquela cortina vegetal, que dignifica o monumento, o sítio e que faz cumprir a pretensão da CMB em fazer ali o Parque Verde das Sete Fontes.

Por isso é que em Novembro de 2009 havíamos defendido a inclusão de uma Zona Non Aedificandi, para evitar que os terrenos das Sete Fontes fossem alvo de ataques lesa património(construído ou paisagístico) e que os proprietários não ficassem lesados, sendo alvo de expropriação ou outra compensação.

Todos ficariam a ganhar!

CEJ2012 - As ideias dos nossos agentes políticos

"Correio do Minho" 23/09/2011

Após a reunião de Câmara, realizada no dia 22/09, as duas forças políticas com assento na vereação bracarense extremaram argumentos sobre a realização da Capital Europeia da Juventude 2012.
Para a coligação Juntos Por Braga há falta de diálogo com as associações e para o executivo municipal, estão a ser ouvidas as entidades que têm de ser ouvidas.

Há críticas à gestão deste projecto e à actução da equipa, para uns e total confiança na mesma, para outros.
Acreditamos que após o encerramento da CEJ2012, alguém fará valer o seu ponto de vista dizendo: "Nós tínhamos razão".

Vamos é ter de esperar para saber quem é que estava correcto, sendo certo que estava na hora de promover uma reunião geral de associações para debater este ano prévio de CEJ e fazer um ponto de situação...até porque tem de se fazer uma reflexão sobre o stand da Braga2012:CEJ na Feira das Freguesias, pois no dia da inauguração apenas estavam lá representadas 4 associações (JovemCoop, AJ Caminho, Ágora Bracarense, Synergia), tendo posteriormente juntado-se a Juventude da Cruz Vermelha!
É pouco para a dinâmica associativa que Braga tem e que deverá mostrar em 2012.

Apresentação do GeNeRation


"Diário do Minho" 22/09/2011

"Correio do Minho" 22/09/2011


Foi apresentado, no passado dia 21/09, o projecto de uma das obras emblemáticas da CEJ2012 - a recuperação do antigo Quartel da Guarda Nacional Republicana, situado no Campo da Vinha. 

Este projecto de recuperação, da autoria do Arq.to Carvalho Araújo, visa devolver vida ao edifício e criar uma nova centralidade para a juventude, criando, ali, uma série de mais valias, capazes de serem, por si só, atractivos.

Para quem ainda não visualizou o projecto, aqui fica uma pequena amostra:


A apresentação gráfica é muito boa e faz parecer este projecto como que inserido num grande centro urbano de dinâmica cultural. Ainda assim, cumpre-nos dizer que é redutor, num espaço tão grande, criar meramente um restaurante, um bar, um espaço para coworking e um espaço para indústrias criativas, desaproveitando outras áreas do edifício para, por exemplo, colocar a Pousada da Juventude.

Para quem disser que Braga já está a construir uma Pousada, respondemos que o investimento que está a ser feito no quarteirão da GNR dava para construir todas as valências anunciadas e mais a Pousada, permitindo poupar financeiramente numa nova construção na freguesia de Real.

Numa altura de parcos financiamentos e de séria contenção, Braga teria feito obra se em vez de duas obras marcantes, distantes entre si, construísse apenas uma, com uma forte dotação de ocupação humana, essa sim, capaz de trazer vida ao Campo da Vinha. E dava um exemplo...cortar a despesa pela metade, não duplicando investimentos que podiam ser canalizados num só sítio.

Braga: Jornadas Europeias do Património


"Diário do Minho" 24/09/2011

No fim de semana em que se celebraram as Jornadas Europeias do Património, ficamos a saber que o património arqueológico e monumentos do concelho de Braga têm sido mais visitados, aumentando siginficativamente o número de visitas/visitaantes.

É um excelente indicador daquilo que temos reafirmado constantemente - O Património Cultural é capaz de gerar, a partir da fruição turística, um volume de negócio atractivo.

Mas mais importante, é a sensibilização que se fomenta nas pessoas para os testemunhos do passado, muitas vezes tão desvalorizados e mal cuidados.

A CMB, numa louvável iniciativa, deixou, durante o fim de semana das JEP, o público aceder graciosamente a sítios de interesse histórico.

Braga: Feira das Freguesias

"Diário do Minho" 23/09/2011
"Correio do Minho" 23/09/2011

A Câmara Municipal de Braga, dando cumprimento a uma proposta nascida há dois anos, realizou a Feira das Freguesias, certame em que as freguesias participantes poderiam expor, em local próprio, as suas actividades, localização geográfica, eventos, pessoas, locais de interesse, história, monumentos, etc.

Além das freguesias, este evento contou com uma Feirinha à Moda Antiga (celebrando o Dia Mundial do Turismo), uma Feirinha de Artesanato e Produtos Agrícolas, um espaço para eventos musicais e, ainda, um stand dedicado à Braga2012 Capital Europeia da Juventude.

Ao longo dos 4 dias de Feira, que decorreu entre os dias 22 e 25 de Setembro, quem passou na Av. Central percebeu a quantidade de pessoas que ali acorreram para usufruir destes eventos. Foi muito bonito ver tanta gente concentrada no centro de Braga e a gerar movimento e actividade.

Se a CMB percebeu o "recado", então ficou a saber que "Braga precisa deste tipo de eventos para trazer mais gente ao centro e provocar um maior investimento económico por parte da população".

Numa altura em que o memorando da troika prevê a fusão de freguesias e junção de Concelhos, além de já ser certo que o Governo em funções anunciará em breve a execução destas medidas, dizer-se que "é uma perfeita asneira" pode ser considerado um falso grito de revolta, porque não se tomaram medidas anteriormente para precaver isto, nem se vêem medidas alternativas para poder não executar esta medida.

Braga: Novo Mapa Turístico

"Diário do Minho" 24/09/2011

No âmbito das celebrações do Dia Mundial do Turismo, a DIRENOR vai apresentar, publicamente, um novo mapa turístico de Braga.

Acrescentando informação e ofertas culturais, este novo mapa será apresentado dia 27/09 (Dia Mundial do Turismo), no Bom Jesus, com concentração na entrada do "Elevador", por onde se acederá à zona superior e com actuação da Rusga de S. Vicente - Grupo Etnográfico do Baixo Minho!

Viana do Castelo: rentabilizar o património

"Correio do Minho" 22/09/2011

Na localidade de Subportela, em Viana do Castelo, a população local vai rentabilizar o seu património.
Após a descoberta de um lagar, supostamente medieval, e que foi encontrado acidentalmente aquando de um desaterro numa propriedade particular, a população encetou acções de limpeza e beneficiação, recuperando este património e pô-lo em funcionamento, devolvendo-o à sua função original...fazer vinho!

Pelo seu excelente estado de conservação e por ser um exemplar único naquela zona, poder-se-á questionar se este património deverá manter(ou reiniciar) estas funções, antes de, pelo menos, ser alvo de um estudo. Contudo, acredita-se que quem o recuperou de tão bela forma, também saberá dar-lhe o melhor uso e zelará pela sua conservação.

Vamos ajudar a enriquecer o nosso património fotográfico

"Correio do Minho" 25/09/2011

Procuram-se informações sobre esta fotografia...informações capazes de acrescentar história a este momento.

Universidade do Minho: Aplicação Interessante

"Diário do Minho" 24/09/2011

A Universidade do Minho colocou à disposição dos seus alunos uma interessante aplicação para telemóvel que permite aceder a referências bibliográficas, bem como reservar e consultar livros.

A UM torna-se pioneira num serviço que, claramente, facilita promove o incentivo à pesquisa a partir de um simples telemóvel.

Ciência das Saúde: Pedagogia para os pequeninos

"Correio do Minho" de 25/09/2011

Aproximar os futuros médicos dos seus pacientes e fazer desaparecer o medo das crianças nas idas ao médico ganha sentido com esta iniciativa do Instituto de Investigação em Ciências da Vida e Saúde, da Universidade do Minho.

Além do contacto mais próximos entre pacientes e médicos, esta actividade é uma forma encorajadora de, desde pequenino, se descobrir a vocação para as Ciências da Saúde. Afinal..."de pequenino se torce o pepino", moldando os talentos de cada um.

Esta notícia merece destaque, ainda, pelo facto de na foto central aparecer a "nossa" Sara a cuidar dos pequeninos e dos seus amigos. Bra-vo!!!

21 de setembro de 2011

Assuntos para a reunião de Câmara Municipal



Plano de pormenor das Sete Fontes

 


A proposta de elaboração de um “plano de pormenor” para o lugar vulgarmente designado por Sete Fontes é um dos assuntos em destaque na agenda da reunião ordinária que a Câmara Municipal de Braga realiza a partir das 09h30 de amanhã (quinta-feira, 22 de Setembro).
A área de intervenção deste “plano de pormenor” situa-se nas freguesias de Gualtar e de São Vítor e implica particularmente com o “sistema de abastecimento de águas à cidade de Braga do século XVIII”, designado precisamente de “Sete Fontes”.
Recorde-se que a 25 de Maio último foi publicado o decreto-lei que classifica este «conjunto de imóveis» como “monumento nacional” e que a 7 de Junho foi igualmente fixada a “zona especial de protecção”, com destaque para «a protecção do vale em que se localiza o sistema e as colinas com relação paisagística directa».
À vereação é proposta a definição dos termos de referência do “plano de pormenor”, que, além de definir a oportunidade e o prazo, organizam sistematicamente as várias políticas de ordenamento do território a vigorar sobre aquela área.
A área de intervenção do plano compreende 31 parcelas de terreno, na sua maioria particulares, embora com algumas parcelas de zona verde resultante de cedências de loteamentos e, como tal, incorporadas no domínio público municipal.
Integra ainda alguns edifícios de armazenagem, nomeadamente de um armazém de produtos de madeira ou derivados de construção civil, e ainda cinco lotes de armazenagem com cércea correspondente a oito metros, sendo que dos cinco aprovados, apenas dois lotes estão construídos.
A delimitação do plano tem por objectivo a protecção e valorização do património cultural, a criação de um parque urbano e o controlo urbanístico daquela área.
A elaboração deste documento prevê um prazo global de 300 dias, incluindo a sua discussão pública.
POUSADA DE JUVENTUDE - AQUISIÇÃO DE SERVIÇOS
A aquisição de serviços necessária à evolução do processo de construção da Pousada de Juventude de Real, nas ruínas do Convento de São Francisco, é outro dos assuntos em destaque na agenda desta reunião.
É o caso da elaboração do “plano de segurança e saúde e do plano de prevenção de resíduos”, dos “projectos de fundações e estruturas, abastecimento de água, drenagem de águas residuais, drenagem de águas pluviais e abastimento de gás”, dos “projectos de ‘avac’, verificação térmica, condicionamento acústico e certificação energética”, dos “projectos de electricidade, ‘ited’ e sistemas de detecção de incêndios, intrusão e controlo de acessos”, do “projecto de segurança contra incêndios” da requalificação do Convento de São Francisco, ou seja, todas as especialidades da obra de execução da nova Pousada de Juventude de Braga.
Câmara Municipal de Braga, 21 de Setembro de 2011
P'O Gabinete de Comunicação 


(João Paulo Mesquita)



Fotos de "Estamos Activos 2011"



Foi uma actividade em grande, cheia de actividades e muito divertida.
Uma excelente forma de conviver junto da natureza com as mais belas tradições culturais da cidade de Viana do Castelo.


Pousada da Juventude: Para reflexão

"Diário do Minho" 19/09/2011

Já muito foi dito sobre a localização da Nova Pousada da Juventude de Braga, e agora, a ASPA e os seus sócios vêm relançar mais algumas dúvidas sobre o posicionamento desta estrutura e a possibilidade de novas descobertas arqueológicas (de relevo) que possam, inclusivé, justificar o atraso ou a interrupção das obras.
Será isto uma estratégia de conveniência?

Quanto a nós, relembramos o que escrevemos sobre a localização da Pousada da Juventude, defendendo-a no centro da cidade de Braga (Novembro de 2010):

No âmbito da preparação da cidade de Braga para acolher a Capital Europeia da Juventude (CEJ), em 2012, começam a surgir, agora, algumas notícias interessantes e que merecem a nossa reflexão.
Em primeiro lugar, merece a nossa felicitação uma aposta tão séria e tão carregada de valor como a criação de duas infra-estruturas exclusivamente dedicadas à Juventude.

Falamos, pois, da nova Pousada da Juventude e da Casa do Conselho Municipal da Juventude. Se a primeira estrutura é, indubitavelmente, necessária para Braga e para os jovens que cá acorrem, a segundo é o culminar de um sonho que poderá transformar o panorama da juventude bracarense, na sua forma de encontrar arte, cultura e abrir-se ao modelo do associativismo e voluntariado.

Duas estruturas, duas valências, um objectivo...proporcionar mais acção e oferta à juventude.
Ainda assim, queremos partilhar com os nossos leitores algumas considerações sobre estas notícias.

1 - A localização da Nova Pousada da Juventude fica distante do Centro Histórico da Cidade de Braga;
Não se compreende porque se privilegia o Convento de S. Francisco, em Real, em deterimento de outros edíficos do nosso casco histórico. A localização da pousada em Real não é central e cria uma série de dificuldades de mobilidade.

Geralmente, quem procura alojamento nas Pousadas de Juventude não dispõe de meio de transporte próprio, e todos sabemos como a rede de transportes urbanos é insuficiente em Braga, ou, pelo menos, inadaptada à realidade jovem. Imaginemos um evento nocturno que atraia jovens ao centro da cidade e que acabe à meia noite (um espectáculo de teatro, música, dança ou uma exposição). A essa hora os jovens já terão dificuldade em regressar à Pousada da Juventude pois não terão transportes (e não estamos a pensar só em 2012, onde, certamente, serão criadas carreiras especiais).

  • Se a Pousada ficasse localizada no centro de Braga, como nós defendemos (seja na Casa das Convertidas ou no antigo Quartel da GNR), todos os jovens ficariam perto dos centros de conhecimento: Universidade do Minho, Universidade Católica, Instituto Ibérico de Nanotecnologias, onde facilmente se poderão deslocar a pé.
  • Os jovens ficariam perto das estruturas de transporte e mobilidade - Central de Camionagem, Estação de Caminhos de Ferro, várias praças de Taxi; etc;
  • Situar-se-iam na zona cultural do Theatro Circo, a Escola de Música do Carandá, o Parque de Exposições de Braga,do Auditório Vita e da Gulbenkian, do Estaleiro Cultural da Velha-a-Branca, etc;
  • A pousada estaria no centro dos Parque Verdes - entre o Parque Norte (Dume), o Parque Sul (S.João da Ponte/Picoto), o Parque Nascente nas Sete Fontes e o Parque Oeste perto da zona de Maximinos.
  • Uma pousada no centro também ficaria localizada entre zonas de desporto, desde o estádio Axa e o Primeiro de Maio, os Campos da Rodovia e o Parque Radical;
  • Situar-se-ia, também, no centro do património cultural de Braga, onde os jovens poderiam facilmente visitar, a pé, a Sé Catedral e as Igrejas de Braga, os Museus (D.Diogo de Sousa, Biscainhos, Nogueira da Silva, Pio XII) estruturas arqueológicas como as Termas Romanas, a Domus da Escola Velha da Sé e as Carvalheiras, etc.
  • Os jovens que estivessem na Pousada da Juventude estariam perto do Posto de Turismo de Braga onde poderiam recolher informações várias;
  • Uma pousada da Juventude no centro de Braga proporcionaria, ainda, a vantagem de possibilitar a mobilidade jovem entre espaços de diversão nocturna como o Sardinha biba, o Insólito, o Sabão Rosa, o Populum, etc;
  • E, sobretudo, uma pousada da juventude no centro da cidade de Braga proporcionaria o contacto dos jovens com as pessoas, daria mais vida ao centro histórico que está cada vez mais deserto, e permitiria uma melhor e maior acepção cultural da nossa história. Mais ritmo, mais movimentação, mais gente.

2 - A decisão de situar a nova Pousada de Juventude de Braga não deveria ser tomada somente entre a CMB e a MoviJovem. Deveriam ser chamadas à participação as associações e entidades que habitualmente trabalhem com jovens, pois estas detêm informações e trabalhos que possam ajudar a formular esta decisão;

3 - Desviar a pousada da Juventude do centro de Braga só retirará gente do casco central urbano, sobretudo numa zona já por si populacionalmente deprimida e que ficará ainda mais, logo que o Hospital de Braga se mudar para Sete as Fontes.

4 - As pousadas de Juventude não têm que ser necessariamente estruturas de luxo, uma vez que os jovens muitas vezes requerem conforto a preços baixos, não querendo/tendo vontade de pagar preços altos;

5 - O antigo Quartel da GNR é um edifício de características singulares no centro da cidade de Braga que é demasiado grande para albergar unicamente a casa do Conselho Municipal da Juventude. Aliás, este Conselho não tem reunido com a frequência devida e, se funcionasse correctamente, deveria, ainda, ser chamado à decisão e modelo de funcionamento, tendo em conta a finalidade a que se destina a estrutura;

6 - O antigo edifício da GNR poderia albergar, num modelo misto, quer a casa do Conselho Municipal da Juventude, quer a Pousada da Juventude de Braga, porque tem espaço para tal;

7 - Além do mais, sabendo que as apostas na Juventude e na Cultura ficam sempre para último no Plano de Actividades do executivo da CMB, o edifício a reformular terá de ser auto-sustentável, logo, mais um motivo para ter mais valências que gerem receita, do que somente uma Casa Municipal da Juventude.

8 - A atenção prestada às associações de Braga tem sido diminuta, pelo que para se fazer a Casa do CMJ é preciso unificar o movimento associativo, que neste momento não trabalha em sinergia, mas antes "cada um a remar no seu próprio barco"; Por isso, pensar fazer a Casa do CMJ implica, antes de mais, ouvir as associações, conhecer o seu trabalho e saber as suas necessidades!

A JovemCoop mantém a sua ideia de que não será benéfico retirar a Pousada da Juventude do centro da cidade de Braga. Se não é possível aproveitar a Casa das Convertidas, como haviamos defendido numa primeira instância, para "converter" o edifício na tão desejada Pousada, achamos, então, que se deve pensar e ponderar a utilização do antigo Quartel da GNR, e instalar lá a Pousada da Juventude que trará á nossa cidade muitos mais benefícios!

E claro, a nossa recomendação é que não se pense na Pousada da Juventude e na Casa do CMJ só para o ano 2012, porque o desafio é manter estas estruturas em funcionamento depois da Capital Europeia da Juventude terminar. Torna-se fulcral que a CMB pense a cidade, o restauro urbano integrado e a sustentabilidade dos seus projectos, para que tenham dignidade e façam de Braga uma cidade maior e melhor, com mais qualidade de vida!

Braga Maior - D. Frei Bartolomeu dos Mártires

"Diário do Minho" 15/09/2011

Para um maior conhecimento da cidade de Braga e da acção de um dos seus grandes homens.

15 de setembro de 2011

Guadalupe - recuperação do espaço e integração em roteiro

"Diário do Minho" 13/09/2011

A Irmandade da Capela de N.ª Sr.ª de Guadalupe e a Câmara Municipal de Braga assinaram, em 2008, um protocolo que visava a recuperação do espaço daquele primeira entidade, pela segunda instituição, tornando o Parque fruível por todos os cidadãos.
Após a CMB ter apresentado à Irmandade o projecto de recuperação, iniciaram-se conversações para o início das obras.
O jornal Diário do Minho dá conta disso mesmo, avançando como prazo das obras os anos 2012 e 2013.

A acontecer, é uma excelente notícia, porque tal como pudemos assistir durante o fim de semana das Festas em Honra de N.ª Sr.ª da Piedade e S.Marçal, aquele espaço é único no coração da cidade e convida ao convívio, à reflexão, em suma, à fruição.

O Parque pode não estar adequado às exigências do Séc. XXI, encontrando-se hoje desadaptado, pelo que este projecto de requalificação trona-se fulcral. Ainda assim, o Parque não está abandonado e há uma força emergente que quer tornar possivel a sua requalificação.

Casa das Convertidas - um projecto para a sua recuperação

"Diário do Minho" de 14/09/2011

Se os nossos leitores tiverem paciência e tempo, percorrendo o nosso blog ao longos dos vários post, perceberão que a JovemCoop já sugeriu, pelo menos, quatro utilizações para a Casa das Convertidas.
O principal objectivo destas nossas sugestões era recuperar este imóvel, torna-lo fruível pelas pessoas e perpetuar a memória histórica do edifício setecentista.

Em tempo oportuno, colocámos à consideração a recuperação da Casa das Convertidas para ser a nova Pousada da Juventude que Braga tanto reclamava e merecia; Declinada esta primeira sugestão, avançámos com a hipótese de um Museu da História da Cidade de Braga, um Centro Cívico que servisse de pólo cultural, ou mesmo, fazendo juz à sua história de recolhimento, um Albergue para Peregrinos do Caminho de Santiago.

Ontem fomos brindados por esta notícia da possível recuperação do imóvel, ainda que esta dependa de vários factores, ainda mais porque a acontecer, isso só se realizará lá para 2014, já com novo mandato autárquico à frente da CMB (prioridades mudam conforme os decisores políticos).
Não sendo certo que esta recuperação avance, é excelente saber que, pelo menos, a Casa das Convertidas não está esquecida.

Não lhe dando a utilização que nós pretenderíamos, pelo menos haverá vida e gente no antigo Recolhimento de Santa Maria Madalena.

Mas falta perceber o que é isto de Centro de Diversidade Cultural, apostada no fluxo de emigração dos anos 70. Quais são os conteúdos programáticos para este Centro? Será apenas um ideia lançada no ar, sem a devida fundamentação? O projecto contempla a manutenção arquitectónica deste edifício e a perpetuação da sua história? E a Direcção Regional de Cultura do Norte já se pronunciou sobre este projecto e deu o seu avalo?

Destruir aquelas celas, adulterar os espaços exteriores e não recuperar a Capela e a sua arte sacre é desrespeitar a memória individual do edifício e a colectiva da cidade!

Braga - a dificuldade de viver no centro da cidade

"Diário do Minho" 14/09/2011

É notória a desertificação habitacional no centro da cidade de Braga. Este assunto não é novo, nem tão pouco fomos nós os primeiros a falar dele. Ainda assim, é visivel que o parque habitacional do coração medieval da cidade está muito degradado, inviabilizando as condições adequadas para a habitação, e os imóveis que estão recuperados praticam preços fora do alcance de muitos cidadãos, sobretudo de jovens que procuram a emancipação do primeiro núcleo familiar e/ou que pretendem constituir novo aglomerado familiar.

Os preços praticados, as fortes condicionantes à recuperação do edificado, a falta de garagens nas habitações, o dificil acesso às casas em ruas pedonais são alguns dos pontos identificados que contribuem para a ausência de pessoas a residir no centro da cidade.
Infelizmente, esta situação não é nova e há já muito tempo que deviam ser tomadas medidas que jazem em papel em vários gabinetes da nossa autarquia.

Muito se falou, a dada altura, da posse administrativa de edifícios vazios e por recuperar, após denúncia da situação e prazo de recuperação; Também muito se escreveu sobre a recuperação de edifícios no centro, praticando incentivo ao arrendamento jovem.
Até à data nada é visivel...

Num centro com predominante cariz comercial e sem pessoas é frequente haver assaltos a altas horas da noite e queixas por falta de actividade humana, por parte de alguns comerciantes.
Está na hora de tomar medidas...!

12 de setembro de 2011

Festas em Guadalupe 2011 - Ecos da Imprensa


"Correio do Minho" 11/09/2011


"Diário do Minho" 10/09/2011
"Diário do Minho" 11/09/2011


"Correio do Minho" 12/09/2011


"Diário do Minho" 12/09/2011

Após vários dias de preparação, estes dois dias de festa parece que passaram a voar.
As Grandiosas Festas em Honra de N.ª Sr. ª da Piedade e de S. Marçal têm vindo a melhorar de ano para ano e com uma maior programa cultural e artístico.

Obrigado a todos aqueles que nos ajudaram a fazer desta festa um grande momento de diversão (sobretudo a S. Pedro que fez parar a chuva na tarde do dia 10 e nos permitiu continuar com as actividades) e a todos aqueles que nos visitaram, esperamos que regressem mais vezes ao Parque de Guadalupe.

Crónica A Voz à Juventude (1) Correio do Minho

"Correio do Minho" 06/09/2011


CEJ2012 – O apoio de que as associações necessitam

Caro Leitor,
Agradeço-lhe o tempo que despende em ler estas palavras. Aceitei, com gosto, o convite que me foi dirigido pelo Sr. Director do Correio do Minho para encetar esta colaboração com o jornal e, mensalmente, provocar alguma reflexão sobre temas vocacionados para a Juventude (fruto de um trabalho que tenho realizado à frente da associação juvenil Jovem Cooperante Natureza/Cultura). Mas aproveitarei este espaço para abordar questões da nossa cidade, onde incluirei a temática da participação cívica, urbanismo, património, cultura e ambiente.
O ano lectivo que agora se inicia vem recheado de desafios para a juventude de Braga, pois em 2012 a nossa cidade será Capital Europeia da Juventude (CEJ2012) e teremos de provar a razão dessa escolha.Restam cerca de quatro meses para o início desse grande evento que incluirá formação educacional, intercâmbios culturais, momentos de diversão e, com certeza, muito espírito de sacrifício e altruísmo de quem quer fazer desta oportunidade uma realidade que perdure pelos tempos.
Esta realização da Fundação Bracara Augusta (entidade que rege a CEJ2012) merece destaque porque porá a render os talentos dos jovens e das associações juvenis do concelho de Braga, fazendo uma mostra do que cada agremiação melhor faz (temos a felicidade de ser uma cidade com várias associações vocacionadas para áreas distintas, capazes de formar um interessante painel de actividades diversas).

A quatro meses do início da CEJ2012 ainda pouca informação é veiculada às associações. Dizem, as vozes responsáveis, que a programação e o evento necessitam de financiamento específico que o Governo e as entidades que gerem os Financiamentos Comunitários poderão conceder. Em tempos de crise financeira, o Estado preocupa-se com o equilíbrio das contas presentes e poderá relegar, para segundo plano, a formação dos jovens que constituirão o Portugal do futuro. Será difícil o Estado Central preocupar-se com a CEJ2012, logo poderemos especular que os financiamentos poderão não ser os esperados. 
Mas a nossa advertência vai para a vontade das associações em realizar as suas actividades e provas de saber. Muitas vezes, mais do que financiamentos, as associações necessitam de uma palavra de força, apoio nos recursos logísticos o que lhes transmite confiança. E, com pouco, pode-se fazer muito, até porque diz-nos a experiência que grandes financiamentos podem fazer surgir eventos espampanantes, mas sem “coração” de quem os realizou. Estes eventos, desde o seu planeamento, passando pela sua organização e realização são o melhor ensinamento para os jovens, dotando-os do sentido de responsabilidade, partilha e espírito de grupo. Esto é a melhor mensagem e formação que a CEJ2012 pode conceder aos jovens. Por isso, fica aqui expresso, se houver incentivo, mesmo que não haja muito dinheiro, Braga tem condições de ser uma excelente Capital Europeia da Juventude.

Entretanto, convido o amigo leitor a deslocar-se ao Parque de Guadalupe, área verde no centro da cidade, nos próximos dias 10 e 11 deste mês. Fruto da organização de várias entidades realizar-se-ão as Grandiosas Festas em Honra de N.ª Sr.ª da Piedade e S. Marçal, evento de cariz religioso, mas com grande predominância popular. Este evento é uma das provas que dou ao amigo leitor de que com pouco, muito se consegue. A custos muito reduzidos, estas festas têm um programa muito vasto, enriquecido pela cultura popular, dando destaque aos nossos Bombeiros, verdadeiros exemplos de altruísmo e ajuda ao próximo.

Obrigado, amigo leitor, pelo tempo que me dispensou. Até breve.